segunda-feira, 8 de agosto de 2016

BOM DIA TIM-TIM! - - ACONTECEU NAS OLIMPÍADAS - - O Comentário de Neo Cirne

 Meus queridos amigos, bom dia! Começo a semana falando da necessidade que temos de motivar nossos jovens para a prática desportiva, oferecendo-lhes meios capazes de realizar o desenvolvimento moral, físico e técnico. Ontem vivenciei, como expectador apreciador de futebol, alguns momentos que me deixaram triste, não pela atuação dos atletas brasileiros nas olimpíadas do Rio, que por sinal foi pífia, mas pela falta de motivação cívica. Não compreendo um atleta batalhar tanto para participar de um evento e chegar na hora de uma competição importante deixar de comparecer, empurrar o adversário para que saia de campo, puxá-lo do chão onde caído espera atendimento médico ou perder gol na 'cara do gol' chutando uma bola de canela. Acho que eles ainda não entenderam que representam uma nação penta-campeã do mundo, se apresentam de forma displicente e descompromissada com o sentimento de superação nacional. Temos excelentes jogadores no país, afinal, aqui é o país do futebol.

 Pior foi ouvir a declaração do atleta Renato Augusto ao canal Sport TV, disse ele: 
- A torcida não tinha razão de vaiar a seleção, pois ela tinha dado o seu melhor.

 Cruzes! Só faltou dizer que a culpa da fraca atuação foi da torcida. Uma coisa é certa, se aquilo que vimos ontem foi o melhor da seleção, já podemos nos considerar eliminados. 

 Está faltando qualidade técnica, organização tática e sentimento patriótico ao time brasileiro. A atuação da seleção brasileira de futebol, frente a fraca seleção do Iraque, foi ridícula e deixou frustrada a imensa legião de torcedores que estava ávida pela recuperação brasileira na competição. Lembro que na estréia fomos muito mal contra a seleção da África do Sul, outra seleção fraquíssima, a pior do grupo.  


 A atuação da seleção ressaltou a importância de valorizarmos o conjunto e não os atletas individualmente, pois o futebol é um esporte coletivo. Sabemos que todos aqueles jovens são atletas promissores, mas que no fundo estão preocupados com seus contratos em clubes europeus e na seleção, por encararem como uma vitrine e não um serviço à pátria, escondem-se em campo, fogem da bola dividida, erram passes e dão chutes a esmo.
 Todos estão jogando muito mal, pode até ser que nos classifiquemos ganhando da Dinamarca, o que é quase impossível, pois o Iraque tem muito mais chance em marcar mais gols na África do Sul do que o Brasil na Dinamarca. O critério de desempate é o saldo de gols. Ou seja, agora teremos de ganhar muito bem e torcer para que a seleção da África do Sul ganhe ou empate com a seleção do Iraque... Tá difícil!


 Comecei esse comentário falando do futebol, 'paixão nacional'. Por isso quero completar, enaltecendo as 'Meninas do Brasil', todas valentes, empenhadas e jogando limpo. O Brasil tem um time que joga bem da goleira à ponta-esquerda. Todas estão maravilhosas! 
As atletas brasileiras são um exemplo para a os jogadores da seleção brasileira masculina e, com certeza, por intermédio delas talvez consigamos a nossa tão almejada medalha de ouro olímpica. Parabéns meninas do Brasil!


 Vi uma charge no Facebook que achei perfeita, ela retrata a seleção feminina jogando de chuteiras e a masculina jogando de salto-alto. Vejam:




 Vamos procurar um outro esporte para torcer. No futebol, só o feminino. Pois, o futebol masculino, já era! Talvez, se continuarmos jogando essa bolinha ridícula, não nos classifiquemos nem para a próxima Copa do Mundo, em 2018. Não podemos valorizar tanto os jogadores que estão na Europa ou em outro continente. A seleção deverá priorizar os atletas que joguem no Brasil e que já tenham um entrosamento vencedor, capaz de formar a base de uma grande seleção.


 Conforme disse no comentário sobre a abertura das Olimpíadas Rio 2016, a nossa grande vitória foi construir o palco e dar segurança para que os artistas da grande festa, os atletas, vindos de todo o mundo, mostrassem a paixão pelas suas pátrias, o respeito pelos seus compatriotas e suas capacidades atléticas. Não faz mal se ficarmos com poucas medalhas, já que os investimentos no desporto no último governo foram pequenos se comparados a outras nações. 

 Esse desconforto de poucas medalhas, deverá ser um aprendizado para investirmos mais no futuro e não ficarmos apenas esperando que, tal como uma Flor de Lótus, surja um atleta acidentalmente. Precisamos estimular o futuro do desporto nacional e ensinar nossos jovens a respeitar os símbolos nacionais. É ridículo ver os atletas calados durante a execução do Hino Nacional. 





Parabéns Felipe Almeida Wu. Medalhista de Prata brasileiro, obrigado pelo seu desempenho, seriedade, amor à pátria e exemplo cívico.


 Boa semana a todos e boa sorte para os nossos atletas nas próximas competições da linda Olimpíada do Rio de Janeiro. Muitos recordes mundiais estão sendo quebrados e vemos alguns atletas brasileiros avançando nas etapas classificatórias. 

 Pra frente Brasil!


 Tim-Tim!


 Neo Cirne
 Colunista de UBAV

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger