terça-feira, 17 de novembro de 2015

Chega de notícias ruins - - Sidney Rezende (Matéria do dia)

Chega de notícias ruins -

Sidney Rezende

Em todos os lugares que compareço para realizar minhas palestras, eu sou questionado: "Por que vocês da imprensa só dão 'notícia ruim'?"
O questionamento por si só, tantas vezes repetido, e em lugares tão diferentes no território nacional, já deveria ser motivo de profunda reflexão por nossa categoria. Não serve a resposta padrão de que "é o que temos para hoje". Não é verdade. Há cinismo no jornalismo, também. Embora achemos que isto só exista na profissão dos outros.
Os médicos se acham deuses. Nós temos certeza!
Há uma má vontade dos colegas que se especializaram em política e economia. A obsessão em ver no Governo o demônio, a materialização do mal, ou o porto da incompetência, está sufocando a sociedade e engessando o setor produtivo.
O "ministro" Delfim Netto, um dos mais bem humorados frasistas do Brasil, disse há poucas semanas que todos estamos tão focados em sermos "líquidos" que acabaremos "morrendo afogados". Ele está certo.
Outro dia, Delfim estava com o braço na tipoia e eu perguntei: "o que houve?". Ele respondeu: "está cada vez mais difícil defender o governo".
Uma trupe de jornalistas parece tão certa de que o impedimento da presidente Dilma Rousseff é o único caminho possível para a redenção nacional que se esquece do nosso dever principal, que é noticiar o fato, perseguir a verdade, ser fiel ao ocorrido e refletir sobre o real e não sobre o que pode vir a ser o nosso desejo interior. Essa turma tem suas neuroses loucas e querem nos enlouquecer também.
O Governo acumula trapalhadas e elas precisam ser noticiadas na dimensão precisa. Da mesma forma que os acertos também devem ser publicados. E não são. Eles são escondidos. Para nós, jornalistas, não nos cabe juízo de valor do que seria o certo no cumprimento do dever.
Se pesquisarmos a quantidade de boçalidades escritas por jornalistas e "soluções" que quando adotadas deram errado daria para construir um monumento maior do que as pirâmides do Egito. Nós erramos. E não é pouco. Erramos muito.
Reconheço a importância dos comentaristas. Tudo bem que escrevam e digam o que pensam. Mas nem por isso devem cultivar a "má vontade" e o "ódio" como princípio do seu trabalho. Tem um grupo grande que, para ser aceito, simplesmente se inscreve na "igrejinha", ganha carteirinha da banda de música e passa a rezar na mesma cartilha. Todos iguaizinhos.
Certa vez, um homem público disse sobre a imprensa: "será que não tem uma noticiazinha de nada que seja boa? Será que ninguém neste país fez nada de bom hoje?". Se depender da imprensa brasileira, está muito difícil achar algo positivo. A má vontade reina na pátria.
É hora de mudar. O povo já percebeu que esta "nossa vibe" é só nossa e das forças que ganham dinheiro e querem mais poder no Brasil. Não temos compromisso com o governo anterior, com este e nem com o próximo. Temos responsabilidade diante da nação.
Nós devemos defender princípios permanentes e não transitórios.
Para não perder viagem: por que a gente não dá também notícias boas?


MATÉRIA DO BLOG DO AUTOR:
FOTOS DA WEB ILUSTRATIVAS

Sidney Rezende é jornalista, diretor do SRZD, ex-âncora de telejornais da "GloboNews". Sidney foi um dos fundadores da "CBN".
~~0~~

OPINIÃO DE UBAV:
Parabenizamos o consagrado jornalista, Sidney Rezende, pelo seu posicionamento face ao número imenso de matérias ruins, nocivas a qualquer ser humano. Matérias que são despejadas nos lares do Brasil todo 'santo dia'. Entendemos que não há um equilíbrio entre a qualidade das matérias veiculadas, se boas ou ruins.
 Alguns jornalistas são da corrente que não existe notícia boa ou ruim, que o que é bom para um pode ser ruim para outro, e vice-versa. O que discordamos inteiramente, pois, por trás de uma notícia sempre existe um interesse qualquer, um sentido a ser atingido, seja ele social, político ou econômico desde que siga a vontade do 'dono' do veículo de comunicação. Ele diz o que é bom e o que é ruim de acordo com as matérias que noticia e vai formando uma legião de pessoas atormentadas.
Eu só sei que, por coincidência ou não, no dia seguinte à publicação de sua opinião particular Sidney Rezende foi demitido da Globo News - Grupo Globo de Televisão... Fato lamentável, por tratar-se de um grande profissional. Vamos acompanhar melhor esta situação, afinal, sou admirador do trabalho jornalístico do Sidney Rezende, desde quando ele começou, na fundação de 'Rádio CBN'. Equilibrado e gentil, sempre deu um enfoque atual aos seus comentários. 
Nossa pergunta é a mesma que ele retratou no seu blog com o texto acima. Pra que tanta notícia ruim? E complemento, Será que estão querendo levar a sociedade à loucura? Temos publicado muitas matérias falando do fato de não termos mais um noticiário com uma visão positiva. Só vemos lixo político, assaltos, crimes hediondos, corrupção, ataques terroristas, catástrofes e outros crimes... Isto ocorre 'All days'... Todos os dias... Até o Fantástico, cujo programa era considerado a 'Revista de Domingo', pois era focado na família e no entretenimento, passou a ser um 'pasquim de gosto jornalístico duvidoso', que deu muito mais espaço na divulgação dos malfeitores, tragédias e crimes... Por ser um programa familiar ele deveria ser repensado, frustra-nos a impregnação excessiva das matérias sensacionalistas... Aos domingos precisamos de paz e de esperança na nova semana que está começando e não de notícias ruins. Isto é só um exemplo dentre dezenas de programas que não acrescentam nada à família, a não ser a agonia e a dor. Até quando vamos suportar isso? 
No domingo eu quero a Paz de Deus, indo à missa ou não. Quero tranquilidade. Desejo torcer e saber se meu time ganhou ou perdeu. Quero churrasquear e brincar com as crianças... Quero passear ou namorar muito, não sei. Mas uma coisa é certa, não vou mais impregnar minha cabeça com uma TV de segunda linha, seja lá qual for o canal... Melhor dar um click nesta onda de notícia ruim, vou botar meu fone de ouvido com um som bacana e deixar rolar... Vou fazer a expressão do cãozinho que ilustrei a matéria com um fone de ouvido. É como se eu estivesse dizendo pro noticiário ruim, não tô nem aí... Garanto que o fim de noite ficará melhor!
Tim-Tim!
Neo Cirne - Colunista de UBAV-Brasil

E vocês, gostam mais de uma notícia boa ou ruim? A resposta eu deixo com vocês. Se quiserem prestigiar o blog do Sidney Rezende acessem:  http://www.sidneyrezende.com/blog/sidneyrezende

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger