quinta-feira, 21 de novembro de 2013

UMA HISTÓRIA DE SUPERAÇÃO NO ESPORTE - ANDRÉ BRASIL - Comentário de Neo Cirne


CONHEÇA A HISTÓRIA DE SUPERAÇÃO E SUCESSO DO ATLETA DA NATAÇÃO BRASILEIRA PARAOLÍMPICA


ANDRÉ BRASIL


Nascido como uma criança normal, André foi vacinado. Foi então que com cerca de três meses de idade, sua mãe notou uma diferença entre as pernas: a esquerda era mais leve. Levado ao médico foi constatado que ele era vítima de Poliomelite (paralisia infantil) por reação vacinal. Aos seus pais, chegou a ser dito que ele nunca mais andaria e até que possivelmente teria problemas mentais.   No primeiro momento após a notícia, houve uma pequena rejeição por parte de seu pai, mas tomado por amor ao primeiro filho e pela necessidade evidente de travar uma batalha para que as sequelas do vírus fossem minimizadas; rapidamente isso foi superado. Carlos e Tania se viram obrigados a iniciar o que podemos chamar de um verdadeiro tratamento de choque: submeter o filho a uma terapia que utilizava o choque como meio de estimulo elétrico para que o músculo respondesse e gerasse movimento.

Isso foi feito até que outro médico indicou a natação como forma de tratamento e principalmente atividade lúdica para que uma criança tão jovem não sofresse com o desgaste de intenso trabalho. Tania, sua mãe, chegou a ser chamada de louca por vizinhos, pois levava André, às 6 da manhã, para movimentar a perninha na piscina do prédio, fizesse chuva ou sol.
Ela trabalhava em 3 empregos e este era o único horário que tinham juntos. André passou sua infância em hospitais: até os 8 anos foram 7 cirurgias, várias terapias experimentais, muita natação e fisioterapia quase todos os dias... E muito choro: por não querer usar a calha (prótese) para dormir ou pelo cheiro do perfume da “torturadora” (a fisioterapeuta que o visitava em casa).  

Aos 9 anos sua mãe atendeu ao pedido do filho: não faria mais cirurgias e passaria a viver como uma criança normal (até então ele não sabia se quer o que era jogar futebol).   André nunca teve privilégios. Apesar das dificuldades era tratado normalmente por seus pais e familiares. Recebia broncas e era reprimido quando necessário.   A natação foi de extrema importância na sua formação. Foi na borda de piscina que ele diz ter aprendido lições de disciplina, equipe e principalmente respeito!  Tomou gosto pelo esporte e logo integrou uma equipe competitiva: e foi se aprimorando, ganhando títulos e aprendendo a sonhar com os feitos de Gustavo Borges e Fernando Scherer “XUXA”. 

Foi então que se deu conta: os resultados eram bons, mas não o suficiente para me levá-lo a participar de Jogos Olímpicos. Então, afastou-se aos poucos daquilo que mais amava.  Sua mãe, como sempre incentivando no que fosse preciso, percebeu que era o momento do estudo e André foi para a faculdade!
Os treinos continuavam, mas sem a mesma intensidade.   Aos 20 anos, após assistir pela televisão as Paraolimpíadas de Atenas; André descobriu um novo ídolo: Clodoaldo Silva.  No mesmo evento conheceu um canadense que lhe chamou a atenção por ter a mesma deficiência que André: Benoit Huot – e que se tornaria um futuro adversário e um grande amigo.
Assim aquele sonho de infância de estar em uma Seleção e representar seu país reavivaram em sua mente!  Em 2005 André entrou para o esporte Paraolímpico e começou a competir com atletas com deficiência. Em sua primeira competição quebrou um recorde Mundial, na segunda outro, e na terceira, mais outro recorde (todos eles eram então do amigo Benoit).    E o mesmo meio que devolveu o sonho, o tirou... Ao participar de um evento, André foi considerado inelegível para o esporte.  (Uma pessoa com deficiência era impedida de praticar a modalidade?)  




André teve novamente que aprender como a vida é, e como é preciso acreditar e lutar para alcançar nossos objetivos.  Graças a sua família: pais, amigos, técnico e ao Comitê Paraolímpico Brasileiro que acreditou em seu potencial, em Abril de 2006 André se reergueu e conseguiu mais uma conquista: a de voltar ao esporte e mostrar ao mundo sua capacidade.
 Com os seus passos “mancos”, mas firmes, que sabem aonde chegar, André não enxerga limites, só possibilidades.
Acesse e saiba mais sobre ele: http://www.andrebrasil.com/home




Comentário Tim-Tim!

Meus queridos amigos, boa tarde. Ubav Brasil traz pra vocês uma bonita história de superação na natação brasileira. Trata-se da vida e glória de André Brasil, medalhista paraolímpico e três vezes recordista mundial. Esta matéria foi publicada no site http://historiasreaisdesuperacao.blogspot.com.br , a qual temo grande prazer em socializar com nossos leitores de Ubav-Brasil. A frase da vida do nosso campeão sempre foi esta...

“Eu quero, eu posso, eu consigo”.



“Tim-Tim!”

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger