sexta-feira, 9 de outubro de 2015

VIVENDO E APRENDENDO A JOGAR - - Comentário esportivo de Neo Cirne

VIVENDO E APRENDENDO A JOGAR

- Por Neo Cirne -


Embora eu não goste de levantar temas polêmicos, não há como deixar passar a oportunidade de comentar a atuação pífia da seleção brasileira de futebol, que, ontem, perdeu mais uma partida de forma desastrosa e desatenta. Jogamos contra a seleção do Chile, um adversário valoroso, que possui uma boa equipe e que vem jogando junto há alguns anos. Perder é natural, mas levarmos mais um olé? Ninguém aguenta!

Nossos ‘valorosos jogadores’ não tinham o que dizer na hora da entrevista pós-jogo, estavam atônitos, não sabiam o que falar. Não deu pra justificar a péssima atuação. 
Nossos meninos perderam para uma seleção que possui um ótimo toque de bola, sendo séria candidata a se classificar em primeiro lugar neste torneio classificatório para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Não há demérito na derrota, triste é a maneira de jogar da seleção comandada por Dunga, é desanimadora.



Parece que estamos de volta ao começo, viramos "pernas-de-pau". Uma época em que não tínhamos muita intimidade com a bola e, mesmo assim, décadas depois de aprendizado chegamos ao pentacampeonato, título único em todo mundo e seguido pelas seleções da Alemanha e Itália, ambas com quatro títulos. 

Precisamos reaprender a jogar, com toda humildade. Não somos mais os melhores do mundo, com certeza. Precisaremos nos esforçar muito para atingir o patamar da qualidade futebolística de 2002, quando fomos campeões mundiais pela quinta vez.

Os jogadores que representaram o país neste lamentável 2 x 0 com raras exceções foram passear no Chile. Citar um nome não seria justo, melhor dizer que estamos precisando melhorar muito. Necessitamos de muitos craques e não ficar na dependência exclusiva do Neymar, que é um craque.

Tenho certeza que na hora em que a seleção esquecer de vez o lamentável 7x1 contra a Alemanha voltaremos a ser campeões. Está faltando muita coisa para isto acontecer. Os otimistas dirão: “A Argentina perdeu também!”, como se isso fosse um parâmetro para justificar a ruindade da seleção atual. Outros, mais otimistas ainda, dirão: "Ainda faltam 17 partidas!"... A verdade é que necessitamos nos classificar, para isso necessitaremos resgatar a alegria e a confiança, não só a dos integrantes da seleção, mas de todo o povo brasileiro... Tá tudo errado!

Não estamos nada bem, nem na política desastrosa em que vivemos e nem na seleção ruim que temos. O povo anda muito triste e sem esperança nas duas áreas.

E você, o que achou da seleção? Da política eu nem pergunto, pois seu orçamento familiar falará mais alto e mostrará sua imensa satisfação.


Na política e no futebol, necessitamos cantar aquela velha canção da Elis Regina, “Aprendendo a Jogar”, que dizia: “Vivendo e aprendendo a jogar, nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar”.

Vamos em frente, mesmo no limite da tolerância com a política e com o futebol, a vida continua!


Tim-Tim!
Neo Cirne
Colunista de UBAV-Brasil