sexta-feira, 7 de março de 2014

"Mensagem da Noite" - O LAGO DE LEITE - Mensagem enviada por Cristina Castro RJ

O lago de leite

- Autoria desconhecida -


Em algum lugar no Oriente, um rei resolveu criar um lago diferente para as pessoas do seu povoado. Ele quis criar um lago de leite. Então, pediu para que os residentes do local levassem um copo de leite para ajudar a encher o lago. Assim, com a cooperação de todos os habitantes lago seria preenchido, eram muitas pessoas.


O rei, muito entusiasmado, esperou até a manhã seguinte para ver o lago de leite. Mas, tal foi sua surpresa no outro dia, quando viu o lago cheio de água e não de leite. Em seguida, o rei consultou o seu conselheiro:
- O que aconteceu com o lago de leite? Por que ele está cheio de água?

E o conselheiro, sem jeito, respondeu:
- Majestade, ocorre que todas as pessoas do povoado tiveram o mesmo pensamento: 

"No meio de tantos copos de leite, se só o meu for de água ninguém vai notar...”



Reflitam...
Quantas pessoas você conhece que procedem da mesma forma? Esperando que os outros façam algo, tomem a atitude, para depois se juntarem a eles? Não seja uma dessas pessoas.



Não perca a fé na humanidade. Seja sincero e honesto. Faça sua parte! Dê o exemplo!


"O bem que não fazes, já é o próprio mal que estás a fazer"

(Paulo de Tarso)


Tim-Tim!

"A CRÔNICA DO DIA" - O BLOCO DA SAUDADE - Texto de Neo Cirne

 “Bloco da Saudade”

Recordo um antigo samba do Martinho da Vila, o “Segure tudo” de 1971, que tinha uma estrofe muito sábia, aliás Martinho é um poeta. Quantas frases bonitas ele já incluiu nas suas canções, porém esta é uma das que gosto mais. Numa linguagem bem popular, ele começa dizendo assim:

Segure tudo que for conquistado.

- Ele ressalta a importância da conquista e deixa implícito que não importa a vitória, a conquista, e sim, a manutenção do que foi conquistado. Tarefa difícil no mundo neurótico e consumista que vivemos, onde descartamos tudo com muita facilidade. Podemos aplicar esta frase a tudo; aos valores materiais, aos relacionamentos pessoais e às conquistas que desejamos alcançar. 
O ser humano tem este hábito desde o tempo de criança. Desejando um brinquedo, às vezes muito caro, pedem, imploram e choram pedindo aos pais que lhes dê o “tal presente”. Os pais, sensibilizados, já irritados com o choro da criança e sem terem muitas alternativas, prometem comprar, fazem um esforço e compram o presente para o filho. Ele adora, ama o momento de receber o presente que tanto quis e brinca com ele durante uns dias, ou nem tanto.
 Às vezes, brinca poucas horas e o deixa de lado. Aquele momento em que foi presenteado foi um momento de grande felicidade para a criança, mas passada a emoção, já não representa muita coisa.


Durante o resto da vida, seguimos com este comportamento infantil. Lutamos tanto por um emprego, por exemplo, suamos para passar num concurso que tanto desejamos, nos lascamos de estudar e passamos, conseguimos o êxito. Vem a posse, o sabor do primeiro salário, a certeza de ser possuidor da capacidade de alcançar o nosso objetivo pessoal. Nossa! Este emprego era "tudo que eu queria", pensa.

Passado uns anos, aquele trabalho não o satisfaz, é cansativo, julga-se mal remunerado, imagina-se explorado, em suma, você o detesta. Assim, você começa a deixa-lo em segundo plano, já não era "tudo que você queria". O emprego, tão desejado, que representava TUDO, passou a ser considerado um peso, um fardo difícil de carregar, acordar cedo, tomar café correndo, enfrentar o trânsito, aturar o mau humor do chefe e outras variáveis que são tão comuns a todos os empregos passou a ser uma “falha da sua conquista”. Assim, de defeito em defeito, vai ficando desinteressado pelo trabalho, e esquece-se o quanto você suou a camisa para conquistá-lo.


Martinho da Vila continua o seu verso melódico dizendo:

 Segure o braço do seu namorado... Segure a menina rapaz!

– Sabiamente, Martinho referiu-se a este desinteresse pela conquista e o retratou no caso dos relacionamentos afetivos, dos namoros, das conquistas amorosas.

Muitas vezes lutamos para conquistar uma pessoa, ganhar o seu coração. A moça acha o seu namorado um príncipe encantado, o homem maravilhoso, sem defeitos, um poço de virtudes, tudo que sonhou. Lança um olhar sedutor para ele, palavras de carinho e, finalmente, conquista-o.
 Passado um tempinho de convivência, observa que ele deixa as suas roupas jogadas pelos 4 cantos da casa, que ele come de boca aberta, que ele solta “pum”... E fede. Oh! Não é possível, exclama! Meu Deus, além de tudo "ronca"!!! 

Assim, de descoberta em descoberta, ela faz um rol das qualidades negativas do seu príncipe encantado e transforma-o num grande “Sapo” e pensa: como irei transformá-lo num príncipe novamente? Não conseguindo, começa a deixa-lo de lado, tal qual a criança que ganhou o brinquedo.

Com o homem não é diferente, ele num primeiro momento faz tudo por ela, é capaz de qualquer coisa para fazê-la feliz e compreende-la. É a sua rainha, uma mulher sem defeitos (ledo engano... Ela leva duas horas para ajeitar o cabelo antes de sair e diz que a culpa é sua por chegarem atrasados na festa). Esquece-se que homem e mulher têm hábitos, necessidades e comportamentos diferentes. A união do casal busca o entendimento e o equilíbrio entre as partes. A maioria dos homens cansa de tentar “moldar” a personalidade da sua amada de acordo com a sua ótica, uma coisa impossível para qualquer mortal. E, com o tempo, começa a deixar de lado a sua “rainha”.
É importante o casal querer moldar-se internamente, com delicadeza coloquem-se ne na posição do outro. Pensem assim, o que posso fazer para que ela(e) seja imensamente feliz ao meu lado. Este é o princípio do sucesso conjugal, de uma caminhada longa e prazerosa. 

A convivência saudável, o respeito pelas diferenças, a presença, o carinho, a compreensão e a verdade são atributos essenciais para a manutenção feliz deste amor tão desejado. Quanto mais as partes tiram o foco desta felicidade comum, maior é o risco de perderem-se. Risco do homem, o “príncipe”, transformar-se definitivamente num “sapo” e da mulher, a “rainha”, ser rebaixada ao cargo de “Mucama” (escrava, acompanhante da rainha).

Martinho finaliza a estrofe dizendo:

- Assegure o amor sem despedida, dando amor e lealdade, pra não terminar a vida no tal do Bloco da Saudade.  

Ninguém gosta de fazer parte deste bloco da saudade, não é verdade? - A não ser do Bloco da Saudade do Recife, maravilhoso! - Então amigos, vivam intensamente as suas verdades e sonhos. Valorizando o seu Amor pelo seu amado, com imenso carinho, esperança e desejo de torná-lo eterno, como todo grande amor deve ser.

Como gostam de dizer os  franceses românticos: VIVE L'AMOUR! O amor não é um brinquedo qualquer, ele é o nosso melhor sentimento e deve ser partilhado com muito cuidado, ternura e carinho.

Tim-Tim!

- Texto de Neo Cirne -





Vejam abaixo a vídeo da canção SEGURE TUDO, de Martinho da Vila:




Um dia feliz pra você! 

Tim-Tim!



                  Neo Cirne
     Coordenador e Colunista de UBAV-Brasil


Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger