quarta-feira, 24 de agosto de 2016

FALANDO DE AMOR (XXIII) - - COMO É BOM AMAR! - - Por Neo Cirne

COMO É BOM AMAR!




O sentimento mais especial da Vida é o amor, ele acende as nossas emoções para o dia que nasce. Ele nos reconforta na medida em que percebemos a sua presença rondando a nossa volta. O amor enche o nosso coração de esperança e vontade de viver. Viver sem amor é muito ruim. Sem ele, a vida perde a graça e a beleza.

Tantos poetas, pessoas comuns e pensadores já falaram de sua emoção maior. Tantas palavras falaram profundamente de amor, tantas atitudes bonitas foram realizadas em nome do amor. Com amor tudo pulsa de maneira diferente, os gestos eternizam-se. 

A emoção do amor não é um risco em forma de coração feito na areia do mar a espera da primeira onda. Ao contrário, o amor é o traço brilhante de um grande mestre em pintura, que apaixonado desliza com delicadeza o pincel sobre a tela nua e transforma a tela numa obra maravilhosa. A durabilidade de sua obra dependerá da intensidade da paixão que agregou à sua obra. 


Tanta gente boa deu exemplos perenes do que é o amor colocandondo-o em seus trabalhos. Músicos, compositores, cineastas, líderes sociais como Mahatma Gandhi, Martin Luther King Jr. e tantos outros. Muitos dirão: "Genial!"... "Este é um ser iluminado!". 
Sim, ele estava iluminado pelo amor que dedicava a sua obra. O Amor, é a nossa principal essência.

A vida sem amor não tem significado algum. Uma união sem amor está fadada ao insucesso. Na atualidade, por falta de um amor verdadeiro, é muito comum nos sentirmos desestimulados, tristes e meio perdidos. Um grande vazio invade a nossa alma, mas podemos, mesmo diante a uma perda ou decepção, redirecionar o nosso amor para outros elementos que necessitem imensamente de carinho. Cito como exemplo o amor à vida, ao planeta, à flora e a fauna. O direcionamento amoroso aos nossos animais de estimação. 

  Precisamos reencontrar nossa capacidade de amar as pessoas, a natureza e o mundo. Vemos que a infelicidade e o desânimo tornaram-se coisas comuns, democráticas em sua distribuição, pois muito poucos escapam deles. Tanto para os mais experientes quanto os mais jovens, é comum sentir a perda da empolgação nos detalhes recheados de desamor do cotidiano e da rotina.


Por medo de amar, as pessoas refugiam-se em seus espaços, saem pouco, escondem-se atrás de seus celulares, computadores ou tablets. Mandam mensagens mais curtas, simplificadas, falam de acontecimentos imediatos, fatos políticos, notícias de primeira necessidade (recheadas de 'emotions sem graça') e, assim, o Amor vai ficando de lado. E como o Amor é a chama que acende a vida, seu pavio vai se acabando, minguando, diminuindo sua intensidade, força e luz, até quase apagar. 

Porém, percebam que no fundo de nosso coração, há uma memória do amor, um resíduo sobrevivente e eterno. Ele não morre nunca e ainda é capaz de renascer das cinzas, como Fênix (pássaro lendário da mitologia grega que morria e depois de um tempo renascia de sua própria cinza). O Amor é uma sensação incrível, por isso, às vezes, mesmo desprezado, eu amo tanto.

Assim é o amor, quando é eterno não morre nunca, mesmo tendo seu lume enfraquecido ele é capaz de atravessar o tempo... Infindável tempo. O Amor é uma centelha divina que ilumina nossa caminhada durante a existência.
    
Quando o amor se esvai, percebemos que a Vida perde o sentido. Tem gente que não acredita mais em desejo, nem em prazer de viver a vida e muito menos no amor, tão necessário: são ateus do amor. Não acreditam mais no amor e vivem paralisadas ao sabor das possibilidades imediatas. 

Conheço pessoas que eram positivas, animadas, alegres e que, por qualquer motivo, tornaram-se chatas, desanimadas e tristes. Normalmente, há um forte motivo por traz dessa modificação de personalidade, como a perda de um ente querido, da saúde, de um bom emprego ou de um grande amor.

Só para vocês terem uma ideia, aqui em UBAV-BRASIL, no tempo em que possuíamos o Grupo de Oração, postamos duas matérias parecidas, mas com destinação diferente. A primeira chama-se ‘Oração para Conquistar um Grande Amor’ (com 10.000 visualizações) e, a segunda, ‘Oração para Esquecer um Grande Amor’ (com 150 mil visualizações - recorde do site). Viram a diferença? 

É, parece que o Amor perdeu o espaço nos dias atuais e não há mais interesse em encontrar um grande amor, a maioria reza para esquecer. Os dias de hoje não dão mais espaço para o romantismo. O romântico é visto como 'careta', 'ultrapassado' em virtude de conceitos impostos pela mídia. Precisamos ser mais fortes que a mídia, que as novas tendências sociais que nos afastam do Amor. 

Mude essa história de desamor, faça um gesto de carinho a quem você gosta. Abrace seus pais, seus filhos ou seu namorado, talvez eles se assustem, pois, atualmente até o carinho é coisa incomum. Ligue pra um amigo(a) que você queira bem e anda esquecido.


Um ‘Grande Amor’ e o ‘Prazer de Viver’ não são mercadorias baratas que se encontram em qualquer lugar, é necessário que haja paixão, este é o preço. Paixão tanto para desejo de Amar, quanto para o desejo de Viver.
  
 Com muito Amor no coração, neste lindo mês de Agosto, desejo um fim de mês bem feliz pra você e que, quando entrar Setembro, quando a Primavera abrir em flor, você abrace a possibilidade de resgatar o seu amor, que é lindo, assim como o meu e exclame: 
- Como é bom amar!



Tim-Tim!



Neo Cirne
Coordenador em ação social de UBAV-Brasil


Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger