quarta-feira, 29 de junho de 2016

Neo Day - - O Difícil Jogo da Vida - - Texto de Neo Cirne

Neo Day 
- Mensagem para um novo dia feliz -



O Difícil Jogo da Vida

- Texto de Neo Cirne -



Dia nublado e muito frio na região sul do país. Por viver sozinho, acordei e fui metendo a mão na água gelada preparando o café e lavando a louça da manhã. Fiz minha oração matinal pedindo pelos meus amigos enfermos, escrevi esse texto breve, depois um banho gostoso e rua. Fui ao banco raspar os últimos trocados da poupança... 110 reais. Dinheiro que possuo pra viver até o pagamento... Dias difíceis de uma herança ruim do último governo! O país tenta se recuperar. Tá difícil, mas sei que tudo isso é transitório e que em breve ele se recuperará e viveremos dias de luz.


Meu lado social anda igualmente difícil. As pessoas que eu gosto muito moram distantes, longe da minha cidade. Meu amor transformou-se numa grande ilusão que me arremessou a uma tristeza sem fim, que até hoje tento superar. É ruim dar o nosso melhor sentimento a quem não merece receber. Enganos e perdas acontecem na vida, mas tenho que reconhecer que alguns enganos são semelhantes a uma boa rasteira, daquelas de um bom capoeirista (faixa-preta). O tombo dói demais!

Pra me proteger e mesmo sem desejar, passei a morar com a tristeza, com a saudade e com a dor de uma doença óssea que me consome em fogo brando, sem deixar porém a alegria de viver. Infelizmente, sei que não tenho mais tanta perspectiva de futuro. Acho até que o tempo anda me olhando com a 'cara feia'. Mas, eu sou chato, sorrio pra ele, tal qual a tradução da música 'Smiles', de Charles Chaplin, e vou 'Tocando em frente', andando devagar... Tal qual a música de Renato Teixeira e Almir Sater, lembram? Gosto do trecho que ela diz: É preciso Amor pra poder pulsar... É preciso Paz pra poder Sorrir... É preciso chuva para Florir... Lindo, não?

  Acho que envelhecer é chegar ao futuro driblando todas as profecias, dissabores, rasteiras e sustos que levamos na vida. Assim, vamos seguindo, nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar (lembrei Elis). A maioria das pessoas perde um pouco a capacidade de sonhar, de acreditar nas pessoas e de fazer novos planos quando sofre grandes decepções. 


Não é um 'tolo' quem envelhece fazendo planos futuristas para seu gozo pessoal, ele sabe que o tempo é curto e que, fazendo o melhor, poderá ser feliz amplamente, mesmo que seu prognóstico sobre o curto tempo seja verdade, ele deixará um legado positivo para melhorar o futuro das pessoas, por isso será lembrado.

É válido sonhar com o futuro... Caso contrário, é perda de tempo sonhar egoisticamente, com resultados que só beneficiem você. A gente não sabe o quanto resta do nosso precioso tempo, não é verdade? 

 O meu tempo está logo ali, na competição da vida, vejo-o como um ser implacável, olhando para o relógio e, de vez em quando, olhando pra mim... Acho que ele anda louco pra me tirar de campo... Putz, logo agora que eu ia marcar um gol de placa? Pensei. 



Eu quero muito marcar esse gol. Não importa se terei de sair de campo. Entrar e sair faz parte do jogo da vida, que é como uma partida de futebol. Tem horas que você é o craque, aplaudido por todos, até pelos adversários, como é o caso do Messi, jogador da seleção argentina, que anunciou essa semana sua despedida da seleção, continuando sua carreira somente no Barcelona, time espanhol. Messi é um grande jogador, mas, tem horas que você que joga o 'jogo da vida' deixa de ser um craque e faz seus garranchos. Às vezes, você  se transforma numa bola, sendo implacavelmente chutado por todos. Não lhes passam a bola e não ouvem o seu clamor para o time jogar melhor... Interessante essa comparação.


Realmente, na vida não importa quantos 'gols de placa' nós tenhamos marcado e nem o quanto você tenha jogado bem. A hora da saída de campo sempre chega, seja para o bola-cheia ou para o bola-murcha. Essa é uma partida diferente, não tem hora pra acabar. Tem hora para você pendurar sua chuteira e transformar-se num expectador, sim, pois o jogo da vida continua, no campo ou fora dele, a vida é eterna, gente!


É claro que queremos fazer mais um gol... Outro mais e mais outro... Ninguém, em sã consciência, deseja sair de campo, só os desesperançosos ou os loucos, pois viver é muito bom. Eu não sou louco e tenho muita esperança na vida! A ela eu brindo diariamente e por ela jogarei até o meu último minuto, e, estando em campo, incentivarei meu time a jogar bonito, fazendo o seu melhor. Pois, é isso que faz a vida bela, 'o querer jogar bonito', valorizando o espetáculo e não simplesmente ficar preocupado com a entrada ou saída de campo de qualquer um, mesmo que sejamos nós. Jogue bonito, como se fosse o seu último jogo. Dê o seu melhor, o seu técnico e a torcida aplaudirão você.
Sei que o meu técnico, aquele que me orientou a jogar desde que comecei a minha preparação para entrar em campo, ainda no ventre da minha mãe, tem o nome começando com a letra D (e não é Dunga!)... 

O nosso técnico é o mentor, o criador, o benfeitor maior e o dono do jogo. Cabe a Ele dizer quando devo entrar e quando devo sair de campo. Se Ele achar que estou cansado, que a minha missão está completa, Ele me convocará para assistir o jogo em um 'Plano Mais Alto', acredito. Talvez na 'Arquibancada da Vida' ou 'Plano Superior'. Lá estarei cercado de amigos que já cumpriram o seu papel e que me receberão bem. Mas, até que essa decisão final do Grande Mestre aconteça, continuarei jogando o jogo da vida e ficará a cargo d'Ele se devo sair ou não e de onde assistirei... O nome do meu técnico, gente, é Deus, o Criador dessa maravilha de jogo que chamamos "Vida".

A vida é uma competição difícil, um espetáculo belíssimo, um show intenso e maravilhoso e, convenhamos, o show tem que continuar!

Lá da 'arquibancada da vida', onde um dia estaremos todos, continuaremos aplaudindo com entusiasmo os nossos amigos que continuarem em campo, empenhados em jogar bonito, fazendo da vida um momento de amor, solidariedade, êxtase e glória. Um jogo bom de ser apreciado e merecedor de muitos aplausos. 


Tudo tem princípio, meio e fim. 
Faça o seu melhor agora e seja feliz agora e sempre.


Tim-Tim!




Neo e Dona Francisquinha 90 anos
uma sonhadora catadora de papel
da cidade de Araucária/PR.
Neo Cirne
Colunista de UBAV

~~0~~

TOCANDO EM FRENTE


Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger