quarta-feira, 24 de abril de 2013

"NEO DAY" ANTIGAS LEMBRANÇAS E AUTO-AJUDA - Por Neo Cirne


“Neo Day”
Mensagem para um novo dia feliz



ANTIGAS LEMBRANÇAS E AUTO-AJUDA


Recordo que quando era criança eu tinha um hábito que não era muito apreciado por minha irmã. Somos irmãos consanguíneos, portanto filhos do mesmo pai e da mesma mãe e donos de personalidades tão diferentes. Enquanto ela era meio distante e tímida eu era mais presente e falador. Eu adorava ser visitado por meus primos(a)s e tias(o)s, família, enfim. Já minha irmã os cumprimentava e saía ou trancava-se no quarto. Eu fazia questão de brincar com os primos, de me aproximar dos mais velhos para ouvir suas notícias e histórias. 



Na década de 60 não existiam tantas informações como temos hoje em dia. Lembro que as notícias vinham através das rádios, dos poucos jornais como: O Jornal do Brasil – O Globo – O Diário de Notícias. Nas poucas revistas da época destacavam-se: O Cruzeiro – Manchete e a revista de fofocas do rádio chamada REVISTA DO RÁDIO. Não possuíamos uma TV regular no Brasil. 

As novelas que faziam sucesso eram produzidas pela Rádio Dramatização da Rádio Nacional – A GRANDE NOVELA e os tradicionais seriados JERÔNIMO – (O herói do sertão) e as histórias do detetive: O ANJO eram imperdíveis. Nas quartas-feiras, às 22 horas, a Rádio Nacional apresentava o TEATRO DE MISTÉRIO, eu adorava. – Nos fins de semana os tradicionais programas de auditório, destacando-se o “CÉSAR DE ALENCAR” e “UM INSTANTE MAESTRO”. A informação vinha do “REPÓRTER ESSO” e de “A VOZ DO BRASIL”. Essas eram as fontes que mantinham acesas as cadeias informativas do nosso povo. Mas, o papo dos tios era muito mais gostoso e cheio de graça. 



Naquela época, por não haver TV, as famílias reuniam-se nas portas de suas casas para papearem e olhar a Lua, vez por outra meu pai tocava violão e todos cantavam. Cresci ouvindo meu pai cantar e tocar violão e logo, aos 8 anos, aprendi a tocar também e a compor minhas primeiras músicas. Eram dias felizes aqueles! 





A informação não nos faltava naqueles momentos, pois o rádio, sempre ligado, nos abastecia, até de alegria e comicidade, com o PRK-30 um programa humorístico de grande audiência.




O SURGIMENTO DA TV

Trazida para o Brasil por Assis Chateaubriand em 1950, com o intuito de aumentar o seu conglomerado de mídia, este grande empreendedor inaugurou, em 18 de setembro de 1950 a TV TUPI de São Paulo. Ela possuía um indiozinho como logomarca.

A partir daí a televisão foi se alastrando por todo o país. No Rio de Janeiro, onde eu morava, a TV TUPI, canal 6, foi inaugurada em 1951, mas tudo era muito primário, pois não possuíamos fábricas de aparelhos de TV no Brasil, tudo era importado e era considerado artigo de alto luxo ter um aparelho de TV. Só a partir de 1954, mais ou menos, a TV popularizou-se, acabando aos poucos com a gostosa reunião de família na porta dos lares, meu pai só em 1956 conseguiu comprar uma TV. Nós continuamos cantando e apreciando a Lua, por um bom tempo fui um Tele-vizinho...rsrs.

Assim, comecei a perceber, mesmo sendo menino, que todos nós precisávamos de exemplos para moldar os nossos caráteres. As informações que os nossos pais nos transmitiam eram, na maioria dos lares, tidas como verdades absolutas. A maior parte delas era baseada no medo e na repressão, tais como:

·       Criança não tem querer
·       Seja um menino bonzinho
·       Criança tem que ir pra cama depois do jantar
·       Respeite os mais velhos
·       Em conversa de gente grande criança não dá palpite
·       “Papai do Céu” castiga criança malcriada

Como boas crianças fomos crescendo e aprendendo que revelar os nossos sentimentos confusos e mal informados significava entrar numa “Zona de Risco”. Ainda hoje, passados 50 anos, vemos muitas famílias que se submetem, sem qualquer contestação, ao rigor de alguns pais, nem sempre bem informados. Estes filhos de uma educação repressora que agem como espelhos, refletem a educação que lhes coube durante a vida, transmitindo-a aos seus descendentes. 



Em tempos modernos, ter filhos e educá-los para o mundo é uma arte. O exercício da verdade tem de ser permanente, se não o GOOGLE nos desmente. As crianças já não procuram tanto os pais em busca de esclarecerem suas dúvidas ou de notícias. Buscam desde cedo a internet e com extrema habilidade. Qualidade própria dos mais novos, dominam a partir dos 3 anos de idade esta máquina poderosa de comunicação da WEB.



No período de 3 a 4 anos de idade acessam e veem a Galinha Pintadinha e o Patati-Patatá. Entre 4 e 6 anos gostam dos desenhos animados, dos 7 anos aos 10 começam a buscar os jogos. Trocaram a bola das peladas na rua pelo joguinho de futebol virtual.

 À partir daí, depois dos 11 anos, procuram os sites de bate-papo e de sexo (mesmo com a proibição dos pais), para em seguida entrarem nos sites de relacionamento: os meninos  procurando  A GATINHA PINTADINHA e as meninas OS GATÕES SARADÕES...

 Depois dos 20 anos continuam a busca até cada um encontrar o seu gato, ou não. Depois que os encontram postam suas fotos no Facebook para mostrar para o mundo o fruto de suas conquistas; depois postam as fotos familiares, mostram suas críticas aos governantes ou colocam mensagens de auto-ajuda.

A internet é uma ferramenta maravilhosa quando usada para o Bem, mas pode ser muito ruim quando utilizada para promover o Mal.

POR QUE BUSCAMOS A NET?
Buscamos a NET para encontrar pessoas especiais, detentoras de qualidade e possuam sintonia com nossa maneira de pensar. Juntamo-nos tal qual uma família que sempre trás uma notícia nova ou uma emoção boa que possa acrescer novos valores em nossa caminhada. 

Estes amigos tão importantes formam uma nova família para nós. Sentimos alegria quando se aproximam ou interagem e tristeza quando se afastam. Eles substituem atualmente aquela família reunida na calçada e que cantava ao luar.

Quando crianças, aprendemos a ser bonzinhos e a nos submetermos a autoridade externa, mas... Será que vale a pena? Será que é louvável fazer coisas só para obter a aprovação alheia, mesmo sabendo que estamos bloqueando os nossos sentimentos? O pior é que carregamos este hábito pelo resto de nossas vidas. (Deixo a resposta pra vocês, tenho as minhas convicções).

Na sua vida toda as outras pessoas têm andado a lhe dizer quem você é, o que precisa fazer, o que deve evitar, qual a melhor forma para obter o que quer, o que vestir, o que comer... Aonde ir. Primeiro são os pais, depois a escola, em seguida a religião, após o casamento: o conjugue e finalmente o governo. E você de tanto ouvir, também vive a dizer o que deve e o que não se deve fazer, enchendo-se de culpa quando faz algo que não trás a aprovação dos outros. Será que os outros estão realmente certos? Pode ser que estejam ou não. 

Assim sendo, acredito que entre a sua decisão de cercear sua liberdade de arriscar a ser feliz, mesmo expondo-se ao insucesso e seguir velhos modelos estabelecidos por terceiros, surge uma questão fundamental, a construção de SUA felicidade, mesmo em discordância você pode e deve arriscar ser feliz. 
Felicidade é um processo de construção interna. Seja autêntica(o) e pratique o Bem, tenha paciência e seja otimista. Pense positivo e auto ajude-se: a vitória não escreve páginas para os covardes.


AUTO-AJUDA

 Para terminar este "Neo Day" quero lembrar a história de uma pessoa que conheci há muitos anos atrás. Ela era uma pessoa dócil, amorosa, boa filha, ouvia o conselho de todos, diziam: Faça isto!  Coma aquilo que faz bem!  Vista-se assim ou assado. Só que ela, como boa Taurina, gostava muito de tomar suas próprias decisões com liberdade de pensamento e arriscava não seguir os conselhos contrários ao seu estilo de vida. 
Por não se dar muito bem com a mãe, que era autoritária, casou-se precocemente com seu primeiro namorado. Não sabia nem o que era o amor. Sua família tinha muito pouco a acrescentar no quesito amorosidade e isto a entristecia demais. Precisava mudar aquela situação e casando-se teria a possibilidade de ter a sua própria família, educar seus filhos ao seu jeito. Ela era uma pessoa de hábitos simples e de coração gentil. 

Um de seus sonhos era ter filhos e um marido que fosse igualmente amoroso e bom. Que fosse seu companheiro de todas as horas, ajudando-a a construir os seus sonhos pessoais e familiares. Um deles era o de estudar, fazer um curso superior, graduando-se numa carreira que gostasse muito. Fez o vestibular e passou para uma faculdade distante de sua cidade e aí começou o bloqueio familiar. A mãe interferia, os irmãos davam opiniões contrárias e o marido enciumado começou a torpedear a relação. 

Ele torcia para que ela não completasse o curso, queria que ficasse dentro de casa, cuidando dos filhos 24 horas, sem possibilidades de estudar. Até que um dia, superando todos os obstáculos, finalmente conseguiu se formar. Uma vitória para aquela mulher batalhadora.

Continuou perseverando e cuidando dos filhos, enquanto o marido, que não tinha nem o segundo grau, começou a se sentir inferiorizado, ficando mais agressivo ainda. O casamento acabou. 

Ela passou num concurso estadual e passou a lecionar. Não ganhava muito, mas era o princípio de uma afirmação profissional. Continuou estudando, pós graduou-se e montou o seu consultório. A vida, lentamente foi mudando e ela crescendo mais, interna e financeiramente.

Hoje em dia esta pessoa é uma das profissionais mais conceituadas de sua cidade, vive feliz com seus filhos e conquistou sua afirmação profissional, enquanto todos de sua família que a criticavam por ter o desejo de crescer e prosperar, tiveram que engolir as suas críticas. Criticar é muito fácil, ajudar é mais difícil. Ela foi que auto ajudou-se, no momento em que mantevesse firme em seu propósito, mereceu vencer.


Citei este fato para afirmar que às vezes é necessário você assumir uma posição, mesmo que contrarie a expectativa dos outros em relação a sua conduta. Como dizia Chico Xavier:

“A existência na Terra é um livro que estás escrevendo... Cada dia é uma página... Cada hora é uma afirmação de tua personalidade.”

 Aproveito para parabenizar a pessoa citada como exemplo, pelo transcurso do seu aniversário. 

Tim-Tim! 

Parabéns por sua coragem e pelo seu sucesso!

AS PESSOAS 100% DETERMINADAS NASCEM 50% VENCEDORAS, A PERDA DOS 50% DE POSSIBILIDADES DO SUCESSO ESTÁ CONDICIONADA AOS FATORES EXTERNOS, COMO FAMÍLIA E AMIGOS, AQUELES QUE TÊM INVEJA DA SUA FORÇA DE VONTADE... PERSISTA!

 Auto-ajuda é conhecer-se, ou seja, é observar a sequência de sensações que fluem em você, e neste tipo de aprendizado, não adianta ficar somente no campo intelectual, no racional.

 Intelectualizar é importante por questões práticas da vida diária, mas para conquistar um “Novo Dia Feliz” é imprescindível “SENTIR”, principalmente quando lidamos com questões existenciais como “QUEM SOU EU?” ou “O QUE É MELHOR PRA MIM AGORA?”. Perceba-se e avalie as possibilidades, se tiver coragem de sobrepor os obstáculos, vá em frente!


VOCÊ MERECE UM NEO-DAY!




Tim-Tim!

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger