quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Lira Poética - Evocação ao Nosso Ano Novo - Apresentação Neo Cirne

Lira Poética
Evocação ao Nosso Ano Novo

O ano mal começou, e já estamos assustados com tanta violência pelo mundo, é necessário seguir em frente pensando e agindo de maneira positiva. Há necessidade de replantar o amor e a poesia pelo mundo. Não adianta pensar em como era bom no Passado, esse já era! Ele só nos trouxe aprendizado. Há necessidade de pensar no Presente, agora! Já! Imediatamente!!! Ainda estamos em janeiro, começando o ano e parece que nossa esperança se dissipou. Foi pulverizada pelas notícias ruins, pelas atitudes terroristas e previsões cataclísmicas. Vamos fazer ressurgir a esperança e o brilho nos olhos de todos. Nem que sejam das cinzas, a esperança, a amorosidade e a poesia retornarão, pois elas vivem dentro de nós. (Neo Cirne)

E, para que o ano comece bem, sinceramente, é preciso que floresçam poesias. Por isso, em 2015, reativamos a nossa querida Lira Poética. Hoje postamos um poema de Carlos Drummond de Andrade sobre o Ano Novo. Vale a pena, vocês lerem Drummond. Sua poesia é a forma simples e profunda. Capaz de zombar dos nossos medos e calar fundo os nossos corações.



Receita de Ano Novo

Para você ganhar um belíssimo Ano Novo,
cor de arco-íris ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido ou sem sentido)
Para você ganhar um ano não apenas pintado de novo,
Ou remendado às carreiras,
Mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
Novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
Novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
Mas com ele se come, se passeia, se ama,
Se compreende e se trabalha,
Você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
Não precisa expedir, nem receber mensagens
(Planta recebe mensagens? Passa telegramas?)
Não precisa fazer lista de boas intenções
Para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido,
pelas besteiras consumidas,
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro gostoso de pão matinal,
direitos respeitados...
Começando pelo “Direito augusto de Viver”.

Para ganhar um Ano Novo
Que mereça este nome,
Você, meu caro, tem de merecê-lo
Tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
Mas tente, experimente, consciente,
Pois é dentro de você que o Ano Novo cochila
E espera desde sempre.



Carlos Drummond de Andrade


Tim-Tim!


Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger