domingo, 23 de abril de 2017

LIRA POÉTICA - - O TEMPO - - Poema de Mário Quintana

 Nesse domingo quero lembrar um poema do querido poeta gaúcho Mário Quintana para falar de um companheiro que desejamos possuir sempre ao nosso lado: O tempo. Para falar de tempo necessitamos tratá-lo como uma energia divina, temperamental, mutante e rápida. O tempo parece um corredor de maratona queniano, por mais que eu me esforce não consigo acompanhar suas passadas ágeis. O tempo está sempre à frente. 

 Muito já se falou de tempo, algumas pessoas místicas dizem que o tempo não existe, que ele é só uma sensação dos momentos vividos por cada um de nós. Outros, assim como eu, acham que o tempo é a gravação das nossas atitudes, se possuímos o nosso livre arbítrio para trilhar nossos caminhos, o tempo global seria a consequência da caminhada de todos, mudando a sua perspectiva de acordo com os nossos atos. Se a maioria de nós toma atitudes positivas o nosso tempo total terá um perfume de esperança, de harmonia e de felicidade. Caso contrário, se tomarmos posições negativas, a desesperança, a desarmonia e a infelicidade prosperarão, tirando-nos o prazer de viver. 

 Sobre a ótica da rapidez, ninguém resumiu tão brilhantemente a passagem do tempo como o poeta Mário Quintana, de quem sou fã desde adolescente. Hoje, domingo, quero lembrar com carinho do querido poeta, publicando sua poesia que retrata bem, como o tempo passa rápido. 

 Desejo uma boa semana a todos os nossos leitores. 

 Hoje é dia 23 de abril, dia de lembrar São Jorge, santo guerreiro que combateu o 'dragão da maldade'. Hoje também é dia de lembrar o aniversário de 'Beto Bastos', sobrinho e amigo, que vez por outra nos ajuda enviando matérias divertidas para publicar. O mês de abril está cheio de aniversários importantes para UBAV-Brasil, pessoas inesquecíveis que o tempo jamais apagará.

Aproveito para informar que o nosso site entrará novamente em manutenção dos dias 27 de abril a 08 de maio, não será por muito tempo... Logo estaremos de volta, se Deus permitir.

Neo Cirne
Colunista






O TEMPO

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará...


Mário Quintana




Vejam o poema de Mário Quintana na voz do inigualável locutor, Antônio Abujamra.







Antônio Abujamra, OMC foi um premiado diretor de teatro, ator e apresentador brasileiro, sendo um dos primeiros a introduzir os métodos teatrais de Bertolt Brecht e Roger Planchon em palcos brasileiros. (wikipedia.org)


TIM-TIM!