sexta-feira, 26 de outubro de 2012

INFANTIL - QUEM CONTA UM CONTO... - O GALO E A RAPOSA - Marcos Lessa

Olá amigos, estou postando uma fábula muito conhecida sobre o Galo e a Raposa. Estas fábulas têm um interesse maior, o de apresentar aos nossos filhos e netos  alguns valores importantes nas nossas vidas. 
A história de hoje foi enviada por um novo amigo paranaense Marcos Lessa, a quem agradecemos. Contem para os seus filhos ou os pequeninos da família. Tim-Tim!


O GALO E A RAPOSA

Foi num fim de tarde de um dia de outono. O Sol estava prestes a deitar-se e, com ele, todos os animais da quinta. Um galo velho e sábio  empoleirou-se num ramo de uma árvore, cantou três vezes e colocou a cabeça debaixo da asa, preparando-se para o merecido descanso noturno.

Nesse momento, uma raposa passou por ali e farejou o galo. Levantou os olhos e, vendo-o lá em cima e não podendo agarrá-lo de imediato, proclamou:
– Compadre galo, ainda não sabe da maravilhosa novidade? Foi decretada uma nova lei que estabelece a paz entre todos os animais. Desça daí, para darmos um abraço fraterno e comemorarmos este acontecimento memorável.
- Estranha novidade. - comentou o galo, cautelosamente. - Até parece mentira!
- Mas é verdade! Vamos celebrar. Venha. - insistiu a raposa, em tom alegre e animado.
- Sim, comadre raposa, estou ansioso por poder abraçá-la - respondeu o galo, esticando-se em bicos de pés, parecendo observar algo ao longe, - mas... já agora... podemos esperar pela chegada daquela matilha que parece vir na nossa direção. Pela pressa, os cães também já devem saber da tal  novidade . Assim, festejaremos todos juntos.

Perante a aproximação dos seus inimigos, e não logrando os seus intentos, a matreira desculpou-se:
– Lamento, amigo, mas não vou poder ficar para comemorar com vocês. Acho que a notícia ainda não chegou aos cães. 
Dizendo isto, correu em direção à floresta . Do alto do ramo, o galo gritava-lhe:
– Mostre-lhes a lei! Mostre-lhes a lei!

Mas a raposa já não o ouvia.

O galo sorriu triunfante, enterrou a cabeça entre as penas e adormeceu; satisfeito por ter enganado uma inimiga muito astuta.

Moral: Não confies cegamente nas palavras astutas dos outros


TIM-TIM!

Agradecemos ao amigo Marcos Lessa pelo envio da matéria, grato!

FALANDO EM GALO E RAPOSA...


Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger