segunda-feira, 22 de setembro de 2014

SAÚDE BUCAL - "COMO ESTÁ A SAÚDE DA SUA GENGIVA?" - - Artigo de Neo Cirne

Olá amigos, começamos a semana falando de saúde, um bem precioso para a manutenção da vida. Daremos algumas dicas sobre esta máquina maravilhosa que é o corpo humano.

Começaremos perguntando, “Como está a sua saúde bucal e em especial a sua gengiva?” – Durante muitos anos, no exercício da odontologia pude observar que a nossa gengiva é o grande indicador de uma saúde de boa qualidade. Quando ela não se apresenta com sua cor rósea e com sua textura em forma de casca de laranja é sinal da presença de algum problema, que necessita ser tratado de imediato. Na maioria das vezes a fase inicial da gengivite, também chamada de periodontite, não causa nenhuma dor ou incômodo. Assim, as pessoas vão levando a vida sem observar a importância do “grito silencioso de alerta” de que alguma doença está se instalando e que a gengiva nos quer transmitir.



O International Dental Journal inclui, entre as doenças da boca, a doença periodontal como um “grave problema de saúde pública”. Ainda acrescenta que é grande o impacto que as doenças da boca causam “nas pessoas e nas comunidades, por exemplo, dor e sofrimento, perda de funções e redução na qualidade de vida”. Evidente que saber um pouquinho mais sobre a periodontite pode ajudar  você a se proteger e ter uma vida melhor.


TUDO COMEÇA NA INFÂNCIA
A importância de uma orientação correta de higiene oral é fundamental e ela deve acontecer logo cedo, na fase mais tenra de nossas vidas. Sendo a boca a grande responsável pelas nossas primeiras sensações de prazer - através do aleitamento materno, hidratação e alimentação – nada mais justo do que observar nas crianças uma certa resistência à simples orientação dos pais, que dirá ao toque das mãos deles ou de um odontólogo, é difícil este momento. Porém, se existir também uma resistência ao tratamento por parte da mãe, se ela não dá exemplos de escovar os dentes com alegria e vive falando às crianças que “odeia tratar os dentes”, que não vai ao dentista "Nem à Pau Juvenal!", e se comenta que até o barulho da turbina de alta-rotação dói.  Certamente, ela estará contribuindo para que a saúde oral de seus filhos não seja boa e que eles, tal qual a uma corrida de passar o bastão, carregarão os medos e traumas da mãe para o resto de suas vidas, aceitando-os como seus.


Tudo é uma questão de exemplo, portanto, faça um esforço pelo bem de seus filhos, deixem de lado os seus medos e, com carinho, fale-lhes da importância de escovarem os dentes corretamente. 
Mostre-lhes como é bom ter uma boca limpinha e cheirosa. Leve-os até a pia, escove o seu dente com prazer e peça-lhes que os imite. Faça deste momento um acontecimento feliz. Permita-lhes que toquem na sua boca, olhem seus dentes, e com carinho toquem na boquinha deles. Desta integração e confiança surgirá a quebra da resistência ao tratamento. Mais adiante, se você puder, leve-os ao consultório dentário, preferencialmente a um dentista especializado em odontopediatria e faça consultas motivacionais. Neste instante o profissional usará seu carisma, saber e paciência para desenvolver uma relação de amizade e confiança com as crianças.


Quando a idade é muito tenra, ainda bebês, procurem utilizar uma gaze úmida para remover o leite talhado que ficou na boca do neném. Um pouquinho d’água ajuda a higienizar. 



Mais tarde, quando aparecerem os dentinhos molares utilize "uma escova de dedos" e entre 1 e 3 anos comece a motivá-los em casa, mostrando-lhes a importância de escovarem os dentes com alegria. 

Muita calma nesta hora! Nada de gritos. Vá dando o seu exemplo com carinho e aos poucos conquiste a confiança do seu filho. 


Realizada esta etapa, lá pelos 4 aninhos, leve-os para “brincar” com o “Tio Dentista”, motive-o e valorize este momento. Ele terá prazer em retornar ao consultório. Depois disso é só deixar que o “Tio ou Tia Dentista” trace um plano de tratamento orientador.

Feita esta observação odontopediátrica, vamos nos ater à fase adulta. Sempre levando em conta a necessidade de mantermos uma boa higiene oral para termos uma saúde bucal de qualidade.


Como disse no início do meu comentário, a gengiva tem como missão principal a proteção dos elementos dentários, ligamentos periodontais e osso alveolar. Quando ela se inflama, é sinal que a sua resistência foi vencida por algum corpo estranho, normalmente os alimentos, mesmo em bocas bem escovadas, vão se depositando à margem da gengiva, ainda em sua forma líquido-pastosa, formando a “placa bacteriana”. Por isso, devemos escovar sempre os dentes APÓS as refeições. Esta placa bacteriana contém resíduos alimentares recentes que as bactérias que fazem parte do antro bucal adoram e adotam como substrato para o seu desenvolvimento. Caso ela não seja removida de imediato, endurecerá transformando-se num cálculo ou tártaro, que é uma etapa mais sólida, composta por resíduos alimentares em diversas fases de decomposição e exercerá uma pressão mais firme e constante sobre a gengiva. 


Na fase inicial da gengivite, não temos a presença de dor. E até em fazes mais avançadas, como a periodontite, a dor também não aparece. Assim, mesmo com o “grito silencioso” da gengiva, o problema continua aumentando... 



Surge o sangramento gengival, o mau hálito; a retração gengival. A destruição óssea aparece ocasionando a mobilidade dentária e, num último estágio, a perda do dente. O cálculo por ser mais duro e aderente é mais difícil de ser removido do que a placa bacteriana.

Fatores que contribuem para o aparecimento de doença periodontal incluem: medicamentos supressores do sistema imunológico, infecção virais, estresse, diabetes não controlado, o fumo, o consumo excessivo do álcool, mudanças hormonais por causa da gravidez e naturalmente, a má higiene bucal.



A DOENÇA PERIODONTAL PODE SER TRATADA?, talvez você se pergunte.
A resposta é SIM! 

No seu estágio inicial ela pode ser revertida. Mas se ela se tornar numa periodontite será necessário parar o avanço da doença antes que ela destrua o osso e o tecido que envolve os dentes.

Mesmo que seja difícil o seu acesso à assistência odontológica, a prevenção é o segredo para reduzir de ter essa doença potencialmente destrutiva.

Cuidar de sua higiene bucal de forma regular e apropriada é a melhor forma de reduzir o risco de ter uma doença na gengiva. Para uma saúde perfeita, nada melhor do que a prevenção.

MAIS UM DETALHE: 

CUIDADO COM AS CRIANÇAS! ELAS COMEM DE TUDO!

Ainda falando no aspecto da educação infantil é sempre muito bom tratarmos com carinho os nossos filhos, mesmo no momento em que eles deveriam ser alertados de forma mais veemente por comerem coisas que não deveriam comer, como por exemplo: a borracha da escola, papel de doce, terra ou o batom da mãe, como neste vídeo que mostraremos a seguir, onde a menina Mariana tenta convencer a sua mãezinha que quem comeu o batom foi a cadelinha e não ela. É muito interessante este vídeo postado pelos pais de Mariana no You Tube. Ele mostra a mente criativa da linda menina e subliminarmente enfatiza que a sensação do paladar é o sentido mais prazeroso da criança. Freud dizia que a criança começa a conhecer a vida pela boca.

Vamos ao vídeo:





Bom dia!

Neo Cirne
Colunista de UBAV-Brasil
Odontólogo - Especializado em Periodontia

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger