quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O CAMINHO DOS SÁBIOS - - Publicado por Hugo Lapa no Facebook 'Espiritualidade é Amor'

O CAMINHO DOS SÁBIOS


O homem medíocre é cheio de certezas… O sábio duvida sempre de suas crenças.

O homem medíocre quer ser maior que o mundo… O sábio quer servir o mundo deixando sua obra.

O homem medíocre é cheio de si mesmo… O sábio é vazio de si mesmo e por isso se abre para a vida.

O homem medíocre é escravo dos seus desejos… O sábio nada deseja para si e por isso, está feliz sempre.

O homem medíocre quer sempre mais e mais e mesmo com muito, nunca está satisfeito… O sábio agradece o que tem e faz do pouco que tem o suficiente.

O homem medíocre acha que tem muitos direitos… O sábio prioriza seus deveres.

O homem medíocre dá mais atenção ao individual… O sábio vê primeiro o coletivo do qual é parte integrante.

O homem medíocre ri dos outros, mas está sempre de mau humor… O sábio ri de si mesmo e está sempre de bom humor.

O homem medíocre nunca admite seus erros e imperfeições… O sábio reconhece seus enganos e por isso aprende com suas falhas.

O homem medíocre quer sempre ser melhor que os outros… O sábio busca apenas melhorar a si mesmo.

O homem medíocre quer tudo mudar… O sábio deixa tudo fluir.

O homem medíocre sente ódio, mágoa, quer se vingar, quer punições, julga e condena… O sábio sente compaixão, não guarda ressentimentos, não pede vingança, não se sente atingido, por isso não precisa perdoar, tenta compreender e se colocar no lugar do outro.

O homem medíocre busca o poder no exterior… O sábio encontra seu poder no interior.

O homem medíocre fala muito e não escuta nem a si mesmo… O sábio fala pouco e sabe escutar as pessoas e a vida.

O homem medíocre quer sempre levar vantagem e no final, acaba perdendo… O sábio tira proveito apenas de seu próprio esforço e no final e consegue avançar.

O homem medíocre vive de aparências e formas… O sábio procura ver a essência por trás das aparências.

O homem medíocre está sempre lutando contra o mundo, e por isso se destrói… O sábio não luta, não resiste, se harmoniza com tudo, e por isso, está sempre em paz.

Deixe de lado a mediocridade.

Busque sempre, sem hesitação… 
O caminho dos sábios.




Autor: Hugo Lapa
Foto ilustrativa da publicação de 'Espiritualidade é Amor'

O AMOR E O VASO MING - - Por Neo Cirne

A vida é uma explosão de energia infinita, ela é toda Química! Disse o francês Antoine Lavoisier, "Pai da Química Moderna", ao descobrir que a água é uma substância composta de dois átomos de hidrogênio e um átomo de oxigênio: H²O.

No desdobramento da vida os fatos vão acontecendo, seguindo o impulso do nosso movimento, quase sempre previsível. Acertamos e erramos. O amor, assim como a água, é um sentimento composto, por você e uma outra pessoa. Nem todos os passos rumo ao amor nos conduzem à alegria e à satisfação pessoal. Porém, todos nos conduzem a uma experiência fantástica, amar.
Dificilmente levamos em consideração a possibilidade do insucesso, quando estamos repletos de sonhos e desejos. Nós avançamos, damos mais um passo em busca do nosso objetivo, muitas vezes sem medir as consequências. Assim, nesse caminhar constante, com esse somatório de erros e acertos, chamamos nosso deslocamento de vida.


Quem nunca acertou nessa vida na a realização de um sonho? Algo raro para alguns, quando a realização está condicionada ao aspecto financeiro, mas no "aspecto emocional" acertar significa realização de um objetivo doce e complicado (Amor Agridoce), por menor que ele seja nos faz bem e também machuca. Todos podem amar, por isso o Amor é Universal e Democrático.

Melhor seria perguntar: Quem nunca errou nessa vida, que não sentisse o desejo imenso de voltar e refazer tudo que julgou errado? Quase todos têm algo que ficou no passado, que não correu da maneira que desejavam e que gostariam de reparar, não é verdade? 


Seria maravilhoso poder voltar e reviver situações que você desejou imensamente que dessem certo, mas, infelizmente, deram errado. Com o aprendizado que adquiriu errando, hoje você poderia encontrar o caminho da realização, deixando para trás aquela perda importante, marcada em sua mente.
Os obstinados, quando o desejo é material, tentam mais uma vez e outra vez mais. Seguem tentando, refazendo os caminhos, até a conquista da coisa tão desejada. Já no aspecto emocional, em particular no amoroso, é mais difícil restaurar.


Uma quebra de confiança na relação amorosa é comparável à quebra de um valiosíssimo objeto. É como se você, num momento de descuido, deixasse cair ao solo um vaso em porcelana da 'Dinastia Ming', um dos mais caros do mundo, feito no século 14.


Como consertar um desencanto com a pessoa que amamos? Uma palavra agressiva dita intempestivamente a um filho? Uma traição covarde a quem tanto dizia amar profundamente?


Você pode chamar um grande mestre em restauração para consertar o seu vaso da 'Dinastia Ming' e colocá-lo no mesmo lugar, sem uma marca sequer que ele tenha sido quebrado, mas toda vez que você olhar para ele, lindo, a sua mente vai lembrar que, mesmo estando muito bonito, ele já foi quebrado em pedacinhos e seu valor não será mais o mesmo.
No campo das emoções é possível você restaurar o valor do amor, utilizando sentimentos simples e verdadeiros, tais como o Perdão, a Verdade, o Desapego, a Humildade, a capacidade de Superação e o Olhar Plácido. A convicção de que você possui esses atributos irá facilitar a aceitação do problema e juntos buscando soluções, resgatarão a confiança necessária a um casal. Essa é uma condição positiva do resgate do valor do sentimento mais lindo que a vida nos dá: o Amor.


E quando a pessoa vacila mais de uma vez? 
Bem, se você gosta muito dela e sabe que a ama verdadeiramente, sendo capaz de perdoar, o nosso conselho é que, já que não dá para reviver o passado, que continue acreditando um pouco mais, dê uma nova oportunidade ao seu amor e desapegue-se de todos pensamentos ruins dessa hora. Porém, quando você restaurar a relação, não faça como o 'Dono do vaso Ming', não olhe pra ele e pense somente no seu valor, já que ele foi quebrado. Pense no desfrutar de um novo momento de amor, valorize a sua parceira(o), demonstre todo o seu carinho, amizade, compreensão: elementos indispensáveis na restauração amorosa.

Afinal, se mesmo assim não der certo realmente, pois somos todos diferentes, procure um outro 'Norte' pra sua emoção. Somos seres difíceis de sermos compreendidos, pois vivemos cheios de ansiedade, desconfiança, insegurança e medo, porém, dentro dessas diferenças somos capazes de aceitar um ao outro e amar profundamente até o fim dos nossos dias. Para isto acontecer, temos de nos lembrar que o perdão absoluto é a grande solução para restaurar um grande amor que era considerado perdido. Não é vergonha perdoar e muito menos pedir perdão.



Neo Cirne
Colunista de UBAV-Brasil
Origem da foto do vaso: WEB  




FELICIDADE E PAZ - Por Hugo Lapa - (Espiritualidade é Amor)


FELICIDADE E PAZ


- Por Hugo Lapa -


A maioria das pessoas acredita firmemente que para se ter uma vida de paz e felicidade é necessário dinheiro, sucesso e patrimônio, assim como se faz necessário reunir certas condições de beleza física, atividade sexual regular e satisfação dos principais prazeres materiais. No entanto, hoje em dia algumas pesquisas recentes em neurociência vem na contramão dessa crença popular, e fazem esse questionamento em dois casos particulares. Estas são pesquisas realizadas com dois indivíduos que levam uma vida bastante simples, com poucos recursos e quase nenhum dinheiro. Estamos falando de Matthieu Ricard, monge budista e de Dadi Janki, uma yoguini indiana.



Matthieu Ricard recebeu formação ocidental e é filho de um renomado filósofo francês. Quando não é convidado para palestrar em diversos lugares do mundo, Matthieu vive no monastério Shechen, no bairro tibetano Bouda, onde tem a rotina típica de um monge budista. Ele não tem quase nenhuma posse ou dinheiro, a não ser aquele que recebe como rendimento de alguns dos seus livros. Mesmo assim, Ricard doa boa parte do lucro para obras de caridade. Sua vida é extremamente simples, ele quase nada possui, mas interiormente ele possui a plenitude e a felicidade sem medidas.



Muitas pessoas têm a ilusão de acreditar que a felicidade está sempre ligada ao usufruto dos prazeres materiais, a condições externas estáveis e confortáveis, assim como a muito dinheiro e patrimônio. Mas a vida de Matthieu Ricard prova exatamente o contrário. Ele é feliz sem necessitar de quase nada para viver. Mas como saber se Matthieu é mesmo feliz? Quem faz essa afirmação sobre sua felicidade não é o autor deste texto, mas sim os pesquisadores da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, que fizeram um mapeamento da atividade cerebral de Matthieu em meditação e descobriram que o monge produz uma alta quantidade de ondas gama, associadas à felicidade, que jamais foram vistas na neurociência mundial. Esse fato sugere que Matthieu é possivelmente um dos homens ou o homem mais feliz do mundo. Apesar disso, é um monge que vive num mosteiro em condições muito simples.


Outra personalidade espiritual que também se caracteriza não apenas pela felicidade, como pela estabilidade e tranquilidade mental é a yoguini Dadi Janki. Janki realizou uma série de exames científicos para medir sua atividade cerebral. O Instituto de Pesquisa Médica e Científica da Universidade do Texas constatou que Janki possui a “mente mais estável do mundo”. Os cientistas verificaram, após vários testes de mapeamento cerebral, que as ondas mentais de Janki não se alteram nem mesmo quando ela é submetida às condições mais desesperadoras. Os pesquisadores ficaram impressionados com a estabilidade e paz mental que Dadi Janki apresentou nos testes. Eles concluíram que sua paz interior era imperturbável e que nada no mundo material poderia tirar a paz e tranquilidade da yoguini.


Este homem e essa mulher tem muitas coisas em comum, mas a principal é que ambos levam uma vida muito simples e são adeptos de práticas espirituais meditativas. Eles falam do amor, da paz e da fraternidade entre os homens. Quase não tem posses, não ocupam altos cargos em empresas, não são pessoas de sucesso, nem celebridades que aparecem em capas de revistas de moda. Eles não são bonitos, não fizeram cirurgias plásticas, não colocaram silicone, não veem televisão, não bebem, não fumam e nem tem vida sexual ativa. No entanto, Matthieu foi considerado o homem mais feliz do mundo, enquanto Dadi Janki foi considerada a mente mais estável do mundo e provavelmente a pessoa que atingiu a maior expressão da paz interior já conhecida na neurociência. Ambos ensinam que a felicidade não pode ser encontrada em condições exteriores do mundo, e que o caminho da felicidade e da paz é, em geral, cuidar do espírito e não precisar de quase nada para se viver.



Autor: Professor Hugo Lapa

Do Facebook: Espiritualidade é Amor: 

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger