sexta-feira, 16 de agosto de 2013

"SÓ...RINDO!" - "CONTANDO UM CAUSO" - O VIAJANTE DORMINHOCO - Causo de Rolando Boldrin

Meus amigos, eu sempre gosto de ler os "causos" contados por Rolando Boldrin, eles me arremetem a um tempo puro, com muito menos estresse que os dias modernos. 

Eram dias onde as pessoas paravam pra conversar, contavam suas histórias e, sinceramente, no meu ponto de vista, dentre estes artistas que lembram o interior do país com seus causos, só existem dois que qualifico como excepcionais, são eles: 



ROLANDO BOLDRIN
LIMA DUARTE
Rolando Boldrin: 
Uma figura maravilhosa e grande profissional 

 Lima Duarte: 
Um gênio na arte da representação










O próximo causo será  do Lima Duarte.

Eles são duas pessoas maravilhosas, das quais eu sou um "fã de carteirinha" e eu "viajo" com suas histórias. São dois mestres do bom humor!

Hoje eu contarei um causo que li num almanaque, do qual nem me lembro direito o nome, acho que era Almanaque Brasil, mas não tenho certeza. Mas, certamente, era uma mensagem de muito bom humor do Rolando Boldrin, um artista completo, que canta, compõe, conta suas histórias, recita suas poesias com tamanha intensidade que não há quem não pare para ouvi-lo recitar.
Peço licença para apresentar este causo, que se chama:




O VIAJANTE DORMINHOCO



O trem de ferro "maria-fumaça" ia de São Paulo para o Rio de Janeiro. Com os passageiros se abancando nos vagões de segunda, um viajante chama o chefe do trem e lhe propõe:

- Seu chefe, eu estou indo para a cidade de Barra Mansa. É coisa de negócios e muito importante. Como eu tenho sono pesado e meu compromisso é sério, antes de chegar lá o senhor poderia me acordar? Eu lhe dou uma gorjeta de 20 reais. Pode ser?

O chefe disse que estava tudo certo e combinado, mas o passageiro insiste:

- PELO AMOR DE DEUS, O SENHOR ME ACORDE, HEIN?

Se eu insistir em continuar dormindo, pode me sacudir, me estapear a cara e me tirar à força. FAÇA QUALQUER COISA, MAS EU PRECISO ESTAR EM BARRA MANSA DE QUALQUER JEITO!

Acordo selado, o trem segue o seu destino.



Já de madrugada, o tal viajante acorda bom do sono. Até estranha o dia já estar clareando. Espreguiçando-se, pergunta pra outro passageiro:

- Por favor, o senhor pode me dizer se falta muito pra Barra Mansa?

Barra Mansa? Xiii, moço, Barra Mansa já ficou pra trás um tempão. Estamos quase chegando no Rio de Janeiro...

O SUJEITO COMEÇA A ESPUMAR DE RAIVA... 
Quando avista o chefe do trem andando despreocupado pelo vagão e parte furioso pra cima do dito-cujo.

COMO O SENHOR ME APRONTA UMA DESSAS?
E AGORA?
PERDI MEU COMPROMISSO!!!

É muito prejuízo, seu cachorro sem vergonha! Não sei onde estou que não lhe quebro a cara!!! Devia te estrangular aqui e agora!!!




No meio da confusão duas velhinhas acordam espantadas.

-VIRGEM MARIA! COMO ESSE RAPAZ ESTÁ NERVOSO, MARICOTA.


Você não viu nada, Eulália. Precisava ver o outro que teve que descer à força em Barra Mansa...












 Tim-Tim!

"NEO-DAY!... Mensagem para um novo dia feliz" - É vida que segue! - Por Neo Cirne

 (Agosto/2013) 

   
É VIDA QUE SEGUE!

 Chegou a sexta-feira, dia de pensar o lazer no fim de semana, do papo gostoso com a família e os amigos, de fazer planos para a semana seguinte, é como diz o jornalista Chico Pinheiro, do Bom Dia Brasil, da Rede Globo: "Graças a Deus é sexta-feira, é vida que segue". Esta expressão, Vida que segue é muito interessante para começar esta mensagem de Neo-Day. Mensagem que nos fará pensar que, apesar dos problemas que enfrentamos na semana, existe sempre uma esperança de que a próxima semana será melhor, e será, sem dúvida. Os problemas existem para serem superados, e creiam: tudo passa nesta vida


Existe até um pensamento antigo que diz: "Não há mal que sempre dure e nem bem que nunca se acabe...". Tudo passa nesta vida, as coisas boas e ruins. A memória da gente é que permanece jovem e observando que tudo passou...

Devemos sempre estar preparados para as flutuações da vida e evitar andar nos limites de nossa tolerância. Guardar um pouco de paciência, como um trunfo, é muito bom. Este trunfo nos dá a certeza de que podemos avançar um pouco mais, pintar o quadro do fim de semana com cores mais alegres e emoções verdadeiramente positivas. 


Hoje, pela manhã, lendo um texto que é atribuído à maravilhosa escritora e jornalista Martha Medeiros, dizia parte do texto o seguinte pensamento:


Pessoas entram na sua vida por uma "Razão", uma "Estação" ou uma "Vida Inteira". Quando você percebe qual deles é, você vai saber o que fazer por cada pessoa.

 Refleti bastante sobre as alternâncias da vida e sobre a importância das pessoas que por ela passam, em especial pensei nos meus amigos queridos, na família, na infância passada em lugares gostosos como a Ilha de Paquetá/RJ, a Cidade de Nova Friburgo, onde recordo até do delicioso cheiro do bife feito no fogão de lenha do antigo Hotel Engert. O trenzinho que passava ao longo da Rua Alberto Braune e cruzava a Praça Getúlio Vargas, era lindo e bucólico. Saudade! Eu tinha 10 anos de idade.

 Recordo a casa que alugava com alguns amigos em Muriqui/RJ, um destes amigos, Paulo Wilken, continua ao nosso lado, numa amizade de mais de 50 anos, Muriqui era um lugar praiano ao sul do Estado do Rio, banhado pelas águas da Baía de Sepetiba, onde o carnaval dos clubes era muito bom.

Esta era a época poética da minha juventude, tempo em que extravasava minha alegria tocando guitarra em conjuntos de rock, do qual o amigo citado acima, o Paulo, fazia parte... Nós também éramos garotos que amávamos os Beatles e os Rolling Stones... Linda época! 

Voltando à minha infância, recordo, que brincávamos em grupo, meninos e meninas, não havia maldade e nem barreiras extremas, por medo da relação menino e menina. Na vila onde eu morava, no Meyer, as crianças brincavam de roda, dançavam ciranda, as meninas brincavam de casinha ou de boneca. 

Já os meninos, mais livres e atirados, pareciam passarinhos, subiam nos muros para colher o fruto das árvores, rodavam pião, jogavam bola de gude, soltavam pipas, pequenos balões, jogavam bola descalços, a bola era de meia e quase todos arrancavam a unha do pé chutando o chão...rsrs. Éramos um bando de "bola-murchas". 




Quando em grupo misto brincávamos de pique-esconde, de queimado e de passar o anel. Bons tempos aqueles! Você viveu este tempo?

Naquela época as crianças, não eram tão monitoradas, não tinham GPS para localizá-los, não tinham celulares, MP4, Ipod, Tablet ou internet. Acho que por isso éramos tão felizes. 




Feliz de quem guarda boas lembranças de suas infâncias! Hoje as crianças urbanas são muito tristes, passam a maior parte do dia no Jardim de Infância e quando chegam casa, já exaustas, pouco brincam. À medida que crescem, a família, segundo dados estatísticos, 60% já fragmentada por uma separação do casal, impõe regras mais rígidas na evolução do aprendizado. A escola não tem mais o amor dos jardins de infância e as tias transformaram-se em professores desmotivados com seus salários e passando a maior parte do tempo em greve, proporcionando um complemento educacional descontínuo do jovem. Quando retornam, exigem que os jovens retomem o gás até a próxima greve. E assim, vão se formando gerações de jovens desmotivados e céticos com relação ao futuro.

Este ceticismo é visto nestas marchas por dias melhores, sem corrupção e com uma justiça com mais credibilidade. Sem qualificação, sem orientação familiar e com um aprendizado fraco o jovem, quase adulto, desespera-se e observa que o tempo passou, que já não é mais criança. Pior, que nem teve oportunidade de ser feliz, pois o mundo atual limitou-lhe os espaços e as chances de ter uma infância feliz.




Assim, com os olhos mais brandos, devemos pensar nos nossos jovens e dar um desconto quando, em marcha pelas cidades, buscam dias melhores. Eles estão despertando seus objetivos sociais e cidadania. Muitas vezes, não sabem nem o que buscam, talvez a infância perdida ou uma esperança.



 A inclusão de vândalos, vagabundos e arruaceiros é que tira o foco dos apelos da juventude. Por permitirem nas marchas a inclusão destes marginais em suas linhas, expõem-se ao perigo e são conduzidos a atitudes impensadas. O silêncio das autoridades nos assusta, nos traz à boca um gosto de impunidade e fraqueza. 

Por que lembrei disto tudo? Porque tudo isto aconteceu nesta semana, onde mais uma vez destacou-se a omissão, a fraqueza judiciária com o desentendimento de nossos "maiores togados" no STF, a violência dos vândalos infiltrados nas marchas juvenis e no mundo, a retomada do desrespeito à Vida no oriente, principalmente no Egito, onde tem sido usadas armas letais contra o povo devido à divergência religiosa. 

Por isso, meus amigos, estou refletindo a semana que findará amanhã, agradecendo por estar vivo, e este Neo-Day, irá parafraseando o Chico Pinheiro, "Pois Graças a Deus hoje é sexta-feira... É Vida que segue! 




NOTA SOCIAL:

Anunciamos, com imenso prazer, o nascimento de mais um ser de luz. 
Chegou a este mundo a Beatriz, filha do casal ubaviano, Jean e Lene.

Eles são pais do Matheus, nosso querido mascote. 







NASCEU HOJE UMA PRINCESA: DIA 16/08/2013
CHEGOU A MAIS NOVA UBAVIANA DO DISTRITO FEDERAL
Viva! 
Chegou a BEATRIZ!

Hoje é dia de festa no Distrito Federal!

 Tim-Tim! Um brinde à vida!



Bom Fim de Semana! 

Tim-Tim!

Neo Cirne
Fundador e Coordenador
de
UBAV-BRASIL

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger