quarta-feira, 18 de setembro de 2013

"FALANDO DE AMOR...Parte I" - Resolva suas pendências emocionais - Por Neo Cirne

Amigos, Bom dia! Estamos lançando uma série de artigos que visam "esquentar a relação" dos casais. Serão sete artigos bem interessantes na série que chamaremos de "Falando de Amor...", a qual terá como objetivo principal a manutenção do amor nos relacionamentos. A temática será baseada na minha própria vivência e na visão de alguns escritores consagrados que destacaremos ao longo da série. 
Sabemos que é pela capacidade de amar que temos o poder de mover montanhas e de mudar o mundo, então perguntamos: por que não aproveitarmos para retomar o carinho primordial que uniu o casal? Na realidade as oscilações do dia a dia, a vida em comum, os problemas, a flutuação da economia familiar, o redimensionamento dos sonhos e outras situações vão alterando a intensidade amorosa e diminuindo o brilho do casal. 

Detalhes importantes como o orgulho, a falta de diálogo, a ausência de palavras doces, a diminuição do romantismo, a falta de participação no prazer de cada um (exemplos: Para ela: sentar ao lado do companheiro para assistir uma partida de futebol do clube dele. Para ele: Ir passear no shopping para ver vitrines e tomar um gostoso sorvete); o desinteresse pelos acontecimentos diários; a falta do contato físico e a priorização de fatos comuns em detrimento dos momentos de "aproximação" do casal levarão, em breve espaço de tempo, a um desgaste tão grande que não haverá outra solução que não seja a separação. 

Uma das coisas que quero destacar como necessária para a solidificação do amor é a gentileza e o carinho de um para com o outro. Eu, por exemplo, já convivi com uma pessoa, que possuía um mal-humor matinal terrível, a ponto de cumprimentá-la, desejando-lhe um bom dia de trabalho e ouvir a seguinte resposta: Por que? E lá ia ela em silêncio para o trabalho, meio dormindo, meio acordada.
Depois de um tempinho, ainda pela manhã, eu recebia dela um torpedinho amoroso ou um convite para almoçarmos... E era como se nada tivesse acontecido, porém os resíduos diários deste desgaste foram se acumulando e literalmente "empurrados com a barriga", para serem conversados mais à frente, coisa que nunca fizemos e esta foi a nossa grande falha. Como consequência, o amor terminou e ocorreu a separação. Mais desgastes e sonhos terminados, uma grande perda.  

O comportamento das pessoas deve ser compreendido e aceito (até certo ponto) pois, caso contrário, a relação começa a enferrujar e cria-se uma rota de colisão, um conflito de opiniões, que logo baterá em nossa porta cobrando posturas mais incisivas para retornar à normalidade, um difícil resgate.

Neo Cirne




Hoje iremos analisar as pendências emocionais:


"Resolva suas pendências emocionais"

Entendemos por pendências emocionais aqueles fatos insignificantes, inoportunos e mal resolvidos entre você e seu parceiro, como por exemplo: ressentimentos não expressados, feridas abertas, problemas sem solução, pequenos conflitos e divergências. Estes, quando reprimidos, se colocam entre você e o seu amado, perturbando o vínculo emocional e ofuscando a sinceridade que gostariam de ter um com o outro.

Quando você resolve as suas pendências sentimentais em vez de deixar que conflitos, angústias e dificuldades aumentem as feridas, abre uma nova perspectiva para chegarem a um acordo e fazerem as pazes. Vocês dois desejam e acreditam que são capazes de levar seu relacionamento a um estado de equilíbrio e tranquilidade, no qual poderão, novamente, acontecer os suaves riscos emocionais que tanto aprofundam os laços do casal.

Todo relacionamento necessita de um nível mínimo de consistente harmonia. Necessita ser um porto seguro, a partir do qual as pessoas envolvidas possam aceitar desafios que estimulem seu próprio crescimento e cultivar os laços afetivos que as conectam. Resolver as pendências emocionais é um modo de manter esse porto seguro em ordem.

Temos a tendência de deixar as coisas pra lá, de varrer as emoções para baixo do tapete e de esperar que simplesmente as coisas se resolvam ou desapareçam. Com o tempo algumas coisas tornam-se convenientemente irrelevantes, mas na verdade, não resolvê-las exige uma quantidade imensa de energia, que seria melhor aproveitada em troca de carinho ou planos para ir ao cinema.

Problemas mal resolvidos podem se transformar em armadilhas. Então, em vez de montar uma defesa, uma força maior para o seu amor, tire um tempinho para aparar as arestas da relação, não importa quão banais ou inofensivas possam parecer. 

O Amor floresce sobre o céu azul e resolver as pendências emocionais afugenta todas as nuvens densas que possam aparecer...

Pense nisto, tá?




Fonte: Para Viver um Amor de Verdade
de Daphne Rose Kingma - Livraria Sextante


Tim-Tim! 



Nosso próximo artigo:
Massageie o ego do seu amor
Não percam!

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger