segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

FÉ, DEMAIS, NUNCA FAZ MAL - - A mensagem da semana - - Por Neo Cirne

“FÉ, DEMAIS, NUNCA FAZ MAL”


- Por Neo Cirne -

Desde que o homem apareceu na Terra houve necessidade dele acreditar em alguma coisa, numa força superior. Por pertencerem ao reino animal viviam em grupos. De forma simples e impunham a ordem através da força. Com o passar do tempo foram observando a vida de forma mais ampla e pensavam, assim como nós, nos dias atuais, como é lindo este planeta. Deste questionamento surgiu a pergunta: - Quem criou o céu, as montanhas, as matas, as planícies, os rios e o mar? Para eles, no princípio, tudo era novo e belo. 

Percebiam que a natureza não podia ser fruto de mãos humanas, então, novamente se perguntavam: Quem ou o que foi responsável pela criação? Não sabiam. Não havia uma resposta convincente. Pensaram, já que não temos a resposta, vamos criar uma história que possa facilitar o entendimento das pessoas e que permita ao grupo social dominante impor a ordem e a sua política.


Na era pré-histórica surgiu a arte rupestre. Nas paredes das montanhas e grutas, onde o bando habitava, pintavam a história, deixando para a humanidade um relato de seus sonhos e necessidades diárias. As primeiras pinturas datam de 10 a 12 mil anos atrás. Período que condizia com o fim do período neolítico e paleolítico.


Em muitas pinturas, figuras exóticas podiam ser encontradas, como naves espaciais e seres que, hoje em dia, assemelham-se aos astronautas. Não há como contestar, existe evidencia científica que torna verídica que a pintura rupestre era uma manifestação muito séria dos povos antigos. Arqueólogos e pesquisadores descobriram, aos poucos, a nossa história primordial. Os petróglifos fazem parte da arte rupestre, são imagens construídas na rocha, geralmente por povos pré-históricos. Eles foram uma importante forma de símbolos, numa pré-escrita. Ela foi utilizada na comunicação de aproximadamente 10 mil anos atrás, e vem assim até os tempos modernos, dependendo de sua localização. Alguns povos, mais isolados, fazem de seus petróglifos, a sua manifestação artística e cultural.


O aparecimento da aerografia, um processo onde se misturam o ar e a tinta, produzindo um jato sobre a superfície a ser pintada, trata-se de uma técnica que existe desde a pré-história, serviu para o homem exprimir na pedra os seus costumes e crenças. Existem muitos aeróglifos nas cavernas de Lascaux e Cosquer, na França, onde existem inúmeras mãos pintadas nas paredes.




O tempo passou... Necessitando colocar ordem na casa, o Rei Hamurabi, da Babilônia, escreveu um código, com símbolos e escrita cuneiforme, com 282 artigos e que, por superstição da época, foi suprimido o artigo 13. (daí, talvez, provenha o receio permanente com o número 13). 


O código baseava sua ação na Lei de Talião - OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE - quem causava qualquer injúria a outro deveria pagar da mesma forma. Os ladrões e corruptos perdiam as mãos. Uma forma considerada bárbara para reparar os erros. 

O Código de Hamurabi é um monumento monolítico de 2,5 metros de altura, que contém toda a Lei de Hamurabi. Ele se encontra no Museu do Louvre, em Paris, na França. Trata-se do primeiro código de leis, talhado na pedra, escrito por um governante da antiguidade.



A vida seguiu, logo surgiram conceituações religiosas, que puniam com rigor quem professasse uma doutrina diferente dos governantes. Era o princípio da mistura entre política e religião, um terreno explosivo, que até hoje mantém a Terra em alerta.


Para tentar organizar a religião, com o aparecimento de Jesus Cristo, um homem santo - filho de Deus, criou-se um marco divisor dos tempos, que classificamos em a.C = antes de Cristo e d.C = depois de Cristo. No início, o catolicismo teve grande resistência para se reconhecido como religião, muitas batalhas foram travadas, principalmente com os povos bárbaros. Vieram os excessos cometidos pelas 'cruzadas' e na 'inquisição'. Mesmo assim, os milagres se sucediam dando credibilidade a uma linda religião.

No princípio, queriam tornar o Catolicismo uma igreja de abrangência mundial, soberana, única e absoluta, mas, depois de séculos de tentativas, perceberam que seria impossível conseguir tal êxito. E a convivência tornou o mundo relativamente mais tranquilo.

  
    Os povos árabes, que já professavam uma religião mais antiga que o catolicismo, ofereceram resistência. O islamismo, baseado nos versos do Profeta Maomé, é uma religião sólida e dura em seus fundamentos. 

Profeta Maomé recitando o Alcorão em Meca (gravura do século XV).
(wikipedia.org)
   Maomé era considerado um homem perfeito. Ele nasceu em Meca, na atual Arábia Saudita, no ano de 570 a.C e viveu 62 anos. Foi considerado o ‘Pai do Islamismo’, ele teria ouvido mensagens de um anjo, que depois foram integradas ao Alcorão, o Livro Sagrado do Islã. A divisão entre Islamismo, Catolicismo, Budismo e outras religiões, é perfeitamente normal. Cada povo possui a sua crença e no mundo atual, onde se respira mais liberdade, devemos respeitar o direito de escolha de cada cidadão.Viver em harmonia é o desejo de todos os habitantes do mundo.


Levando-se em consideração de que a Terra possui 4,54 bilhões de anos e o ‘homem de neandertal’, dentro da escala evolutiva, como os conhecemos hoje, surgiu há aproximadamente 500 mil anos, esta onda religiosa começou a pouco tempo, se levarmos em consideração as religiões mais antigas, que possuem menos de 2500 anos de existência. Ainda teremos muito para avançar no contexto do respeito aos cidadãos de religiões diferentes. Cada país deve regulamentar a paz entre os credos. Não é possível retroceder à época sombria da guerra religiosa, para estabelecer à força uma crença única no mundo.




O ecumenismo é a coexistência de crenças distintas, dentro de um mesmo coração, prova que os caminhos da espiritualidade desconhecem fronteiras. E, por isso mesmo, fertilizam as sementes de um mundo mais inclusivo. A Constituição Brasileira nos assegura que todo cidadão tem o direito de seguir o caminho espiritual que ele bem entender; desde que este não fira a lei.

Quanto mais Fé em Deus, melhor. Fé, demais, nunca faz mal. O respeito e a tolerância é que são fundamentais para uma boa convivência entre os povos.

As religiões existem, cada uma com a sua verdade e devemos respeitar isso. Elas podem ter princípios discordantes quanto os seus fundamentos, mas não devem ser tratadas como torcidas organizadas, separando a sociedade, rotulando seguidores ou exterminando seus fiéis.

O maior erro da organização política de um país é permitir que surgissem partidos comprometidos com segmentos religiosos. Devemos respeitar a todos, pois o Bem não deve ser tratado como uma ‘coisa pessoal’ e sim, como um princípio comum, que fará bem a todos os cidadãos.


O Natal é o dia da festa máxima da cristandade, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro e com ele nasceu a esperança em dias melhores para todos nós, independente da religião que professemos. Portanto, tenham todos um Feliz Natal


Tim-Tim!


Neo Cirne
Colunista de UBAV-Brasil


Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger