terça-feira, 19 de março de 2013

SAÚDE TIM-TIM - ALCOOLISMO E TRÂNSITO... UMA MISTURA FATAL

Bom dia, meus amigos. Falaremos hoje de um grave problema de saúde, o alcoolismo.
Quantas pessoas já passaram por problemas com o consumo exagerado do álcool? Acredito que todos nós conheçamos alguém que tenha sofrido de dependência alcoólica. Muitas famílias sofrem com a perda da paz de espírito desde que o consumo rotineiro de álcool entrou em suas vidas.

Como o nosso projeto social deseja o melhor para todos os nossos amigos, cabe-nos chamar a atenção e até convocá-los à realizar um debate sobre este tema: "O consumo exagerado do álcool. A mais antiga de todas as drogas". Será uma troca de informações entre vocês e um médico especialista no assunto. Nós levaremos suas perguntas e dúvidas até ele e, certamente, nosso médico os aconselhará com todo o critério. Você poderá enviar sua pergunta e escolher um apelido para reconhecer a sua resposta. Escreva para a redação de UBAV e tire sua dúvida. 

O ALCOOLISMO
É uma questão complexa, sabemos disso. O consumo de álcool está presente em todos os lugares do planeta e leva milhares de pessoas a perderem suas vidas anualmente.
Um caso:
Conheci pessoas, uma família inteira, onde todos bebiam, eram obesos e fumantes. Um deles comprou uma geladeira só pra ele, colocava-a em seu quarto, enchia de latinhas de cerveja e trancava a porta da geladeira a cadeado, acreditem. Era o seu tesouro. Podia faltar tudo na vida, menos a cerveja e o cigarro.

Outro caso:
Quando eu era criança, lembro bem, meu pai tinha um amigo que era aposentado e completava a renda familiar fazendo pipas para vender para a gurizada. Suas pipas eram ótimas e diferentes pelo capricho que ele aplicava na confecção. Ele era casado com uma senhora que tinha o vício da bebida e do tabagismo. Começou bebendo licor e cerveja e terminou tomando cachaça sentada na calçada, na porta de sua casa. Eram porres homéricos, o marido morria de vergonha e tentava ajudá-la, mas ela negava a sua ajuda e pegava escondido, um pouco do dinheiro da venda das pipas coloridas para comprar o cigarro e a garrafa de pinga do dia seguinte. Assim, viveram mais um tempo, até a esposa ter sido diagnosticada com uma cirrose hepática violenta que, em pouco tempo, tirou-lhe a vida.

Outros casos poderiam ser citados, pois conheci muita gente envolvida com bebidas. Muitos deles tiveram no alcoolismo uma doença recorrente. Tratavam-se, mas logo ela ressurgia e com mais força ocasionando um mal maior. São inúmeras as patologias proveniente do alcoolismo, a pior é a degradação moral.

Alcoolismo e trânsito nunca foi uma combinação feliz. Esta mistura fatal, meio com cara de modismo, na realidade sempre existiu, muitos perderam suas vidas até que o governo começou a tratar com maior rigor as pessoas que bebem, dirigem e causam danos a terceiros.
A frota de carros circulante no país cresceu em consequência das ofertas e aumento da produção. O número de ídolos que fazem propaganda de bebidas também, são cantores famosos, belas atrizes e um monte de gente bonita. Estas propagandas têm o poder de convencer, de seduzir as pessoas a consumir bebidas e a comprar carros novos. São os dois tipos de propaganda mais vistas na TV. A frase preventiva, Beba com Moderação, dita de maneira rápida ao final da propaganda dos etílicos, não tem o menor poder persuasivo e não convence ninguém. Talvez fosse melhor fazer como fizeram com a propaganda do cigarro que além de ter sido proibida apresenta fotos de doenças horrorosas nas embalagens. Na verdade a industria do cigarro teve um sério baque em suas  vendas. A mobilização foi mundial. Acho que deveria existir uma lei igual para as bebidas, mostrando fotos dos casos graves de doenças associadas ao alcoolismo no rótulo das cervejas ou de qualquer tipo de bebida. O que vocês acham?

BEBER NA ESTRADA É UM PERIGO

 Os acidentes de trânsito têm responsabilizado quase que exclusivamente os motoristas que encontram qualquer teor de álcool no sangue, sabemos que não é uma verdade absoluta. É certo que o risco de quem não está sóbrio ao volante em produzir um acidente é muito grande. Por isso sou favorável ao TOLERÂNCIA ZERO.(Programa governamental que pede ao povo para evitar dirigir após ingerir bebidas alcoólicas). Apesar disso tenho observado que os acidentes continuam aumentando. Será esta a solução desejada para a diminuição do número de acidentes?


Criou-se uma cortina de fumaça para encobrir uma série de outros problemas, como por exemplo:

  • a direção não qualificada (condutores sem carteira de habilitação, carteira comprada ou vencida) 
  • o péssimo estado das rodovias brasileiras 
  • o excesso de tráfego nas rodovias e grandes cidades 
  • carros antigos e sem manutenção adequada circulam impunes.
  • a irresponsabilidade e direção perigosa causam sérios acidentes.
  • o aumento desenfreado na produção e venda de carros novos (Nos caros intervalos comerciais da TV, só visualizamos "ofertas" de venda de carros novos - em cada 5 anúncios 4 são de vendas de carros). 
  • O desrespeito às leis de trânsito é um problema educacional. Precisamos educar as nossas crianças a entenderem os sinais de trânsito e deveres do motorista. 
  • Caminhões imensos, muito pesados, destroem o asfaltamento insatisfatório, normalmente superfaturado. 
  • Falta de fiscalização nos postos da PRF (Polícia Rodoviária Federal) - (Na última viagem que fiz de Florianópolis ao Rio de Janeiro pude observar inúmeras postos da PRF abandonados - Senti-me inseguro). Os postos de balança e controle fiscal estavam igualmente vazios. 
  • A indústria da multa coloca um número excessivo de radares, as vezes em locais inadequados. (a ganância de alguns sobrepuja o interesse em resguardar a segurança nas ruas e nas estradas).

  • Nas estradas vemos um aumento absurdo dos caminhões em circulação, os quais chegam a ocupar 3 faixas de rolamento. A falta de uma malha ferroviária aumentou tremendamente o número de caminhões nas estradas.



Diminuíram os índices mínimos toleráveis nos bafômetros, aumentaram o valor das multas e ameaçam com prisão o condutor do veículo. Parece que nada adiantou, os delitos continuam. Não seria melhor fechar as fábricas que produzem bebidas alcoólicas? Seria uma medida extrema, radical, mas o objetivo seria alcançado se houvesse, naturalmente, interesse e força de vontade.

A questão é muito polêmica e envolve muitas linhas de raciocínio, muitos interesses. Todas estas medidas assustam o motorista, mas não resolvem a situação. A tolerância nunca será zero, pois sempre existirão brechas nas leis e advogados para diminuírem o peso da punição para quem costuma beber, dirigir e causar acidentes graves. Como na semana passada, em São Paulo, na Avenida Paulista, quando um jovem trabalhador que ia de bicicleta para o trabalho, andando na faixa exclusiva reservada à ciclovia, foi atropelado por outro jovem que voltava embriagado da "balada". Ele invadiu a faixa do ciclista e causou um acidente muito grave com sério dano ao ciclista. Ainda bem que a vítima sobreviveu. Vou evitar este comentário, vocês já devem ter lido sobre o assunto, fico triste só em pensar.

Queremos ouvir sua opinião? Sobre o alcoolismo e as ações devastadoras que ele promove na sociedade. Será um prazer ouvir você.

Poderíamos até deixar alguns conselhos para que estas medidas contra o consumo de álcool ganhassem força:

O PRIMEIRO seria não permitir anúncios explícitos ou sub-liminares de venda de bebidas em qualquer veículo de comunicação. 

O SEGUNDO seria solicitar à imprensa que não noticiasse com tanta ênfase acidentes, ocorrências ou situações que tenham sido produzidas por pessoas alcoolizadas, pois tem muito "bebum" por aí querendo virar notícia. 

O TERCEIRO seria aumentar a pena imposta aos infratores e que a fiscalização acontecesse diariamente. Tem muita gente deixando pra beber de segunda a quarta, quando sabem que, normalmente, as equipes de controle de trânsito estão de folga. E, também, que os comerciantes que vendem bebidas aos menores de idade fossem mais fiscalizados.


  
Queridos leitores, convivemos com esta droga terrível, o álcool, desde que o mundo é mundo. Todos os povos do planeta bebem. Nos países que tentam impedir a comercialização o consumo de bebidas a população transgride, faz contrabando e bebe escondido.

Gostaríamos de ver as suas opiniões sobre esta questão. Escrevam para umbrindeavida@yahoo.com.br e fale um pouco sobre este tema em destaque. 
Aguardamos sua participação.

SE BEBER NÃO BRIGUE... 
SE BEBER NÃO AGRIDA SUA FAMÍLIA... 
SE BEBER NÃO TRABALHE COM MÁQUINAS CORTANTES... 
 SE BEBER NÃO TOME DECISÕES DEFINITIVAS... 
SE BEBER NÃO ATRAVESSE A RUA SEM OLHAR PARA OS LADOS


EM TEMPO:

Este comentário de hoje deve-se ao fato de estar triste com a lamentável perda de mais um amigo, que foi participante do projeto em 2009, Gustavo Hiroishi, que foi para o Japão, passou 2 anos trabalhando e retornou para rever a família. Ao amigo que partiu deste plano, a nossa homenagem. 

 Ele perdeu a vida ao pilotar sua moto. Dirigia de maneira correta, quando um bêbado saiu de um bar, atravessou a rua correndo para pegar um ônibus, esbarrando na moto do Hiroishi, fazendo com que este perdesse a direção, derrapasse, e fosse atropelado pelo ônibus.
O bêbado fugiu do local. Este fato aconteceu há pouco tempo na Grande São Paulo e só soubemos ontem. Lamentamos muito a perda do Gustavo por ele ser um ótimo rapaz, bom pai de família e um grande solidário. Que Deus proteja sua família. 






Quero também pedir a Deus que nos proteja na condução de nossas vidas e afaste este vício terrível que corrói lentamente o corpo e o caráter das pessoas.
É muito triste conviver com alcoólatras. 
É um exercício de amor, fé e tolerância  

MAIS UM LEMBRETE...

Se beber... Não case!


Até manhã!

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger