terça-feira, 30 de julho de 2013

"DICAS DE SAÚDE TIM-TIM" CUIDADO COM A ASSIMETRIA DA COLUNA - Por Einstein Saúde

"Atenção à assimetria na coluna"

Escoliose e cifose afetam a qualidade de vida de adolescentes e podem evoluir rapidamente se não tratadas



Engana-se quem pensa que os problemas na coluna são sinais inerentes ao avanço da idade. No final da infância e início da adolescência, coincidindo com a fase de crescimento, aproximadamente aos 10 e 12 anos, duas condições podem prejudicar a qualidade de vida dos jovens: a cifose e a escoliose - esta última a mais comum.

Porém, diferentemente do que os pais possam acreditar, nenhuma das duas condições é causada pelas mochilas pesadas que muitas vezes eles carregam nos ombros. Na verdade, são consideradas condições idiopáticas, ou seja, surgem espontaneamente e tem causas diversas, podendo variar de erros de formação nas vértebras e da assimetria da musculatura à problemas neurológicos.

Atentos ao crescimento dos filhos, os pais podem ser os primeiros a perceber a alteração da coluna. Os professores também podem notar, principalmente os de Educação Física, porque estão em contato com o aluno quando ele está em movimento.

A coluna vertebral, de aspecto normal, deve ser ereta e quando vista de lado, deve ter uma curvatura próximo do pescoço e outra na região lombar. No caso da escoliose, contudo, ao observar uma pessoa de costas o que se vê é um desvio da coluna para a esquerda ou direita, como se ela estivesse girando. As costelas, vão para um dos lados, como se formassem um S. 
Uma curvatura de até 15º é considerada benigna, mas requer observação. Curvas de 15º e 30º são um sinal de alerta. Acima deste valor, o tratamento é indicado, podendo até ser cirúrgico nos casos acima de 50º por causa do risco de insuficiência respiratória, já que a capacidade pulmonar fica reduzida.

Para a verificação da cifose (popularmente conhecida como corcunda) a coluna deve ser vista de lado, para que possa ser notada uma curva acentuada na região torácica. A curvatura de 20º e 40º é considerada dentro da normalidade. Para curvas de 40º a 60º é necessário acompanhamento do médico, que avaliará a melhor opção de tratamento.

O exame de radiografia confirma o diagnóstico e, identificado o problema, é recomendável o acompanhamento clínico trimestral. Se houver evolução do quadro para pior, de acordo com o nível de deformidade e quanto o adolescente ainda tem para crescer, o especialista poderá indicar fisioterapia para o fortalecimento postural ou o uso de colete ortopédico.




Uma dica para que os pais possam averiguar periodicamente se há algum tipo de alteração na coluna dos filhos é colocar a criança ou adolescente de pé e pedir que ele encoste os dedos das mãos nos pés. 




A coluna fica evidente e qualquer alteração também. Ainda assim, é recomendável que a partir dos nove anos de idade seja feito o acompanhamento clínico para evitar problemas futuros.







Esta matéria foi publicada pela qualidade de esclarecimento dos problemas relacionados a coluna vertebral. 

Espero que seja útil e ajude a melhorar a qualidade de vida dos nossos filhos e netos. 



O artigo acima foi elaborado pelo Hospital Albert Einstein e vocês poderão ler outros artigos no site www.einstein.br





TIM-TIM!

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger