sexta-feira, 13 de maio de 2016

BOM DIA TIM-TIM! - - FRAGMENTOS DE ESPERANÇA - - O comentário semanal de Neo Cirne

Queridos amigos, bom dia! Após uma semana intensa e recheada de decisões que mexerão com a sociedade brasileira, voltamos a escrever. Desta vez, o nosso comentário é voltado à tênue esperança brasileira. 

Imaginemos que moremos num prédio que, tal qual no Equador, tenha ruído em virtude de forte abalo sísmico. Imaginemos também, que neste cenário, tenhamos escapado a tempo, salvando nossas vidas. Quando voltarmos ao local em ruína buscaremos encontrar nos escombros alguns pertences, documentos ou algo que possa nos facilitar a vida. Quase sem esperança rebuscamos nossos pertences soterrados ou esparramados em meio aos entulhos do desmoronamento. Pouco encontraremos, mas não perdemos a esperança no futuro. 

A maioria morará temporariamente em barracas de campanha, compartilhará espaços com outras famílias até reconstruir novas moradias. No meio da organização improvisada das barracas, observamos as crianças brincando. São brincadeiras simples, lúdicas, machucadas talvez, mas que buscam uma socialização importante, a socialização com com outras crianças. 
De certa forma, olhar as crianças brincando, mesmo em condições desfavoráveis, ameniza a nossa dor da perda material. 'As crianças são as grandes pesquisadoras do universo. Desde que nascem, seus cérebros em desenvolvimento, buscam uma identificação com o espaço, que antes era limitado ao ventre materno. Através de suas esperançosas experiências pessoais, elas sorrirão e transmitirão alegria, mesmo no período que sucede ao grave momento. Isto ocorre porque as crianças confiam em seus pais, confiam nas pessoas, são otimistas. fantasiam mais a vida e assim, vão seguindo a doce caminhada infantil transmitido luz. As crianças são o próprio futuro luminoso, por isso devemos cuidar delas com muito amor e carinho. 


Ainda dentro dessa reflexão, posso citar a 'tragédia de Mariana/MG', que abalou muito a região que abriga o Rio Doce, o rio mais importante dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Quanta dor, quantas perdas, quanta decepção com a irresponsabilidade de empresas que exploram o solo da querida Minas Gerais. 
Serão necessários muitos anos para a recuperação daquela maravilhosa região. Quanta dor eu vi recentemente no olhar daquele povo sofrido, mas, em momento algum eu vi a perda da esperança na palavra do povo. Mesmo com a demorada ajuda da empresa responsável pela catástrofe, mesmo com o apoio e solidariedade do povo brasileiro a tristeza dos mineiros e capixabas aumenta muito quando olham a cor ferruginosa, vermelha, que lentamente tenta matar o rio. Em agonia ele leva os rejeitos férricos da barragem até a sua foz. Eles sabem que a água do rio Doce representa a vida pra eles.

Nota-se que para a população ainda restam fragmentos de esperança e ela consubstancia-se em muito trabalho, paciência, fé e união de todos.

Assim, nós vemos, o atual momento de troca de rumo político da nação. É certo que vivíamos um descompasso entre a realidade e o sonho de um projeto de poder, que não é de uma pessoa, e sim de um movimento esquerdista internacional, que já tomou boa parte da América do Sul. 

As pessoas sonhadoras tendem a sacrificar suas economias para conquistar seus sonhos. Porém, há necessidade de serem realistas para não se prejudicarem e nem, tampouco, prejudicar uma nação inteira. O segredo dessa vida é administrar de maneira equilibrada os sonhos e os deveres, assim, manteremos viva a esperança, a ordem e o progresso. 


Ao novo governo temporário restou o ônus de pegar uma nação inadimplente (com um rombo superior a 100 bilhões de reais), um povo sofrido, desassistido e um horizonte econômico que possui a cor cinza-escuro e tentar, num curtíssimo prazo, dar-lhe governabilidade, atenuar a falta de perspectiva, aumentar a confiabilidade econômico-social. 



Não conseguiremos nada, se não estivermos unidos, tal qual os sobreviventes equatorianos ou os brasileiros moradores da região do Rio Doce. Eles, como nós, não irão perder a esperança. Talvez soframos no início para colocar a vida num patamar mais tranquilo, mas, tenham fé, nós conseguiremos. 


A nossa esperança não morreu, sobrou-nos os fragmentos de esperança que nos darão força de superação e novos sonhos para sonhar. A vida é maravilhosa, mas também é um desafio permanente. Com certeza, o nosso desafio é superar esse momento ruim de desemprego, de falta de perspectiva, de falta de saúde... De caos.

Força, meus amigos! Nesse processo de reconstrução nacional cada um de nós terá a sua parcela de responsabilidade. Não precisamos de 'muros' e nem de 'divisões sociais', necessitamos urgentemente de 'pontes' que possam ser capaz de unir as pessoas, aproximar os contrários com o pensamento voltado ao futuro. Afinal, sobrou-nos a alegria e com os 'fragmentos de esperança' que restaram reconstruiremos o Brasil. 


Bom Dia!

Neo Cirne
Colunista de UBAV

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger