sexta-feira, 11 de março de 2016

MITOS E VERDADES... SOBRE QUEDA DE AVIÃO - - - (INFORMAÇÃO) - - Neo Cirne


MITOS E VERDADES... SOBRE QUEDA DE AVIÃO 



  Conheço muita gente que não gosta nem de ouvir falar em avião. Uma grande amiga que morava no Rio, tinha este temor, por outro lado possui imensa vontade de conhecer o nordeste brasileiro. E, convenhamos, a viagem é muito longa para ir de ônibus do Rio de Janeiro até Natal, trajeto que se faz em três horas de voo. Mesmo com muitas oportunidades para viajar de avião, ela sempre recusou. Até que um dia eu fui morar em Recife (1996). Sabendo que eu ia rodando de carro, levando minha mudança e cruzando lugares belíssimos, ela quis ir junto e me ajudar a decorar meu apartamento. Ela era só, estava de férias e adorava decoração, seria muito útil durante a longa viagem. Finalmente, partimos. Foi uma grande e animada viagem. 

 Optamos ir pelo litoral, curtindo as praias, foram 07 dias de viagem. Num percurso normal, direto, seriam apenas dois ou três dias. Ela passou 8 dias em Recife e me deu uma grande ajuda, ajeitou as cortinas, aplicou patina numa mesa velha e quatro cadeiras, deixando-as novinhas, foi num brechó e escolheu peças lindas e por um preço barato, que deram um tom especial ao meu novo lar. Como forma de agradecer a gentileza comprei para ela uma passagem aérea, para o Rio, para que não se cansasse muito na viagem de volta.

Para minha surpresa ela ficou triste, estranha e disse que não podia aceitar, pois tinha medo e viajar de avião estava além do seu limite de aceitação. Desmarquei a passagem e ela viajou de ônibus. Dois dias de uma viagem que, segundo ela foi adorável. Ela possuía um bom humor invejável e era uma amiga maravilhosa. Lembro com carinho de Suely Pacheco, uma amiga inesquecível.


Comecei este comentário para dizer que existem muitos mitos e verdades sobre queda de avião. Não é só ela que possui medo de voar, poderia citar o Técnico e ex-jogador de futebol tetra-campeão do mundo, Zagalo. Seu medo de viajar de avião era imenso, gerando muitas brincadeiras e comentários interessantes a respeito.


Apesar dos acidentes aéreos serem trágicos e ganharem muito destaque nas páginas dos jornais, eles são muito difíceis de acontecer. Segundo o instituto de Massachussets (MIT), as chances de uma pessoa morrer durante um voo é uma em 90 milhões. Isso quer dizer que você pode voar pelos próximos 250 mil anos sem sofrer um acidente. Mas essa estimativa ainda não convenceu, confira a lista com os mitos e verdades sobre quedas de avião:

A Turbulência pode derrubar o avião?
As turbulências podem ser muito assustadoras, mas não há o que temer, ela dificilmente causa acidentes aéreos. Na verdade é praticamente impossível que apenas a turbulência seja capaz de derrubar um avião.

Celular pode causar acidente aéreo?
Em teoria isso pode mesmo acontecer. Porém, de acordo com testes feitos até o momento, as possibilidades de um acidente causado pelo celular são quase nulas.

Não abra a porta!
De vez em quando, vemos nos jornais casos de passageiros que desesperados tentam abrir a porta da aeronave durante o voo, mas ela não abre. Isso se deve à forma de como a porta da aeronave é construída. Depois de fechada, ela possui extremidades maiores que a abertura, o que torna mais difícil alguém abri-la, por acidente ou com pouco esforço. Quando a aeronave começa a taxiar, a pressurização dentro da cabine sela a porta fechada e a torna mais difícil de ser aberta.

E se o avião for atingido por um raio?
Tecnicamente, um raio pode, sim, derrubar um avião. Mas as chances para que isso ocorra são extremamente raras. A fuselagem de um avião funciona como uma gaiola de Faraday, protegendo não só os equipamentos eletrônicos existentes no avião, mas também a tripulação e os passageiros.

Acidentes aéreos são sempre fatais?
Existem muitos sobreviventes de desastres aéreos que nnão deixam esse mito persistir. Pesquisa realizada pela National Transportation Safety Board analisou todos os acidentes ocorridos no período de 1983 até 200. Das 53,4 mil pessoas envolvidas em desastres aéreos, 51,2 mil sobreviveram.

Posição de queda ajuda?
Em pousos emergenciais, seja em terra ou em água, o passageiro deve adotar a posição de queda (ou de impacto), conhecida em inglês como brace position, que já salvou muitas vidas. E um dos casos mais recentes foi o do voo da US Airways 1549, que fez um pouso forçado em pleno Rio Hudson, em Manhattan. Na ocasião, todos respeitaram a posição de queda e as 155 pessoas a bordo sobreviveram sem ferimentos graves.


Este comentário serve para alertar que passeios de bicicleta podem ser mais mortais do que viajar muitos quilômetros de avião. Deixe o medo de lado na sua próxima viagem e vá de avião. Aproveite para curtir o tempo que sobrar.

Bom dia!

Tim-Tim!


Neo Cirne
Colunista de UBAV

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger