quarta-feira, 29 de maio de 2013

"A CRÔNICA TIM-TIM" - AFINIDADE - Por Arthur da Távola

Bom dia amigos, dentre inúmeras crônicas de Arthur da Távola, grande escritor e político brasileiro encontramos esta que nos fala de um lindo sentimento: A AFINIDADE. Crônica que mostramos agora pra vocês, leitores e amigos de UBAV-BR. Tim-Tim!






A Afinidade


Não é o mais brilhante, mas é o mais sutil, delicado e penetrante dos sentimentos. O mais independente também. Não importam o tempo, a ausência, os adiamentos, as distâncias, as impossibilidades: quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto, no exato ponto em que ele foi interrompido, ontem ou há 40 anos. 
                                    
É não haver tempo mediando a vida. É uma vitória do adivinhado sobre o real. Do subjetivo sobre o objetivo. Do permanente sobre o passageiro. Do básico sobre o superficial. É rara. Mas quando existe não precisa de códigos verbais para se manifestar. Ela existia antes do conhecimento, irradia durante e permanece depois que as pessoas deixaram de estar juntas. 

                                    
O que você tem dificuldade de expressar a um não afim, sai simples e claro de sua boca diante de alguém com quem tem afinidade. É ficar de longe pensando parecido a respeito dos mesmos fatos que impressionam, comovem ou mobilizam.


É ficar conversando sem trocar uma palavra. É receber o que vem do outro 
com uma aceitação anterior ao entendimento. É sentir “com”. Nem sentir “contra”, nem sentir “para”, nem sentir “pelo”. 
                                    
É sentimento singular, discreto. Não precisa nem do amor. Pode existir quando ele está presente ou quando não está. Pode existir a quilômetros de distância. É adivinhado na maneira de falar, de escrever, de andar, até de respirar. É linguagem secreta do cérebro, ainda não estudada. 

                                    
Além de prescindir do tempo e ser a ele superior, ela vence a morte porque cada um de nós traz afinidades ancestrais no inconsciente e que se prolongam nas células dos que nascem de nós e vão para encontrar sintonias futuras nas quais estaremos presentes mesmo mortos (mortos?) há tantos anos. É ter estragos semelhantes e iguais esperanças permanecentes. É conversar no silêncio, tanto das possibilidades exercidas quanto das impossibilidades vividas. 
                                    
É retomar a relação no ponto em que parou sem lamentar o tempo da separação. Porque ele (tempo) e ela (separação) nunca existiram. Foram apenas a oportunidade dada (tirada) pela vida, para que a maturação comum pudesse se dar. E para que cada pessoa possa ser, cada vez mais, a expressão do outro sob a forma ampliada e refletida do eu individual aprimorado. Sensível é a afinidade! É exigente, apenas de uma coisa: que as pessoas evoluam de forma parecida. Que a erosão, amadurecimento ou aperfeiçoamento sejam do mesmo grau.

A AFINIDADE é o mais sutil e delicado dos sentimentos.


Arthur da Távola
(*1936 - + 2008)


OPINIÃO TIM-TIM
É sempre um prazer lembrar este escritor e poeta brasileiro que encantava a todos com suas colocações justas e seus pensamentos equilibrados. Um grande pensador e apaixonado por música de boa qualidade. Ele costumava dizer que: "Pela música poderemos conhecer a alma das pessoas... Apreciadores de boas músicas serão donos de grandes virtudes."

Neo Cirne

"A Primeira Mensagem" - Pensar é Transgredir - Crônica de Lya Luft

PENSAR É TRANSGREDIR    
  


Não lembro em que momento eu percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos.
Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido. 


Para reinventar-se é preciso pensar: isso eu aprendi muito cedo.
Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano. Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante: "Parar pra pensar, nem pensar!"

O problema é que quando menos se espera, ele chega, é o sorrateiro pensamento que nos faz parar. Pode ser no meio do shopping, no trânsito, na frente da tevê ou do computador. Simplesmente escovando os dentes. Ou na hora da droga, do sexo sem afeto, do desafeto, do rancor, da lamúria, da hesitação e da resignação. 

Sem ter programado, a gente para pra pensar.
Pode ser um susto: como espiar de um berçário confortável para um corredor com mil possibilidades. Cada porta, uma escolha. Muitas vão se abrir para um nada ou para algum absurdo. Outras, para um jardim de promessas. Alguma, para a noite além da cerca. Hora de tirar os disfarces, aposentar as máscaras e reavaliar: reavaliar-se.
Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto. 

Somos demasiado frívolos: buscamos o atordoamento das mil distrações, corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas. Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é, o que fazemos com a nossa vida, o tempo, os amores. E com as obrigações também, é claro, pois não temos sempre cinco anos de idade, quando a prioridade absoluta é dormir abraçado no urso de pelúcia e prosseguir, no sono, o sonho que afinal nessa idade ainda é a vida. 

Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar.
Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo. 

Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos.
Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidade de quem vai tecendo a sua história.
O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem.

Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada. 

Parece fácil: "escrever a respeito das coisas é fácil", já me disseram. Eu sei. Mas não é preciso realizar nada de espetacular, nem desejar nada excepcional. Não é preciso nem mesmo ser brilhante, importante, admirado.
Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança. 

Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.

Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for. E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.


Lya Luft



Tim-Tim!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

"Primeira Mensagem" Gratidão - Por Neo Cirne


MENSAGEM:

"A gratidão desbloqueia a abundância da vida. Ela torna o que temos em suficiente, e mais. Ela torna a negação em aceitação, caos em ordem, confusão em claridade. Ela pode transformar uma refeição em um banquete, uma casa em um lar, um estranho em um amigo. A gratidão dá sentido ao nosso passado, traz paz para o hoje, e cria uma visão para o amanhã." (Melody Beattie).


Amigos queridos, bom dia! Estamos chegando ao fim de semana, mais um ciclo semanal encerra-se. Hoje, sexta-feira, é dia de festejar e agradecer pela semana de trabalho e pelas conquistas realizadas. O dia de sábado é dia de repensar novas metas que chegarão com a nova semana que começará no domingo e exigirá de todos nós, ricos ou pobres, determinação, valentia e coragem para impulsionar, realizar, crescer e subir mais um degrauzinho na escada da vida. O domingo é a aurora deste novo ciclo semanal, o primeiro dia, dia de orar e agradecer. E, falando em agradecimento, eu quero agradecer, de todo o meu coração, aos amigos que têm prestigiado esta obra solidária, quebrando recordes sucessivos de visualizações de suas matérias e de frequência.
Observo sempre o retorno das pessoas que passam a ser nossas amigas secretas, pessoas que ainda não tiveram coragem de identificar-se, pois, infelizmente a internet não é segura, eu compreendo. Porém, retornam, leem as matérias e aos poucos, mesmo de forma não identificada vão tornando-se pessoas amigas. Após um tempo, observam a seriedade de nossa proposta e idoneidade do projeto, e, assim como uma flor que desabrocha, o amigo ou amiga, identificam-se, seja num voto, num e-mail ou no envio de uma matéria. Enfim, quero agradecer, dizer muito obrigado por dedicarem um minutinho de seus preciosos tempos para abrir o site e ler nossas matérias.

O acesso de vocês é como receber um beijo ou um abraço amigo e ficamos muito felizes com isto.

Quero agradecer especialmente aos amigos que têm votado em nosso concurso de frases, uma área fundamental na existência desta obra, que tem a cultura das frases como uma de suas principais metas. Se Deus permitir, daqui há dois anos nós editaremos um livro e nele colocaremos, todas as frases que foram submetidas à votação, bem como contaremos a história da criação deste projeto, a sua trajetória de luz e realizações sociais.

No dia 20 de Julho, completaremos o oitavo ano de existência. Uma caminhada de amor que já reuniu mais de 1200 participantes, realizou mais de 100 ações sociais e ajudou, aproximadamente, umas 30.000 pessoas. E isto nos dá credibilidade e constrói uma tradição de amor ao próximo.

E o que pedimos a vocês? Dinheiro? Não! Donativos? Não! Respondo: Esta obra não tem fins lucrativos, ela existe para despertar em você a solidariedade, que é, para quem não conhece, mais um novo caminho para alcançar a felicidade. A percepção que nós podemos ofertar um pouquinho de amor aos nossos irmãos mais carentes engrandece o nosso espírito e aprimora nossas atitudes.
Toda comunidade tem pessoas necessitando de saúde, de uma condição mais humana para poder viver. Muitas vezes, precisam somente de um sorriso, uma atenção ou um abraço que valorize a sua existência, e é exatamente aí, que UBAV entra. Nossa obra existe para levar uma palavra amiga, um abraço ou um apoio àqueles que sofrem de falta de amor, carência afetiva, estando muitas vezes abandonados em hospitais ou instituições sociais que os abrigam ou em núcleos muito pobres. Se todos nós, pelo menos uma vez por ano, fizéssemos uma visita a uma instituição social, ofertando um lanche, recreação, um abraço amigo seria bom demais. Esta atitude faria uma diferença imensa na recuperação do paciente e na esperança de uma nova vida. Só a certeza de saberem que não estão sós, que existem pessoas boas neste mundo, que são capazes de realizar estes gestos de carinho ao próximo repercutiria como um brinde à vida ou um abraço da paz. E com certeza seria um alento para suas vidas.



Quem faz uma boa ação não tem obrigação de continuar ofertando a esta ou aquela instituição, mas este movimento de oferta e desapego é tão maravilhoso que, a partir daí, com o coração pleno de solidariedade você dirá, eu sou solidário. E isto, a solidariedade, amigos e amigas, é o exercício do amor primordial, o Amor de Deus.

Muito obrigado e um lindo dia pra vocês!

Tim-Tim!

Neo Cirne




terça-feira, 21 de maio de 2013

EDUCAÇÃO INFANTIL - Brincar é tão importante quanto estudar - Por katia Geiling

BRINCAR...
...Tão importante quanto estudar!

Nem nos damos conta de que nossos filhos estão aprendendo um bocado enquanto estão brincando de roda, empilhando bloquinhos ou imaginam que são super-heróis. A questão é que a TV e o computador têm afastado os pequenos do verdadeiro brincar, aquele que envolve a imaginação, movimento e troca com o outro. Saiba porque isso é tão importante:


SUPERAR OS LIMITES

Ao escalar um trepa-trepa, subir numa árvore ou se equilibrar num murinho, a criança aprende a conhecer os próprios limites e pode tentar superá-los aos poucos.

Não é assim quando a gente cresce também?


CRIAR VÍNCULOS


Brincar na companhia de alguém é um ótimo exercício para convivência.
A criança precisa aprender a ceder, aceitar as regras, 
compartilhar objetos que mais gosta e se ouvir quando não concorda com algo. 
As brincadeiras são exercícios ótimos para socializar os pequenos.




IMAGINAR


Fazer de conta é uma forma de estimular a criatividade e se preparar,
 de uma forma linda, para os desafios que a Vida os impõe. 
E, quanto mais simples forem os brinquedos, 
mais imaginação o pequeno usará para se divertir.




OPINIÃO TIM-TIM!

O nosso recado é para que estimulemos as brincadeiras à moda antiga e a sugestão para que afastemos as crianças dos conteúdos da TV e do computador.
Ela terá tempo de usar esta máquina que isola pessoas e afasta-as do convívio pessoal.


O convívio pela TV é nenhum, pela internet será sempre parcial e o convívio pessoal é total. (Neo)

Tim-Tim! 

ESPIRITUALIDADE - OS SETE TIPOS DE PAZ - Por Mel Aitak

Apresentamos uma matéria bem interessante, escrita por Mel Aitak.* Em uma de suas matérias ela valorizou bastante os diferentes tipos de paz que encontrou, com a civilização indígena que mora à beira do Lago Titicaca, localizado no Peru, lindo país irmão e nosso vizinho. Vejam a matéria, Tim-Tim!

OS SETE TIPOS DE PAZ


"Vem do Lago Titicaca, nos Andes Peruano, 

algumas lições para praticarmos a Paz diariamente... 

 Recorro aos índios para, mais uma vez, entender seus ensinamentos. Agora, a tribo que chama a minha atenção é a dos Aymaras, que vive há séculos ao redor do Lago Titicaca, nos Andes (Peru). Sabem onde é? Vejam o mapa:



Para eles, existem sete tipos de paz, observem:


  1. A PAZ DE ESPÍRITO.
  2. A PAZ CONSIGO MESMO.
  3. A PAZ COM A FAMÍLIA.
  4. A PAZ COM SEU POVO.
  5. A PAZ COM SUA TERRA.
  6. A PAZ COM O FUTURO.
  7. A PAZ COM O PASSADO.
1- A PAZ DE ESPÍRITO é a calma interior. É quando você sabe que está no caminho certo e os fatos à sua volta não conseguem desviá-la dele. Esse estágio é alcançado após muito esforço, discernimento e perseverança na prática do bem. 
2- A PAZ CONSIGO MESMO - está intimamente relacionada com a primeira paz.
3- A PAZ COM A FAMÍLIA - É necessário também você estar em paz consigo mesmo para entender e enxergar as limitações da família, respeitá-las e aceitá-las. Não se trata apenas de honrar pai e mãe, mas de ter orgulho de suas raízes e de seus antepassados.
4- A PAZ COM O POVO - São os seus vizinhos, amigos, colegas de trabalho e também com quem você desconhece mas que por acaso cruza o seu caminho todo dia. Lançar um olhar generoso sobre eles é compreender a razão de muitos estarem tristes ou raivosos. 
5 - A PAZ COM A TERRA - Os Aymaras também creem neste tipo de paz, é o local em que retiram seu sustento. podemos estendê-la à Natureza, respeitando todas as formas de vida e aprender a conviver com elas em harmonia.
6- A PAZ COM O PASSADO - É lembrar que o Passado nos ajudou a sermos o que somos, com nossas imperfeiçoes.
7- A PAZ COM O FUTURO - É a porta para crescermos e nos realizarmos como seres espirituais que somos. 


Que tal praticar estas lições dos índios Aymaras? 
Basta dar o primeiro passo!



MEL AITAK - é Terapeuta Holística, Escritora, Mestre em Reiki e estudiosa de temas ligados à espiritualidade. 


OPINIÃO TIM-TIM!

É sempre um grande prazer publicar as mensagens desta escritora que consegue com sua abordagem simples fazer o leitor pensar com carinho nas possibilidades de melhorar a Vida.

sábado, 18 de maio de 2013

"PARA LER AOS POUCOS..." O TRÂNSITO E O ÔNIBUS ELÉTRICO - A AJUDA IMEDIATA PARA A ECONOMIA E A MOBILIDADE URBANA - Por Neo Cirne


Um dos grandes problemas que afeta a população mundial é o deslocamento urbano. Aqui no Brasil, o trânsito das megalópoles como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília é muito problemático. Outras cidades grandes de nosso país sofrem com as enormes retenções formadas nos horários de grande deslocamento. Hoje destacaremos como exemplo de um trânsito confuso, a Cidade de Brasília.


A grande quantidade de carros pelas vias da cidade é imensa. A frota de ônibus é insuficiente para atender a população que se submete a grandes deslocamentos. A malha viária não tem sido ampliada, vemos quase sempre uma maquiagem, com a criação de faixas seletivas, recapeamento asfáltico e colocação excessiva de pardais como forma de organizar o trânsito.

Por ser uma cidade projetada para abrigar a administração federal Brasília possui prédios pequenos com arquitetura moderna, mas que numa ótica realista está completando mais de 50 anos. Já é tempo para ser revista a lei que regulamentou as edificações pequenas, alguns prédios já estão sendo construídos com mais andares, mas em localidades do entorno, como Cruzeiro e outras.
Os prédios de Brasília eram inicialmente destinados à moradia dos funcionários. Eles são pequenos, de quatro andares, no máximo e a maior parte não possui garagem. A população foi aumentando e os problemas aparecendo. Por falta de espaço físico esparramou-se em outros locais, até hoje não definidos como cidade ou distrito, são "Regiões Administrativas". Enfim, como consequência de décadas da abandono o Distrito Federal esparramou-se muito. Morar no DF exige um grande sacrifício da população no seu deslocamento. Em volta de Brasília e das "Regiões Administrativas que pertencem ao DF" estão as chamadas "cidades do entorno", que são cidades do Estado de Goiás, que já existiam ou cresceram em volta do DF. (vejam o mapa)


 Apenas para arrumar as nossas ideias estou colocando estes dois mapas. Tentaremos entender o que acontece com o super-trânsito no Distrito Federal. Tudo e todos passam por Brasília, uma pessoa que viaje de carro do Sul para o Norte, passa por Brasília e vice-versa. Acumula-se a estes viajantes todo o tráfego das localidades do DF que dirigem-se à Brasília, vejam:

REGIÕES ADMINISTRATIVAS DO DF

A frota de carros circulantes pelas principais vias do DF é imensa e o deslocamento parece um problema infindável. Estimular a venda de carros gera uma grande receita para o país. Os grandes órgãos da mídia parecem só ter olhos para as indústrias automobilísticas, visto que, a cada intervalo comercial na TV, a maioria dos anúncios são de promoções de veículos. Quem compra um carro quer locomover-se, mas como? As vias estão congestionadas 24 horas por dia. Há um tempo atrás, passando pelo EIXÃO, uma das vias principais de que corta a Capital Federal, observei a quantidade imensa de carros circulantes, e isto de madrugada, imaginem nos horários de maior fluxo. É muito difícil, tudo é distante e leva-se tempo demais nos deslocamentos.

Soluções imediatas têm que ser pensadas e sair do papel para a execução. Não basta idealizar e não definir atitudes, esperando que um mega-empresário se interesse em realizar a obra que devido a entraves burocráticos, dificilmente sai do papel.

São Paulo, que é a cidade que possui os maiores congestionamentos do país, trata com muita responsabilidade este assunto e pensa em novas soluções. Assim como Brasília, sendo que numa proporção bem maior, a cidade recebe em seu deslocamento os moradores da capital, de localidades próximas, do interior do estado e de todo o Sul e Sudoeste Brasileiro. Gente! É muito carro! Estes gargalos estendem-se pelas rodovias federais, a Regis Bittencourt, que liga São Paulo à Curitiba, passagem obrigatória para o Sul do país é terrível... É uma aventura trafegar por ela.

 No Rio, os problemas não são diferentes. Sair ou entrar pela Rodovia Presidente Dutra, na altura da baixada fluminense, é um exercício de paciência extrema, isto sem contar os engarrafamentos normais das Linhas vermelha e Amarela. Onde vamos parar? Esta é a pergunta de todo o dia de quem dirige por aí: Onde vamos parar engarrafados no trânsito destas cidades?

BOA NOTÍCIA
Para nossa satisfação, vi uma matéria publicada na Agência Brasil, que fala da Cidade de Curitiba, que não tem um trânsito tão pesado quanto as citadas, mas saiu na frente com mais uma ideia: A utilização de ônibus elétricos, os HIBRIBUS, Uma tentativa de melhorar a qualidade do ar e economia de combustível fóssil. Por outro lado, em termos de Mobilidade Urbana Inteligente, Curitiba sempre esteve na frente do resto do país. Lá aprendemos o que era ter uma via expressa de qualidade e uma frota que prima pela pontualidade, equiparando-se ao serviço metroviário. 

Com a chegada dos Grandes eventos, como a Copa das Confederações, da Jornada Mundial da Juventude, da Copa do Mundo e das Olimpíadas em 2016, o nosso país será submetido a um grande teste. Sabemos que sozinho, o governo não terá condições de receber bem esta grande quantidade de irmãos moradores em outros países. Precisamos estar unidos e ajudar, pelo menos exercitando a paciência, para que mostremos ao mundo que, quando queremos, podemos ser melhores.
A citação da cidade de Brasília, deveu-se apenas para mostrar a necessidade de atenção imediata que aquela linda cidade requer, com relação a melhor utilização dos seus espaços. Pois, as maiores cidades do país, em termos de mobilidade, estão melhorando no que é possível melhorar, apesar do aumento da frota circulante. Daí a necessidade de se modernizar as estradas para facilitar as vias de escoamento da produção, repensar na reativação de nosso transporte ferroviário e modernização dos portos brasileiros.

O governo está de parabéns por esta iniciativa que gerou grande correria no Congresso Nacional para aprovação da Lei de Modernização dos Portos. Não há mais tempo a perder! Tim-Tim! 

Neo Cirne



Vamos encerrar este comentário colocando a matéria da Agência Brasil, leiam e informem-se:

Curitiba é a primeira cidade do país a produzir ônibus elétrico

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - A capital do Paraná, Curitiba, foi pioneira no país na produção de ônibus elétricos para transporte coletivo. No município já estão em operação 30 veículos hibribus, ônibus movidos por dois motores, um deles abastecido por energia elétrica e outro, por biodiesel. Esse é o primeiro ônibus híbrido produzido pela Volvo no Brasil, por encomenda da prefeitura de Curitiba. O investimento, porém, foi feito pelas empresas privadas do setor de transporte urbano.
A operação desses veículos começou em setembro do ano passado em linhas alimentadoras, que têm muitas paradas. Segundo informou à Agência Brasil a assessoria da empresa Urbs-Urbanização de Curitiba, responsável pelas ações estratégicas de planejamento, operação e fiscalização que envolvem o serviço de transporte público na capital paranaense, o ônibus híbrido é mais eficiente quanto maior for o número de paradas, porque a cada frenagem ele recarrega a bateria.
Além de ser menos poluente, o ônibus elétrico é silencioso, porque o motor elétrico é usado no arranque, etapa que provoca mais barulho nos ônibus convencionais. O silêncio é uma das vantagens que o ônibus elétrico apresenta em relação aos veículos convencionais, além do conforto que oferece ao motorista e aos passageiros, ressaltou o condutor José Osnir, da Auto Viação Marechal, que dirige um desses ônibus. “É bem melhor que os outros ônibus (convencionais) porque o sistema de câmbio é automatizado. É silencioso e confortável. Cansa menos. E o pessoal (passageiros) está gostando”, disse à Agência Brasil.
O motor a biodiesel entra em funcionamento em velocidades superiores a 20 quilômetros por hora, e é desligado quando o veículo está parado. O ônibus consome 35% menos combustível e mostra redução de 35% na emissão de gás carbônico, em relação a veículos com motores Euro 3 (norma europeia para controle da poluição emitida por veículos motores). Oferece também redução de 80% de óxido de nitrogênio (NOx) e de 89% de material particulado (fumaça).
O hibribus foi lançado durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, em junho de 2012 no Rio. Atualmente, os 30 ônibus híbridos percorrem cinco linhas, uma circular e quatro convencionais, bairro a bairro, que cortam toda a cidade. Essas linhas juntas transportam cerca de 20 mil passageiros/dia. Os ônibus elétricos têm capacidade para 85 passageiros cada.
No Rio de Janeiro, foi publicado no Diário Oficial do dia 16 de abril decreto criando o GT Veículos Elétricos. Trata-se de um grupo de trabalho que irá avaliar a implantação de uma fábrica de veículos elétricos no estado. O GT será coordenado pelo Programa Rio Capital da Energia, da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedeis). A próxima reunião do grupo está programada para a primeira semana de maio.
Várias secretarias estaduais terão representantes nesse grupo, além empresas Nissan do Brasil, Petrobras, Light, Ampla e a Agência de Promoção de Investimentos do Rio de Janeiro (Rio Negócios).
A Coordenadora do Programa Rio Capital da Energia, Maria Paula Martins, informou à Agência Brasil que a ideia do grupo de trabalho é estudar a infraestrutura necessária para viabilizar o uso de carros elétricos no Rio. “A partir desse estudo é que seria viabilizada conjuntamente uma fábrica da Nissan, que vai produzir carros elétricos. A Nissan é pioneira nesse tipo de veículos no mundo. O governo do estado não teria participação nessa fábrica. O investimento é privado”, disse ela.
Os investimentos se aproximam de R$ 400 milhões. Maria Paula destacou que ainda não há uma localização ideal prevista para a construir a fábrica. ”Essa localização só será identificada a partir dos estudos que demonstrarem a infraestrutura necessária a ser implementada”. Poderão ser concedidos incentivos pelo governo fluminense nos mesmos moldes dos que foram dados a outras montadoras, como o financiamento de parte do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) durante o período do investimento.
Para a coordenadora do Programa Rio Capital da Energia, a principal vantagem que o veículo elétrico apresenta é que não é poluente, não consome um combustível fóssil, não emite gases, é silencioso e pode ter um custo competitivo.
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financia de forma diferenciada a aquisição de ônibus híbridos e elétricos produzidos no país, dentro da linha Finame, voltada para a compra de máquinas e equipamentos nacionais. Esse tipo de veículo começou a ser financiado pelo banco em 2012. De lá para cá, as operações aprovadas somam empréstimos no valor de R$ 140 milhões. Não há limite estabelecido para os financiamentos à compra desses veículos pelas empresas, informou a assessoria de imprensa do BNDES.


Edição: Tereza Barbosa
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil    

  

"Neo-Day, mensagem para um novo dia feliz" - APRENDIZADO - por Neo Cirne

“Neo-Day, a mensagem para um novo dia feliz”

APRENDIZADO

Olá meus amigos, hoje eu acordei com muito frio, um pouco de saudade e meio inspirado, a ponto de pegar meu violão às sete da manhã e começar a dedilhar uma nova música. Não sei se concluirei a canção, pois fazer uma música é um momento muito especial, é necessário ter uma grande emoção para lhe acompanhar e estar sintonizado com o Divino, eu acho. Existe até um lindo samba-canção, chamado “O Poder da Criação”, da autoria de João Nogueira e Paulo César Pinheiro, que retrata bem este doce processo criativo. Assim, envolvido neste clima saudosista, pensei: “A vida é uma escola e mantém um grande aprendizado, onde o Mestre é o Tempo Imortal e nós, meros Aprendizes mortais, que temos de resolver nossos problemas e as mais difíceis equações aqui neste plano, adquirindo a evolução desejada.” Acabei de fazer este pensamento para incluí-lo na canção. Se eu não concluir a música, pelo menos terei salvo esta mensagem.

 Folheando algumas mensagens que guardo, encontrei esta passagem de Shakespeare que fala, exatamente, de aprendizado. Chama-se: “Eu Aprendi” ao lê-la mais uma vez emocionei-me, aí pensei... É esta a mensagem deste segundo “Neo-Day” do mês. Interessante como o acaso nos leva à seleção de temas legais, construtivos de um novo dia. Vou deixar vocês lendo Shakespeare e voltar ao violão, aproveitando a chama da emoção deste célebre dramaturgo, que se consagrou como o Grande Mestre do Amor. 

Com os votos de um lindo Dia Novo, deixo para vocês este beijo, este abraço na imaginação que Sir William Shakespeare deu na Vida. 


Um Neo-Day pra vocês! Tim-Tim!
Neo Cirne



EU APRENDI

EU APRENDI
Que a melhor sala de aula do mundo
Está aos pés de uma pessoa mais velha; 

EU APRENDI
Que ser gentil é mais importante do que estar certo; 

EU APRENDI
Que eu sempre posso fazer uma prece por alguém
Quando não tenho a força para
Ajudá-lo de alguma outra forma; 

EU APRENDI
Que não importa quanta seriedade a vida exija de você,
Cada um de nós precisa de um amigo
Brincalhão para se divertir junto;

EU APRENDI
Que algumas vezes tudo o que precisamos
É de uma mão para segurar
E um coração para nos entender; 

EU APRENDI
Que deveríamos ser gratos a Deus
Por não nos dar tudo que lhe pedimos; 

EU APRENDI
Que dinheiro não compra "classe"; 

EU APRENDI
Que são os pequenos acontecimentos
Diários que tornam a vida espetacular; 

EU APRENDI
Que debaixo da "casca grossa" existe uma pessoa 
Que deseja ser apreciada,
Compreendida e amada; 

EU APRENDI
Que Deus não fez tudo num só dia;
O que me faz pensar que eu possa? 

EU APRENDI
Que ignorar os fatos não os altera; 

EU APRENDI
Que o amor, e não o tempo,
É que cura todas as feridas; 

EU APRENDI
Que cada pessoa que a gente conhece
Deve ser saudada com um sorriso; 

EU APRENDI
Que ninguém é perfeito
Até que você se apaixone por essa pessoa;

EU APRENDI
Que a vida é dura, mas eu sou mais ainda; 

EU APRENDI
Que as oportunidades nunca são perdidas; 
Alguém vai aproveitar as que você perdeu. 

EU APRENDI
Que quando o ancoradouro se torna amargo 
A felicidade vai aportar em outro lugar; 

EU APRENDI
Que devemos sempre ter palavras doces e gentis 
Pois amanhã talvez tenhamos que engoli-las; 

EU APRENDI
Que um sorriso é a maneira mais barata
De melhorar sua aparência; 

EU APRENDI
Que todos querem viver no topo da montanha,
Mas toda felicidade e crescimento
Ocorre quando você esta escalando-a; 

EU APRENDI
Que quanto menos tempo tenho,
Mais coisas consigo fazer.

(William Shakespeare)





Tim-Tim!

sexta-feira, 17 de maio de 2013

A Primeira Mensagem: A Águia e o Pardal - Por Neo Cirne

Amigos nesta "Primeira Matéria" de hoje selecionei um texto bem interessante. Trata-se de um conto, o qual desconheço a autoria, mas que exige de nós uma boa interpretação. Portanto, leiam com atenção, ele traz uma linda mensagem subliminar de liberdade, que é de fácil compreensão. Vocês irão gostar, tenham um lindo Fim de Semana. Hoje é sexta-feira, dia de agradecer e brindar a alegria de muitos. Portanto, tenham um bom Happy Hour! Tim-Tim!


A Águia e o Pardal 

Autoria desconhecida
O sol anunciava o final de mais um dia e lá, entre as árvores, estava Andala, um pardal que não se cansava de observar Yan, a grande águia. Seu voo preciso, perfeito, enchia seus olhos de admiração. Sentia vontade em voar como a águia, mas não sabia como o fazer. Sentia vontade em ser forte como a águia, mas não conseguia assim ser. Todavia, não cansava de segui-la por entre as árvores só para vislumbrar tamanha beleza... Um dia estava a voar por entre a mata a observar o voo de Yan, e de repente a águia sumiu da sua visão. Voou mais rápido para reencontrá-la, mas a águia havia desaparecido. Foi quando levou um enorme susto: deparou de uma forma muito repentina com a grande águia a sua frente. Tentou conter o seu voo  mas foi impossível, acabou batendo de frente com o belo pássaro. Caiu desnorteado no chão e quando voltou a si, pode ver aquele pássaro imenso bem ao seu lado observando-o. Sentiu um calafrio no peito, suas asas ficaram arrepiadas e pôs-se em posição de luta. A águia em sua quietude apenas o olhava calma e mansamente, e com uma expressão séria, perguntou-lhe:
— Por que estás a me vigiar, Andala?
— Quero ser uma águia como tu, Yan. Mas, meu voo é baixo, pois minhas asas são curtas e vislumbro pouco por não conseguir ultrapassar meus limites.
— E como te sentes amigo sem poder desfrutar, usufruir de tudo aquilo que está além do que podes alcançar com tuas pequenas asas?
— Sinto tristeza. Uma profunda tristeza. A vontade é muito grande de realizar este sonho...
O pardal suspirou olhando para o chão... E disse:
— Todos os dias acordo muito cedo para vê-la voar e caçar. És tão única, tão bela. Passo o dia a observar-te.
— E não voas? Ficas o tempo inteiro a me observar? Indagou Yan.
— Sim. A grande verdade é que gostaria de voar como tu voas... Mas as tuas alturas são demasiadas para mim e creio não ter forças para suportar os mesmos ventos que, com graça e experiência, tu cortas harmoniosamente...
— Andala, bem sabes que a natureza de cada um de nós é diferente, e isto não quer dizer que nunca poderás voar como uma águia. Sê firme em teu propósito e deixa que a águia que vive em ti possa dar rumos diferentes aos teus instintos. Se abrires apenas uma fresta para que esta águia que está em ti possa te guiar, esta dar-te-á a possibilidade de vires a voar tão alto como eu. Acredita!
E assim, a águia preparou-se para levantar voo, mas voltou-se novamente ao pequeno pássaro que a ouvia atentamente:

— Andala, apenas mais uma coisa: Não poderás voar como uma águia, se não treinares incansavelmente por todos os dias. O treino é o que dá conhecimento, fortalecimento e compreensão para que possas dar realidade aos teus sonhos. Se não pões em prática a tua vontade, teu sonho sempre será apenas um sonho. Esta realidade é apenas para aqueles que não temem quebrar limites, crenças, conhecendo o que deve ser realmente conhecido. É para aqueles que acreditam serem livres, e quando trazes a liberdade em teu coração poderás adquirir as formas que desejares, pois já não estarás apegado a nenhuma delas, serás livre! Um pardal poderá, sempre, transformar-se numa águia, se esta for sua vontade. Confia em ti e voa, entrega tuas asas aos ventos e aprende o equilíbrio com eles. Tudo é possível para aqueles que compreenderam que são seres livres, basta apenas acreditar, basta apenas confiar na tua capacidade em aprender e ser feliz com tua escolha!

Tim-Tim!

quinta-feira, 16 de maio de 2013

CURIOSIDADE: " A diferença entre Psiquiatra, Psicólogo e Psicanalista - Artigo de Patrícia Lopes

Olá amigos, são tantas as denominações dos profissionais envolvidos nas atividades terapêuticas relacionadas com a mente, o psiquê, que ficamos na dúvida a quem devemos procurar nos momentos difíceis, em que as nossas atitudes fogem do controle e necessitamos de um apoio eficaz para restabelecer a sintonia normal que a vida nos exige. Existem várias denominações, e sub-especializações de cada uma delas. No site da www.brasilescola.org encontrei uma matéria bem interessante e que esclarece esta curiosidade e muitas outras curiosidades, aproveitem para conhecerem este site, ele é bem útil.
Tim-Tim!
Neo



A DIFERENÇA ENTRE PSIQUIATRIA, PSICÓLOGO E PSICANALISTA.


O termo “psi”, bastante utilizado pelas pessoas, muitas vezes pode ser permeado de confusão quanto aos significados, principalmente quando se refere aos profissionais indicados por este termo: psiquiatra, psicólogo ou psicanalista.

O psiquiatra é um profissional da medicina que após ter concluído sua formação, opta pela especialização em psiquiatria. Esta é realizada em 2 ou 3 anos e abrange estudos em neurologia, psicofarmacologia e treinamento específico para diferentes modalidades de atendimento, tendo por objetivo tratar as doenças mentais. Ele é apto a prescrever medicamentos, habilidade não designada ao psicólogo. Em alguns casos, a psicoterapia e o tratamento psiquiátrico devem ser aliados.

O psicólogo tem formação superior em psicologia, ciência que estuda os processos mentais (sentimentos, pensamentos, razão) e o comportamento humano. O curso tem duração de 4 anos para o bacharelado e licenciatura e 5 anos para obtenção do título de psicólogo. No decorrer do curso a teoria é complementada por estágios supervisionados que habilitam o psicólogo a realizar psicodiagnóstico, psicoterapia, orientação, entre outras. Pode atuar no campo da psicologia clínica, escolar, social, do trabalho, entre outras.

O profissional pode optar por um curso de formação em uma abordagem teórica, como a gestalt-terapia, a psicanálise, a terapia cognitivo-comportamental.

O psicanalista é o profissional que possui uma formação em psicanálise, método terapêutico criado pelo médico austríaco Sigmund Freud, que consiste na interpretação dos conteúdos inconscientes de palavras, ações e produções imaginárias de uma pessoa, baseada nas associações livres e na transferência. Segundo a instituição formadora, o psicanalista pode ter formação em diferentes áreas de ensino superior.

Por Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola




Fonte:

quarta-feira, 15 de maio de 2013

A MENSAGEM DO PARTICIPANTE: ATRITOS - Texto de Roberto Crema - Por Anna Cristina/PE




Atendendo ao lindo e-mail recebido da amiga pernambucana Anna Christina (Ninha PE), com todo o carinho que temos pelos participantes do projeto que colaboram com o envio de matérias para publicação, agradeço profundamente o envio. Aproveito para abraçar, em nome do nosso Brinde À Vida, todos os queridos amigos do lindo Estado de Pernambuco. Enviamos um abraço especial para a sua linda família, ao Denys, à Clarinha e pra você Anninha, o nosso eterno agradecimento. Tim-Tim!
Vejam o e-mail:



Neo, você solicita que ajudemos mais enviando matérias para o site, quero ajudar enviando mais esta mensagem... Veja se esta abaixo é interessante para publicar. Eu gostei e recebi num e-mail com um texto do Roberto Crema, que é Psicólogo e Antropólogo, que impulsionou a criação da Universidade Internacional da Paz – UNIPAZ.

Peço que quando falar sobre quem enviou, junto escreva que envio como uma homenagem a duas pessoas que amo muito, uma é alguém que me ajudou e me ajuda muito a ser cada dia uma pessoa melhor, que é o Denys e outra pessoa pela qual tento ser esta pessoa melhor, esta é minha filha Clara, a Princesinha. Ambos são, como eu, participantes de UBAV e temos imenso prazer em participar desta obra. É muito bom contarmos com um trabalho dinâmico, diversificado e que possui múltiplos enfoques positivos. Gostaria de pedir aos amigos que continuassem prestigiando o lindo Concurso de Frases, que há anos temos tido o prazer de prestigiar. Grata!

Segue abaixo o texto

Atritos

Ninguém muda ninguém; ninguém muda sozinho; nós mudamos nos encontros.
É nos relacionamentos que nos transformamos.
Passar pela vida sem se permitir um relacionamento próximo com o outro, é não crescer, não evoluir, não se transformar.
É começar e terminar a existência com uma forma tosca, pontiaguda, amorfa.

Quando olho para trás, vejo que hoje carrego em meu ser várias marcas de pessoas extremamente importantes. Pessoas que, no contato com elas, me permitiram ir dando forma ao que sou, eliminando arestas, transformando-me em alguém melhor, mais suave, mais harmônico, mais integrado.

Outras, sem dúvida, com suas ações e palavras me criaram novas arestas, que precisaram ser desbastadas.

Faz parte... A isso chamamos experiência.
Começamos a jornada da vida como grandes pedras, cheias de excessos.
Os seres de grande valor percebem que ao final da vida, foram perdendo todos os excessos que formavam suas arestas, se aproximando cada vez mais de sua essência, e ficando cada vez menores, menores, menores...
Quando finalmente aceitamos que somos pequenos, ínfimos, dada a compreensão da existência e importância do outro, e principalmente da grandeza de DEUS, é que finalmente nos tornamos grandes em valor.

Já viu o tamanho do diamante polido, lapidado?
Sabemos quanto se tira de excesso para chegar ao seu âmago. É lá que está o verdadeiro valor...

Pois, DEUS fez a cada um de nós com um âmago bem forte e muito parecido com o diamante bruto, constituído de muitos elementos, mas essencialmente de AMOR.

DEUS deu a cada um de nós essa capacidade, a de AMAR... Mas temos que aprender como. Para chegarmos a esse âmago, temos que nos  permitir, através dos relacionamentos, ir desbastando todos os excessos que nos impedem de usá-lo, de fazê-lo brilhar.

Por muito tempo em minha vida acreditei que amar significava evitar sentimentos ruins. Não entendia que ferir e ser ferido, ter e provocar raiva, ignorar e ser ignorado faz parte da construção do aprendizado do amor. Não compreendia que se aprende a amar sentindo todos esses sentimentos contraditórios e superando-os.
Ora, esses sentimentos simplesmente não ocorrem se não houver envolvimento...
E envolvimento gera atrito. Minha palavra final: ATRITE-SE!
Não existe outra forma de descobrir o AMOR. E sem ele a VIDA não tem significado.

(Trechos do texto de Roberto Crema)




Façam como a Ninha PE, ajudem o site a ficar cada vez melhor, esperamos sua opinião, participação em nossas ações, promoções e concursos, cujo propósito principal é a solidariedade e a cultura. 


Tim-Tim!

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger