sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O CORPO FALA - - - ENXAQUECA: O SINTOMA DE UM BECO SEM SAÍDA - - - Por Sueli Santos

Olá queridos leitores! Como vão vocês? Tenho observado ultimamente como as mulheres que estão próximas a mim, incluindo pacientes e familiares estão se queixando de enxaqueca, como a leitura corporal e a psicossomática faz parte do meu trabalho, faço uma leitura do porque a pessoa somatizou no corpo algo que na sua vida está indefinido. 
Por isso, estou compartilhando o texto abaixo sobre esse mal que acomete principalmente as mulheres e figura onde podemos ver em quais partes do nosso corpo somatizamos os impasses emocionais.

Tim-Tim
Um Brinde à Vida

Sueli Santos



ENXAQUECA: O SINTOMA DE UM BECO SEM SAÍDA

Muita coisa já se sabe sobre a famosa enxaqueca. Diz-se que tem algo a ver com uma certa constituição familiar; diz-se também que precede o período menstrual e está relacionada à questão dos hormônios. O que muito pouco se fala é do aspecto emocional deflagrador da enxaqueca. Sabemos que pode estar relacionada, por exemplo, a um contexto que envolva o sentimento de raiva ou de impotência relacionados a uma determinada configuração afetiva onde o que se viveu ou o que se vive é uma situação à qual não se pode reagir. Essas emoções, por não terem podido ser reconhecidas, transformaram-se num misto de dor, enjôo e uma certa aversão ao contato acompanhadas por um desejo de isolamento, e aí se configura o quadro característico da enxaqueca. A pessoa não sabe dizer porque sofre pois a consciência e o pensamento não deram conta do que aconteceu: tudo se passou silenciosamente, insistindo porém em se expressar através do corpo, corpo este que fala sempre daquilo que desconhecemos de nós mesmos.

Temos inúmeras razões para pensar que as tensões e ansiedades representam importante papel no quadro da enxaqueca sendo, portanto, de extraordinária importância que o paciente possa aprender a reconhecer e a lidar com elas.
O objetivo de uma compreensão psicológica da pessoa que sofre de enxaqueca será de ajudá-la a criar respostas diferentes aos impasses emocionais. A enxaqueca assim como vários outros sintomas inscritos no nosso corpo, fica sinalizando esta necessidade: a de resolver ou encaminhar neles uma determinada questão interna a fim de romper o ciclo vicioso que resulta em sofrimento.

É só quando conhecemos as razões pelas quais fizemos determinada escolha que podemos reavaliá-la e substituí-la por outra. Isso parece verdadeiro para a compreensão de muitas outras afecções psicogênicas.

Mariann Laaksonen e Marília Sodré



Tim-Tim!


A MENSAGEM DO DIA - - CRÔNICA DO AMOR - De Martha Medeiros

Olá, com prazer apresentamos mais uma crônica da escritora Martha Medeiros, excelente pela maneira fácil com que exprime a sua mensagem. A mensagem de hoje chama-se Crônica do Amor. Para terminar bem a semana nada melhor do que falar um pouquinho de amor, não é verdade?
Digo terminar bem, pois como diz o jornalista Chico Pinheiro, "Graças a Deus hoje é sexta-feira... É vida que segue!" e completamos afirmando que o amor faz a Vida seguir melhor. Boa leitura e um ótimo fim de semana! 



Crônica do Amor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem caso contrário, os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso tudo são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu. Você deu flores que ela deixou a seco. Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete, feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.


Martha Medeiros




Tim-Tim!

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger