domingo, 10 de abril de 2016

“Sorria, meu bem” - - - Um estímulo ao seu sorriso - - - Artigo de Eugênio Mussak / Apresentação de Neo Cirne

“Sorria, meu bem”
- Dos filósofos gregos aos cientistas de nosso tempo,
Todos dizem a mesma coisa: o bom humor é fundamental -



Sócrates preconizava o humor e era bem-humorado, ao contrário de Platão, que considerava o riso um sinal de fraqueza de caráter. Platão abriu uma escola. Sócrates ensinava na praça. Foi acusado de subversão dos costumes, preso e levado ao suicídio compulsório. Disse o juiz:

- Você está condenado à morte.
Com a calma dos sábios, Sócrates respondeu:
- Grande coisa... O senhor também.

Esses dois gênios mostram que não existem pessoas bem ou mal-humoradas: há as que permitem ser humoradas e as que não permitem. E, se temos o direito de escolher entre a graça e o tédio, há boas razões para preferir a primeira: a ciência e a sabedoria dos antigos, mas principalmente nossa própria experiência, ensinam que precisamos do humor para o equilíbrio físico, mental e espiritual. Mesmo se estivermos condenados à morte.

Os antigos usavam a palavra “humor” para designar os líquidos do corpo que estariam ligados à saúde da pessoa e, como consequência, a seu estado de espírito. Hipócrates os estudava. Segundo o pai da medicina, os quatro humores circulantes eram o sangue, a fleuma, a bílis amarela e a bílis negra. Do equilíbrio dos quatro dependia o equilíbrio do corpo, a saúde. Como a saúde do corpo interfere na condição psicológica da pessoa, foi natural que se estabelecesse rapidamente uma relação entre os humores e o comportamento. Uma pessoa alegre, de bem com a vida, estava bem com seus humores. Era, portanto, uma pessoa bem-humorada. Pronto, de Hipócrates a Patch Adams em dois parágrafos.

Este último médico que se tornou famoso - originando até um filme, interpretado por Robim Willians - por acelerar dos pacientes em hospitais, especialmente crianças, com resultados comprovados. Patch Adams conta que adotou um temperamento alegre depois de ter sido internado como depressivo. Chegou à conclusão de que tristeza ou alegria podem se resultados de decisão pessoal.

Até os notórios mal-humorados, como Freud, estiveram preocupados com o tema. Em 1905, ele publicou um livro chamado ‘Os Chistes e sua relação com o inconsciente’ (Imago), com estudos sobre o humor, a comédia e o gracejo, utilizando os princípios gerais da psicanálise. Freud acreditava que nossos sonhos seriam a manifestação das  ideias latentes, que se apresentam com imagens um tanto diferentes da realidade - e às vezes cria até uma caricatura dela. No livro, o psicanalista afirma que o humor usa as mesmas ferramentas que utilizamos para construir o sonho. E que tanto o sonho quanto o humor são necessários para aliviar tensões internas e descarregar energias destrutivas...


* Autor* 

O autor desse artigo, Eugênio Mussak, é um escritor brilhante que participa das revistas Vida Simples e Você S/A, da Editora Abril. O artigo acima foi publicado no livro “Uma coisa de cada vez” - atitudes para viver melhor, da Editora Gente. 

Dr. Eugênio Mussak é médico e palestrante de grande qualidade. Ele inclui em seu artigo uma frase que não é de sua autoria, mas que achou interessante citar:


“O sorriso e o motivo para sorrir estão sempre juntos, 
não importa qual dos dois chegou primeiro” 




COMENTÁRIO UBAV-BRASIL

Selecionei este artigo para enfatizar a necessidade de mudar um pouco os nossos sonhos, atualmente pessimistas, verdadeiros pesadelos. Compreendemos o momento difícil que passamos, mas entendemos que temos que acreditar em nossas possibilidades, principalmente na hora de escolher um novo emprego ou trabalho. Não podemos deixar que situações indesejadas roubem também a nossa alegria. 

Deus nos deu tantos dons, então, para sair da crise, desenvolva-os e aprimore-se. Quem sabe não descubra um caminho mais rendoso e que você possa ser mais feliz. Sei de pessoas que eram médicos, dentistas, advogados e professores que mudaram radicalmente suas profissões, vestiram seu melhor sorriso e foram à luta. Com muita confiança e determinação tornaram-se pessoas realizadas. Acredite, tudo é possível.

Apesar dos problemas atuais não devemos viver um período prolongado de desesperança e mau-humor, ficaremos doentes. Por isso, faça como diz a canção SMILE, da autoria de Charles Chaplin, interpretada por Djavan, ótimo cantor brasileiro, na versão em português ele diz: 

Sorri, vá mentindo a sua dor e ao notar que tu sorri todo mundo irá supor que és feliz.


Amigo, ouça a canção do Youtube e lembre-se que o seu sorriso é capaz de contagiar o mundo enchendo-o de Felicidade. Vamos ser felizes, mesmo que muitos não queiram.




Bom Domingo!

Tim-Tim!

Neo Cirne
Colunista de UBAV-BRASIL

Fotos: 
1) de UBAV BAHIA
2) de magnunpalestras.com.br
3) Vídeo da música Sorri/Djavan/CD Djavan Malásia


Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger