quarta-feira, 17 de agosto de 2016

BOM DIA...TIM-TIM! - - ESPORTE: SUPERAÇÃO E RESPEITO - - O Comentário de Neo Cirne

Que bom que o mês de agosto nos proporciona grandes emoções esportivas capazes de nos fazer entender que vencer é muito bom, é a glória. Porém, perder com dignidade, vendo o atleta dar o seu melhor empenho e respeitar o adversário derrotado, mesmo que cheguemos às lágrimas, nos sentiremos reconfortados e esperançosos, capazes de repensar nossos erros e tentar novamente. Quem sabe, numa nova oportunidade nos superemos e alcancemos a glória de uma grande vitória.

Cito o tema 'Superação' para enfatizar a necessidade de acreditar sempre nas possibilidades, mesmo que tenhamos uma pequena derrota. A superação deve estar presente todas as horas do nosso dia. Nem sempre conseguimos tudo que desejamos. Frustramo-nos até com relativa frequência em todas as áreas da vida, seja no aspecto social, amoroso, político, profissional e esportivo, Porém, a nossa capacidade de superar e evoluir deve marcar a nossa caminhada. Nesse aspecto, tivemos vários exemplos na Olimpíada Rio 2016.

ROBSON CONCEIÇÃO
MEDALHA DE OURO
(BOX)
Atletas como o nosso boxeador medalha de ouro, Robson Conceição, determinado, não se deixou abater mesmo após a dois grandes reveses, sendo que na última olimpíada foi eliminado na sua primeira luta.

RAFAELA SILVA
MEDALHA DE OURO
(JUDÔ)

Tivemos outros casos de superação, como o da Rafaela Silva, nossa medalhista de ouro, que sofreu um duro golpe de tratamento racista, foi humilhada por algumas pessoas, passou por forte crise depressiva que quase a tirou do esporte, mas, corajosa, superou a má fase e ofertou ao Brasil uma linda medalha de ouro.

THIAGO BRAZ DA SILVA
MEDALHA DE OURO
(SALTO COM VARA)

Nosso medalhista de salto com vara, Thiago Braz da Silva, não foi diferente. Dentro de sua simplicidade, acreditou no seu potencial e afastou-se da família para realizar sua preparação, conseguiu vitórias importantes em algumas competições e, quando da disputa olímpica, deu um verdadeiro show de eficiência, simplicidade e dignidade, respeitando o adversário, o francês Renaud Lavillenie, que de uma forma indigna tripudiou do brasileiro antes do salto final e depois de perder, incrédulo, comparou o tratamento da torcida, por vaiá-lo, à atitude nazista das olimpíadas de verão de Berlim (1936) onde a torcida alemã, na presença de Hitler, vaiou Jesse Owens, o negro norte-americano que acabou com a supremacia da raça ariana, tão propalada pelo ditador alemão. Foi, no mínimo, uma comparação infeliz criticada até pelos jornais franceses, como o LE FIGARO.

Na entrega das medalhas, num gesto de grandeza e humildade o atleta brasileiro vencedor, Thiago Braz, aplaudiu Reinaud Lavillenie e pediu ao público para que respeitasse o atleta derrotado. O público, imediatamente, obedeceu.


Na hora do Hino Nacional Brasileiro, enquanto Thiago Braz cantava e prestava continência à bandeira, as lágrimas de Renoud escorriam-lhe à face, a TV registrou o momento (acima). Não sei se eram lágrimas pela emoção da derrota ou da vergonha de ter falado bobagem em seu desabafo. No mesmo dia, pela manhã, na disputa da maratona aquática, uma compatriota, Amelie Muller, nadadora, numa atitude desleal, ao perceber que não chegaria na segunda colocação, prejudicou a competidora italiana e bateu em segundo.


A brasileira, Poliana Okimoto chegou em quarto lugar. Esse resultado injusto prevaleceu por apenas 20 minutos, tempo suficiente para que a Comissão Olímpica, observasse o filme e desclassificasse a nadadora francesa por atitude antidesportiva. Poliana Okimoto ganhou merecidamente a sua medalha de bronze.


As Olimpíadas são assim, alguns ganham e muitos perdem. Quase todos choram emocionados, mas o mais bonito é constatar o fairplay e o abraço entre os concorrentes. Nas competições não podemos perder os nossos valores morais e um dos maiores deles é o respeito aos adversários. Este é o princípio da paz entre as nações. Nisso, o Brasil deu um show.

A festa olímpica está muito bonita, eu diria até emocionante. O Brasil está no momento em 15º lugar, com 3 medalhas de ouro, 4 medalhas de prata e 4 medalhas de ouro. Ainda temos muita chance de aumentar o nosso quadro de medalhas, que já é muito bom se lembrarmos que nas 'Olimpíadas Rio 2016' mais de 200 países estão competindo.

Parabéns atletas brasileiros!

Parabéns Brasil!

Tim-Tim!

Um Brinde ao Esporte!

Texto:
Neo Cirne
Colunista de UBAV-Brasil

Fotos:
Reproduções ilustrativas
e pessoais.