segunda-feira, 11 de julho de 2016

A GRATIDÃO E O DINHEIRO - - Dica da Semana - - Por Neo Cirne

A GRATIDÃO E O DINHEIRO



Há muitos anos aprendi num curso de férias de uma universidade do Rio de Janeiro, o poder das palavras. De lá pra cá comecei a observar a influência das palavras na minha vida e na vida de alguns amigos. Era um curso de neurolinguística, muitas considerações e experiências foram realizadas ao longo daquele mês de curso e, ao final, a minha vida teve uma guinada positiva. Outras pessoas conhecidas, vizinhos e amigos próximos, resolveram fazer também aquelas aulas tão importantes para a vida e depois de um tempo nos reencontramos. Aqueles que seguiram a dica do mestre, viviam uma situação mais confortável do que outros que não foram pelo mesmo caminho.
Um dos muitos exemplos citados pelo mestre me chamou a atenção, embora, sem perceber, eu já o praticasse inconscientemente. O tema era a ‘Gratidão e o Dinheiro’.

“É somente através da gratidão que a vida se torna rica.”
Dietrich Bonhoeeffer (1906-1945) - Pastor Luterano


As palavras acima significam que ter gratidão é ser rico; lamentar-se é ser pobre. Essa é a principal regra que governa a nossa vida, seja na saúde, no emprego, nos seus relacionamentos ou suas finanças. Hoje quero falar sobre a gratidão e o dinheiro. Quanto mais grato você for pelo dinheiro que você possui, mesmo que não tenha muito, mais riqueza receberá. E, quanto mais se queixar sobre o dinheiro, mais pobre se tornará.
O mestre do curso citou como exemplo um exercício que achei interessante, pois induziu a todos, ao invés de se queixarem do dinheiro, a agradecerem pelo dinheiro que possuíam, mesmo que fosse pouco. Essa simples atitude tem o poder de duplicar as suas chances de mudar a sua situação financeira.


Dizia ele: Você vai substituir uma queixa, que o torna mais pobre, por uma palavra de gratidão, que lhe trará riqueza num estalar de dedos. A força destrutiva e construtiva das palavras é imensa. Por exemplo: uma palavra áspera, agressiva, direcionada a um filho que esteja interessado por algo ilícito, ilegal ou imoral, poderá aguçar-lhe o desejo, para impor a sua independência - postura comum aos jovens - de continuar trilhando o caminho ruim. A partir desse momento temos uma sensação de vazio, de incapacidade orientadora e de perda. Muitas vezes, pelo uso de uma palavra errada facilitamos a caminhada negativa de um filho. Ao passo que, pela boa conversa, pela aproximação, pelo exemplo e através de uma palavra construtiva conseguiremos reaproxima-lo de um caminho mais sadio e feliz.


A palavra tem uma força absurda, nós não imaginamos o quanto! É comum, quando os filhos são pequenos, em momento de desobediência, os pais repreenderem com xingamentos, castigos e violência. Isso gerará, em princípio, muita revolta dos filhos, que por submissão acalentarão sentimentos de raiva contra os pais. Por isso, é sempre bom ouvir os filhos, tentar entender seus motivos, para, a partir daí, posicionarem-se com uma boa orientação, com uma palavra positiva que resgatará o amor e a compreensão dos filhos. É poder das palavras.

Quanto ao dinheiro, a sua postura será fundamental. Muitas pessoas reclamam de forma constante de seus problemas financeiros e tudo que você fala repetidas vezes, o seu cérebro aceita como uma verdade absoluta. Devemos ter cuidado com as palavras negativas que proferimos, principalmente se forem autodestrutivas, o efeito maléfico será observado imediatamente, pois você é o receptor de sua mensagem.


Nós não nos queixamos só com palavras, mas também com pensamentos. A maioria de nós não tem consciência da quantidade de coisas negativas que passam pela nossa cabeça, ainda mais nos dias difíceis que vivemos, onde os maus exemplos e as notícias ruins invadem nossas mentes pelos telejornais. O mundo, socialmente falando, pode não estar uma maravilha, mas se cada um controlar suas atitudes e hábitos críticos, transformando-os em pensamentos e atitudes positivas poderemos diminuir a influência negativa que nos invade de maneira intensa.

Quanto às finanças, vou ensinar-lhes um truque aprendi: Quando você pagar uma conta qualquer, escreva no alto da conta duas palavras: OBRIGADO - PAGO. Quando você não tiver dinheiro pra pagar e tiver a impressão que a sua receita é maior que a despesa, você estará vivendo uma situação muito difícil, mas se você ficar reafirmando que está na pior, queixando-se das dívidas, você entrará numa sintonia ruim. Ficará, na verdade, se queixando do seu dinheiro, dizendo que ele é que nem 'cobertor de pobre' - você cobre a cabeça e os pés ficam de fora - queixar-se somente irá mantê-lo na pobreza.



Se você não possui dinheiro suficiente, a última coisa que irá fazer será agradecer, certo? Não... Errado! No momento que você agradece o seu cérebro entende que a crise é passageira e que você encontrará os meios de recuperar-se. Para alcançar a riqueza você deve ser grato por tudo. Até pelas contas que chegam, normalmente de bens e serviço.

Para ser grato por uma conta a pagar, pense nos benefícios que o bem ou o serviço que está sendo cobrado a você trouxe para sua vida. Se é uma conta de aluguel ou financiamento, seja grato por ter uma casa onde morar. Portanto, seja grato pelo senhorio ou pela imobiliária que lhe alugou a casa, caso contrário, a maioria de nós, que não possui seu imóvel próprio, estaria vivendo nas ruas; então seja grato pelo crédito que lhe foi concedido e busque, pensando positivo e com alegria no coração, uma forma de adequar a sua receita à sua despesa.


Conheço uma pessoa que mora de aluguel, numa casa luxuosa, com piscina numa zona nobre do Rio de Janeiro, com a crise que o país atravessa, as finanças pioraram muito. Com pensamento positivo e coerência, ela mudou-se para uma casa não tão luxuosa diminuindo a despesa em quase três mil reais. 
Agradecida pela iniciativa que tiveram a família se uniu mais ainda para superar o momento difícil, mas, para quem antes via um futuro negro e cheio de dívidas, começar a ver uma luz no fim do túnel é uma maneira positiva de encarar a realidade e ter uma folga financeira.

O nosso país passa por esse momento de endividamento, e será necessário a todos os moradores dessa casa grande, que abriga mais de 200 milhões de moradores, que apertemos o cinto e nos adaptemos às novas condições, que serão passageiras. Precisamos confiar e acreditar nas possibilidades, elas existem.


Portanto, ao pagar uma conta, escreva nela: “OBRIGADO - PAGO” e para as contas que não conseguir pagar, renegocie, procure a instituição para entrar num acordo, mas sempre de cabeça erguida, sabedor que o dinheiro é seu amigo e, portanto, se ele é seu amigo verdadeiro, ele não deixará você na mão, desde que você o trate bem, usando-o com parcimônia e atenção.

Trate bem do seu dinheiro, na medida do possível, depois que a situação estiver regularizada, adquira o hábito de poupar, pelo menos, de 10 a 20% do que ganhar, logo terá mais conforto financeiro para tomar algumas decisões que esteja retardando por falta de grana, como um bom passeio num fim de semana ou trocar alguns itens de sua casa. Mas, lembre-se: não saia por aí esbanjando! Vá com calma e administre bem o seu dinheiro.


Essa é nossa dica da semana!


Ter gratidão pelo dinheiro que possui. Tudo vai dar certo!

Tim-Tim!


Neo Cirne

Colunista de UBAV-Brasil