terça-feira, 15 de dezembro de 2015

LIRA POÉTICA - - A POESIA É ALGO RARO NUM MUNDO SEM AMOR - - Por Neo Cirne


 Hoje quero falar da poesia, por sentir a falta imensa do lirismo poético no meu dia a dia. A poesia alimenta o amor, deleita os olhos e acalma os corações. Não dá pra viver sem poesia e muito menos sem amor.

 Vivemos dias sombrios, onde as notícias catastróficas invadem as horas do dia roubando-nos a paz, a sensação mais desejada que possuímos. Só os loucos e os insensatos desejam as notícias horrorosas que vem das ruas e de governos irresponsáveis, compromissados com o mal. Desejamos a paz. 

 A poesia pode ser romântica, contextual, lírica, narrativa, dramática, enfim, a poesia é democrática. Todas possuem uma singularidade, nos fazem pensar. Refletir as ansiedades, conselhos e vivências poéticas expressas pelo autor das poesias e poemas nos fazem muito bem. É como a velha revista de Palavras-Cruzadas, exercita o nosso pensamento e mantém a mente sempre jovem. Por isso, não podemos nos afastar do pensamento poético e muito menos do amor, que deixam o nosso coração otimista e jovem.


 Em virtude do excesso de notícias ruins e das difíceis previsões para os próximos anos. As pessoas estão cada vez mais distantes e tímidas. Com o advento da veloz tecnologia informativa, ficamos cada vez mais tristes e com menos esperança no futuro. Ontem, vi na TV, uma declaração do Presidente Barack Obama, ao lado de um grupo de autoridades civis e militares de seu país. "Ele agradeceu o engajamento de alguns países no combate ao terror, mas não descartou a possibilidade de haver um novo ataque terrorista em solo americano, como o de San Bernardino, dias atrás".

 Lutar contra o terror é difícil, pois os terroristas são anônimos e não tem amor à vida. E eles alastram-se pelo mundo e graças à internet alardeiam suas falsas verdades islâmicas. Sabemos que o islamismo é uma bela religião, mas interpretada por marginais e oportunistas torna-se um prato cheio para quem não tem um caminho correto a seguir.

 Donald Trump, candidato republicano às próximas eleições norte-americanas, talvez tenha sido mal interpretado quando pediu o encerramento parcial da internet, para diminuir a influência terrorista. No fundo, mesmo que nos doa a falta da internet, sabemos que os terroristas fecham-se em grupos, aliciam jovens e transformam crianças em armas mortais,usando principalmente a internet. Assim, o mundo fica muito vulnerável. 

É difícil combater esse triste quadro, mesmo com tanta perspectiva ruim, não podemos perder quatro coisas:  A FÉ - A ESPERANÇA - O AMOR e A POESIA. Pois, todas nos darão força e capacidade de superação de qualquer obstáculo que ocorra no futuro. 


 Homens importantes, como os presidentes de grandes nações ocidentais sempre serão alvos do terror. O nosso querido Papa Francisco, por exemplo, que é um "Peregrino de Deus", um homem generoso, atuante e corajoso, sem dúvida pode ser um dos primeiros alvos dos calhordas do EI. Ele, muitas vezes, abre mão de sua segurança e vai de encontro ao povo, rompendo os limites mínimos de segurança. Ele se expõe demais. Lembro, que o Papa João Paulo II, cercado de toda segurança, sofreu um atentado terrorista no dia 13 de maio de 1981, em plena Praça de São Pedro, no Vaticano. O Papa quase morreu. O criminoso pegou prisão perpétua, mas quando ficou melhor, João Paulo II, num gesto de bondade e perdão, pediu para que fosse retirada a acusação de tentativa de homicídio e o criminoso foi deportado para a Turquia.

Imaginem, então, a influência maléfica, que uma legião terrorista, como este Estado Islâmico, pode fazer a mundo. Qualquer um, em qualquer parte do planeta, poderá ser atacado. Por isso, todo cuidado é pouco. 
Imaginem, se algo acontecesse ao ao Papa Francisco, seria uma tragédia. A afirmação do poder do mal, temos que nos unir em oração para que as forças do Bem vençam a legião do mal. 



Mesmo que nos doa muito sorrir, ler uma poesia ou cantar uma canção romântica, sorriam, leiam, recitem um poema e cantem, pois, no mínimo, vocês estarão fazendo bem a vocês mesmos e preparando seus espíritos para receberem de volta o positivismo, a santa alegria e a glória de sentirem-se os legítimos filhos de Deus, pois o resto, este lixo islâmico que atormenta o mundo, não são filhos de Deus Pai, o Criador da Humanidade, são filhos da sombra maligna, que se escondem como ratos e que tanto sofrimento trazem à humanidade.  

Retornamos com a coluna "Lira Poética", com muita alegria. Ela trará um pouco de FÉ, ESPERANÇA E MUITO AMOR aos nossos corações. Selecionamos uma poesia bem bonita para vocês no dia de hoje:

A poetisa em destaque é Mariana Felix, ela publicou sua poesia na CASA DO POETA BRASILEIRO, um endereço bem legal para você curtir no Facebook.




DESUMANISMO
Você pensa que me vê
Mas é pura ilusão
Eu estou em muitos lugares
Ao mesmo tempo
Norte, sul, leste, oeste, infinito
Eu sou aquele que caminha
Pela imensidão
Sou maltratada, pisoteada
Me prendem, amordaçam, violentam
Matam, escorraçam...
Eu sou como uma violeta
Que precisa de cuidados Especiais
Para sobreviver...
Eu sou o que de mais bonito
Existe debaixo do céu...
Eu sou a cor que você mais gosta
Eu tenho o cheiro mais gostoso
Eu sou a música melodiosa
E o toque mais afetuoso
Eu estou na fauna e na flora
E insisto em estar nos humanos
Eu sou o canal entre o céu e a terra
Eu sou a única arma contra
O desumanismo...
Vocês precisam me conhecer...
- Prazer, eu sou o Amor!!!
(Mariana Felix)

COMUNICADO:
Durante o nosso período de férias, daremos um espaço especial para as artes, poesias, roteiros de viagem, crônicas interessantes. O comentário de hoje, que precedeu à poesia do dia foi elaborado tendo por base os acontecimentos diários e as previsões sombrias que invadiram o planeta. 

Precisamos estar atentos e fortes contra a impregnação de notícias ruins que sufocam o povo brasileiro. Por isso, daremos um enfoque maior para notícias positivas e amenas, mesmo que, por precaução, tenhamos que explicar as características do mal, como este que atualmente espreita a humanidade. 
Fiquem com Deus e tenham uma linda semana!
Tim-Tim!

Neo Cirne
Fundador e Colunista