segunda-feira, 29 de junho de 2015

A RAZÃO DO AMOR IMPOSSÍVEL... - Por Leniza Castello Branco

"A razão do Amor impossível... 
Pode estar no inconsciente do apaixonado"



- Leniza Castello Branco -


Muitas pessoas que sofrem por um amor inviável costumam culpar o destino ou ficar sem entender a razão de isso ter acontecido com elas. Provavelmente, o motivo está oculto dentro de cada um que se vê nessa situação. Esta paixão pode ter origem em um talento ainda não descoberto, em traumas e complexos. A motivação inconsciente pode ser revelada em uma boa seção de análise.

'Quem nunca se apaixonou por alguém que não deveria? Alguém comprometido ou muito mais jovem, ou mais velho, ou mesmo alguém que não o quer, ou com problemas mentais, de religião diferente ou com escolha sexual diversa? Estes são os amores impossíveis e que, por isso mesmo, parecem ser muito mais fortes. A pessoa costuma culpar o destino, o outro ou algo de sua vida passada. 

O tão falado 'amor impossível' pode até nem ser amor, mas uma teimosa obsessão, uma espécie de competição na qual se deseja conseguir conquistar o mais difícil. As emoções podem se confundir e parecer que se trata de um grande amor; mas na maioria das vezes não é.

O que leva uma pessoa aparentemente saudável a se envolver, sofrer e se acabar por alguém que não quer ou não pode ficar com ela? Vou exemplificar: M. se apaixona por seu professor, casado, 30 anos mais velho. No início, o amor é platônico, mas depois, por insistência dela, acabam tendo um caso. Ele deixa claro que não a ama e nunca vai se separar. Ela diz: "Não tem importância, vou amá-lo para sempre, sei que ele me ama, mas não admite". É um caso claro de quem procura o impossível, que investe em sofrimento e em amargura. 

Outro exemplo, agora de um homem: B. se apaixona por uma mulher assumidamente lésbica e que nada quer com ele. Ele diz: "Vou mostrar a ela que está enganada e que comigo vai descobrir que pode amar um homem de verdade'. Assim, tanto M. quanto B. - e pessoas em situações semelhantes - vivem se queixando e contando aos seus amigos sobre seu sofrimento. E estão sempre perguntando 'por que isso ocorre comigo?'. A explicação é que nestes casos existe uma projeção de conteúdos inconscientes da própria pessoa, uma necessidade de tomar contato ou de viver aspectos seus ainda desconhecidos. Exemplificando: no caso de M., que se apaixona pelo professor de desenho, um artista, talvez signifique que ela tenha um potencial para artes e ainda não realizou o seu talento. Apaixonar-se por alguém que o tem, pode ser como viver esse talento por intermédio do outro. Ou seja, M. se apaixonou pelo seu próprio potencial. Quando concretizá-lo a paixão perderá a força e ela vai passar a viver sua arte. No caso B. , ele pode ainda não ter 'saído do armário' e quer provar a sua masculinidade com alguém impossível. Desse modo, não é ele que não consegue, mas é ela que não quer.
Geralmente são pessoas egoístas, que não tomam contato com a realidade e vivem dominadas por impulsos e desejos. Só interessa o que ele quer, o outro deve satisfazer o seu desejo.


Atrás desses amores impossíveis estão os complexos e traumas. Como disse Carl Gustav Jung (1875 - 1961), grande psiquiatra e psicanalista suíço: "Devemos tornar conscientes nossos conteúdos inconscientes, porque enquanto forem inconscientes vão nos dominar e vamos crer que é o nosso destino". Se um conteúdo é inconsciente, quer dizer que é desconhecido para nós e, por isso, nos domina.

Uma boa solução seria fazer uma terapia; uma análise bem-feita vai nos ajudar a termos contato com o nosso inconsciente e, dessa maneira, descobrirmos quais complexos e traumas nos levam a ter comportamentos que não conseguimos explicar.

"O primeiro passo é conhecer nossos sentimentos, tomar contato com eles e não deixar que eles nos dominem"





Leniza Castello Branco, é psicóloga, e analista junguiana na capital paulista.
É autora do E-book "Amar É Bom" (editora e-galáxia).






 UBAV-BRASIL, DESTACA A FRASE ACIMA E COM A MATÉRIA DA DRª LENIZA CASTELLO BRANCO, ENCERRA A TEMÁTICA "AMOR" NESTE MÊS DE JUNHO, 'MÊS DO AMOR'.

 QUANTO AO AMOR IMPOSSÍVEL SOMOS DA OPINIÃO DE QUE MUITAS SÃO AS POSSIBILIDADES DE ENCONTRARMOS UM 'GRANDE AMOR IMPOSSÍVEL', MAS ENTENDEMOS QUE QUANDO EXISTE O VERDADEIRO AMOR NÃO EXISTIRÃO DIFERENÇAS QUE TORNEM ESTES GRANDES AMORES, INEXISTENTES OU MENORES. 

 POIS, ELES JÁ SÃO GRANDES EM SUAS ESSÊNCIAS. HAVENDO SINCRONICIDADE E DESEJO DE AMBOS, FORÇA NENHUMA IMPEDIRÁ A CONCRETIZAÇÃO DESSE AMOR, A NÃO SER QUE ELE NÃO SEJA VERDADEIRO OU NÃO CORRESPONDIDO, SE ASSIM FOR, NÃO SERÁ UM GRANDE AMOR. NÃO PASSARÁ DE UM GRANDE E TRISTE ENGANO... LASTIMÁVEL EQUÍVOCO. 

 PARA ESQUECER UM GRANDE AMOR ATÉ JÁ ESCREVEMOS UM ARTIGO QUE, APESAR DE SER MUITO LONGO, É A MATÉRIA MAIS LIDA DO NOSSO SITE, TENDO ATINGIDO A MARCA INCRÍVEL DE 80.000 VISUALIZAÇÕES. 

TIM-TIM!

NEO CIRNE

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger