terça-feira, 9 de agosto de 2016

HISTÓRIAS DE UM VELHO MESTRE (03) - - O PEIXE AZUL - - Texto de Neo Cirne

Reunido com seus discípulos o Mestre observou que um deles estava muito triste, pois estava sendo criticado por desistir de um grande desejo. Disse o jovem ao ser indagado por que tamanha tristeza:

- Mestre, durante quase toda minha vida eu tenho pescado no Lago do Peixe Azul. Eu buscava pegar o 'peixe azul', um peixe que de tanta beleza deu nome ao lago, mas ele dificilmente aparece para os pescadores. Pegá-lo é praticamente impossível, mesmo assim eu tentava exaustivamente.

Sempre que ia para a escola eu levava comigo o meu caniço, com linhas novas, anzóis e iscas. Ao voltar da aula parava no lago e ficava uma hora tentando pescar o peixe azul, mas só pegava peixes menores, que levava pra casa e ajudavam na alimentação da minha família que é muito pobre. Sonhava com o momento de pegá-lo.


 Ontem, depois de 10 anos de tentativas frustradas, relaxei e levei um anzol com uma linha usada e frágil. Pensei: para pegar os peixes pequenos esse equipamento é mais do que suficiente. Mas, exatamente ontem, a pesca estava fraca, quando ia desistir e voltar pra casa, no último arremesso, senti a vara pular da minha mão. Imaginei, esse peixe pequeno é um dos mais fortes. 




Lentamente, fui tentando cansá-lo com o objetivo de trazê-lo à superfície. A vara não parava de envergar-se, ele brigou muito para sobreviver. De repente, num salto espetacular, o peixe azul pulou no ar, bem na minha frente, implacavelmente fisgado. Emocionei-me e gritei: - Custei, mas te fisguei! E vim o trazendo para o alcance da minha mão, ele pulava, saltava mostrando ao ar toda sua beleza. 
Nesse momento, senti pena do peixe e percebi que eu o amava e não queria matá-lo. Quando ele já estava ao alcance das minhas mãos, com delicadeza, saldei-o como se fosse o 'Rei do Lago', retirei com cuidado o anzol de sua boca. Olhei-o detalhadamente, ele era lindo, um ser divino e estava exausto. Reconhecendo que eu o queria vivo, pedi-lhe desculpa e o devolvi ao lago, mansamente. 
Ele custou a recuperar o fôlego, mas, voltando ao normal, saiu nadando rumo ao fundo do lago. 
Pude vê-lo indo embora, mesmo com lágrima nos olhos o meu coração ficou alegre... Voltei pra casa. 

Chegando lá, contei a minha experiência com o peixe azul para os meus familiares, que caçoaram de mim, me chamaram de mentiroso dizendo que o peixe azul era uma lenda que dizia que a quem ele aparecesse e se deixasse pegar, um dia se tornaria o rei daquela região.


O Mestre, após ouvi-lo atentamente disse: - Meu filho, se vais ser um Rei por que estás triste? Estou triste, pois sem querer machuquei um ser que eu amava e não sabia desse amor. Não estou triste porque não serei um rei, isso é bobagem.  

Percebendo que sua história era verídica o mestre, levou o seu discípulo ao Rei. Ele narrou-lhe a história, o jovem repetiu toda a façanha e novamente se emocionou. 
O rei tomou a palavra e disse: - Meu filho, o Peixe Azul é um espécime único, raro e valioso. Ele me foi dado por meu pai quando nasceu a minha primeira filha, e me fez prometer que mantivesse em segredo um pedido dele, feito a mim. Disse-me que, o dia que um pescador fisgasse o Peixe Azul e generosamente lhe poupasse a vida, eu deveria conceder a mão de minha filha, pois seria um homem íntegro capaz de ser um bom sucessor do meu reino. 


Meses depois, o discípulo casou-se com a princesa e foram muito felizes. Anos depois, o Rei faleceu e o antigo discípulo do Velho Mestre, tornou-se o rei. Sua primeira medida foi proibir a pesca no Lago Azul, para que fosse guardada a memória do 'Peixe Azul', o lindo espécime que, por seu intermédio, realizou seu sonho de desposar a moça mais linda do reino. Ele foi um rei justo e amado por todos.


 Conclusão do Velho Mestre:

Existem situações que por mais difíceis que sejam e de tanto a desejarmos incorporam-se as nossas vidas, tornando-nos melhores. É como um sonho bom várias vezes sonhado, um desejo recorrente ou um amor impossível que ficou na memória de um passado feliz. 
Na verdade, eles quando sonhos não existem. Mas, as suas forças são de tamanha intensidade que permanecerão vivas em nós, para sempre, pois nos fazem felizes. 
Tal qual o 'Peixe do Lago Azul', que trouxe felicidade ao pescador que preservou sua vida, nós nos tornamos melhores preservando nossos sonhos.




Texto de Neo Cirne
Colunista de UBAV

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger