terça-feira, 18 de novembro de 2014

"TAL PAI... TAL FILHO" - ENVELHECIMENTO o direito de ser você mesmo! - A coluna mensal de Sueli Santos - comentário Neo Cirne

A coluna Tal Pai... Tal Filho, de Sueli Santos, nossa querida amiga, trás uma passagem muito interessante para a nossa leitura mensal. Sueli, com seu bom gosto, nos indica um trecho de autoria não especificada, que fala de envelhecimento, que em última análise é tudo que desejamos. 

A vida é como uma partida de futebol, imagine você participando de um jogo incrível, bem disputado e que seu time esteja jogando super bem, inclusive você. De repente, mesmo você estando jogando bem, o “técnico” o saca do time, bem antes do jogo acabar. Chato, não? O nosso desejo é o de completar a partida e sentir o sabor de encerrá-la com o sabor da missão cumprida. Pois é, assim é a vida! Isto é envelhecer. Vamos conhecendo nossas limitações físicas, porém os nossos sonhos continuam jovens.


A sociedade, de maneira geral, procura descartar os idosos e a maioria dos jovens trata de maneira distante a figura do idoso. Mas, lá no fundo, nós desejamos muito chegar à Apoteose da Vida com qualidade, com saúde, vivendo intensamente e sendo respeitado por todos.

De todo coração, eu desejo a todos uma vida longa e livre dos grilhões que a sociedade impõe à terceira idade. Aproveitem a vida! Saboreiem-na como se fosse um delicioso sorvete, até a última gota.
A vida é uma experiência maravilhosa! Um brinde à vida!
Tim-Tim!
Neo Cirne


ENVELHECIMENTO o direito de ser você mesmo!

Persista…
Sobreviva…
Reviva…
Viva!

Enquanto vou envelhecendo torno-me mais amável para mim e menos crítica de mim mesmo. 

Eu me tornei minha própria amiga. Eu não me censuro por comer biscoito extra, ou por não fazer a minha cama, ou pela compra de algo bobo que eu não precisava. Eu tenho o direito de ser desarrumada, de ser extravagante.

Quem vai me censurar se resolvo ficar lendo ou jogar no computador até as quatro horas e dormir até meio-dia? 

Eu dançarei ao som daqueles sucessos maravilhosos dos anos 70 & 80 e se eu, ao mesmo tempo, desejar chorar por um amor perdido... Eu vou. 

Conforme você envelhece, é mais fácil ser positivo. Você se preocupa menos com o que os outros pensam. 

Eu não me questiono mais. Eu ganhei o direito de estar errado.

Eu gosto da pessoa que me tornei. Não vou viver para sempre, mas enquanto ainda estou aqui, não vou perder tempo lamentando o que poderia ter sido, ou me preocupar com o que será. E, se me apetecer, vou comer sobremesa todos os dias. 



Tim-Tim! Um Brinde À Vida!



Sueli Pereira dos Santos CRT 25.188

Terapeuta Sistêmica (Familia, individual e casal) – Psicopedagoga clínica – Letras - Psicomotricidade e Desenvolvimento Humano – Distúrbios/Transtornos de Aprendizagem – Aprendizagem e Psicopedagogia - Bioenergia - Dinâmicas de Grupo - Educação e Psicologia Social/clinica – Leitura corporal  -  - Belo Horizonte -

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger