quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

"A PARÁBOLA DO DIA" - A CAIXA DE BEIJOS - "PROMOÇÃO MEU LIVRO DE CABECEIRA" - Por Neo Cirne

Bom dia, amigos. Hoje eu desejo fazer menção a uma parábola, de autoria não identificada e que está postada num livro que estou lendo nas horas de folga. Ela chama-se A Caixa de Beijos e o livro que estou lendo tem o título engraçado de "Como Atirar Vacas no Precipício", consiste numa organização de várias parábolas feitas por Alzira Castilho e editados pela Editora Panda, 2000. É um livro simples, mas de leitura bem agradável. Traz mensagens positivas, próprias para refletir, motivar e emocionar. Virou um outro livro de cabeceira, dentre tantos que possuo, ele é próprio para saborear antes de dormir, enquanto o sono não vem. Promoção "Meu livro de cabeceira": Este livro que estou lendo será ofertado ao amigo que nos escrever um e-mail até amanhã, sexta-feira (07) às 13 horas. Participe! Escreva para umbrindeavida@yahoo.com.br e escreva: Quero ganhar o livro "Como Atirar Vacas no Precipício".  Não esqueça de colocar o seu telefone e endereço completo para postagem. Dentre as pessoas que enviarem suas mensagens realizaremos um sorteio. Boa sorte!



O nome do livro refere-se a uma parábola bem antiga que já vi circulando pela web, qualquer hora vou mostrar pra vocês. Apresento a parábola do dia:


A CAIXA DE BEIJOS


Certo tempo atrás, um homem castigou sua filhinha de três anos por desperdiçar um rolo de papel de presente dourado. O dinheiro andava escasso naqueles dias, razão pela qual o homem ficou furioso ao ver a menina envolvendo uma caixinha com aquele papel dourado, para depois colocá-la debaixo da árvore de Natal.

 Apesar de tudo, na manhã seguinte, a menininha levou o presente ao pai e disse:
- Isto é para você, paizinho!
Ele ficou envergonhado pela sua furiosa reação do dia anterior, mas ao abrir a caixinha e encontrá-la vazia voltou a explodir:
- Você sabe que quando se dá um presente a alguém coloca-se alguma coisa na caixa?!

A menininha olhou para cima com lágrimas nos olhos e disse:
- Ah, paizinho, não está vazia não. Eu joguei muitos beijos aí dentro. Todos pra você, papai.

O pai quase morreu de vergonha. Abraçou a menina e suplicou para que ela o perdoasse.

Dizem que o homem guardou a caixa dourada ao lado de sua cama por muitos anos, e sempre que se sentia triste, chateado ou deprimido, tomava da caixa um beijo imaginário e recordava o amor que sua filha havia depositado ali.



Comentário Tim-Tim!

De forma simples, mas sensível, cada um de nós tem recebido uma caixinha dourada, cheia de amor incondicional e beijos de nossos pais, filhos, irmãos, amigos queridos e dos nossos amores.
Ninguém pode ter uma propriedade melhor do que esta.

"Quantas vezes guardamos pequenos objetos de pessoas que não estão mais nas nossas vidas e que passaram a habitar somente na nossa melhor memória. Perfumes deixados, papéis com declarações de carinho, fotos de momentos inesquecíveis... Doce história de vida. 
Estes possuem grande importância, pois nos arremessam a gostosos pensamentos de amor e carinho, sinal de que a vida ao lado deles foi marcante, valeu a pena.
Eu escolhi este texto por me fazer lembrar uma folha de papel de um trabalho escolar, feito em homenagem ao Dia dos Pais, pela minha filha, Ana Lúcia, que partiu inesperadamente deste plano, aos 13 anos de idade.
Nele, ela desenhou uma menina de mãos dadas com a mãe, caminhando numa estrada florida, no céu um grande Sol e nele a marca de um beijo dela, marcado pelo batom da mãe. Muito lindo!

Para mim, esta folhinha de papel, durante anos, me levava ao encontro delas e tinha a mesma importância da caixa de beijos desta parábola".


Tim-Tim!

Um Brinde À Vida!



Neo Cirne

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger