quinta-feira, 5 de setembro de 2013

"NEO-DAY... MENSAGEM PARA UM NOVO DIA - TUDO QUE É DEMAIS, FAZ MAL - Por Neo Cirne

O primeiro Neo-Day de Setembro destaca o EXCESSO em nossa vida. Usaremos um conto indiano para lembrar que, muitas vezes, necessitamos nos desapegar de algo material, dos nossos enganos, de uma emoção ou de uma atitude que possa nos fazer mal, mesmo que, aparentemente, ela nos dê prazer. Assim, evitaremos que hábitos ou situações excessivas transformem-se em vícios, sempre nocivos e de duras consequências. 
Vamos ler um conto que o exemplo vem lá da Índia, ele fala de uma atitude de Nasrudin, durante uma de suas histórias. Ao final, faremos um comentário Neo Day... Boa leitura!



CONTO INDIANO 

Nasrudin visita a Índia

O célebre e contraditório personagem sufi Mulla Nasrudin visitou a Índia. Chegou a Calcutá e começou a passear por uma de suas movimentadas ruas. De repente viu um homem que estava vendendo o que Nasrudin acreditou que eram doces, ainda que na realidade fossem chiles apimentados. Nasrudin era muito guloso e comprou uma grande quantidade dos supostos doces, dispondo-se a dar-se um grande banquete. 

Estava muito contente, se sentou em um parque e começou a comer chiles a dentadas. Logo que mordeu o primeiro dos chiles sentiu fogo no paladar. Eram tão apimentados aqueles doces que ficou com a ponta do nariz vermelha e começou a soltar lágrimas até os pés. Não obstante, Nasrudin continuava levando os chiles à boca sem parar. Espirrava, chorava, fazia caretas de mal estar, mas seguia devorando os chiles. Assombrado, um mestre que passava, aproximou-se, esticou um pequeno tapete que carregava, sentou-se e disse-lhe:


- Meu amigo, não sabe que os chiles só se comem em pequenas quantidades?

Quase sem poder falar, Nasrudin comentou:

- Bom homem, creia, eu pensava que estava comprando doces.

Mas Nasrudin seguia comendo chiles. O passante disse:

- Bom, está bem, mas agora já sabes que não são doces. Por que segues comendo-os?

Entre tosses e soluços, Nasrudin disse:

- Já que investi neles meu dinheiro, não vou jogá-los fora.

O Grande Mestre deixou esta mensagem: Não sejas como Nasrudin. Toma o melhor para tua evolução interior e joga fora o desnecessário ou pernicioso, mesmo que tenhas investido muito dinheiro ou tempo neles.


EQUILIBRE-SE


Comentário Neo Day




Quantas vezes sabemos que uma situação qualquer nos faz muito mal, mas alguma sensação mais forte nos atrai ou seduz. Mesmo assim, seguimos em busca do prazer. Sim, porque algumas situações têm gosto agradável, transmitem sensações excitantes e nos induzem aos vícios, não é verdade? Começamos criando hábitos, manias ou hobbies que não têm nada de racional. É como o vício de comprar compulsivamente, comer ou beber de forma desmedida... Sempre fará mal. 

Lembro que conheci, há muito tempo atrás, um advogado que não tomava outro líquido que não fosse um conhecido refrigerante a base de Cola, pensou naquele? Pois é, é ele mesmo. Ele sentia grande prazer em consumi-lo. Éramos amigos e frequentávamos o mesmo grupo social, nas festas ele sempre carregava uma garrafa de 1,5 litros e não parava de beber, não tomava outro líquido. Chegava ao cúmulo de manter no carro um recipiente refrigerado com mais alguns litros do produto. Todos os amigos o aconselhavam a parar com aquela mania, mas tornou-se uma paranoia, uma dependência... Um vício. 

Quando ia para o trabalho - escritório ou fórum - carregava um isopor pequeno, habilmente adaptado numa pasta de couro (comprada no exterior). Ali ficavam seus processos e anotações, juntos com algumas latinhas do refrigerante e à medida que ia consumindo, ia completando, rapidamente, a sua carga preciosa.

Depois de dois anos, ele ficou muito doente, sendo internado com um grave problema renal. Numa visita que fiz, quando ele estava enfermo, observei que parecia homem idoso, apesar de seus 35 anos. Posteriormente, o seu quadro patológico degenerou e espalhou-se por todo corpo, vindo a óbito poucos meses depois. Não temos nada contra a qualquer refrigerante e muito menos à ".... - Cola", que até aprecio. Porém, entendemos que uma pessoa necessita de outros elementos líquidos em sua dieta diária. Abster-se totalmente da água e substituí-la por uma bebida qualquer parece loucura, é uma iniciativa trágica para o organismo.

No caso acima, foi uma pena, vimos um homem jovem, que em virtude de não saber equilibrar seu impulso, partiu precocemente deste mundo, deixando uma carreira brilhante e uma bela família.

Contei esta história, que não é uma fábula, para destacar uma outra pergunta fundamental: Por que não sabemos policiar os nossos limites? Qualquer coisa em excesso será danosa pra vocês. No caso de Nasrudin, só porque ele havia gasto um bom dinheiro e comprado um produto enganado, achando que era doce, insistia em consumi-lo. Neste caso o ideal seria que repartisse com outros que fossem apreciadores do alimento apimentado. 

Lembram-se daquele velho ditado que diz que “Água demais mata a planta!”, pois é verdade, meus amigos. Observem que na observação que fizemos do amigo advogado não falamos na dependência química com as drogas, que tanto faz mal. Falamos de coisas comuns, que inserimos na nossa rotina. Até o amor, pasmem, em excesso, faz mal acumular sem repartir, talvez, por isso, os poetas, em sua grande maioria, sofram tanto. Só encontram o momento de troca amorosa, quando concluem suas obras, ofertando o seu amor ao público. 
Enfim, não esqueçam: Tudo que é demais... Faz mal!




O FUNDAMENTAL É QUE SAIBAMOS PARAR, ESQUECER, DEIXAR DE LADO, MESMO QUE JÁ TENHAMOS GASTO TEMPO E DINHEIRO COM AQUELE ERRO. 
REPENSE A SUA ATITUDE, VEJA O QUANTO ELA LHE FAZ MAL E MUDE. 

ALTERE O SEU RUMO COM VONTADE DE SURPREENDER-SE POSITIVAMENTE, O SEU ORGANISMO AGRADECERÁ E GARANTO QUE VOCÊ SERÁ MUITO MAIS FELIZ. 

UM LINDO DIA PRA VOCÊS!

TIM-TIM!



(Neo Cirne) 

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger