segunda-feira, 10 de outubro de 2011

NOVAS AÇÕES REALIZADAS - BAHIA - por Neo Cirne

Sobre a direção de nossa grande amiga, Solange (MICO BA) o grupo de UBAV-BA realizou em setembro mais uma ação no LAR FREI LUCAS, uma instituição super-carente que os nossos abnegados membros definitivamente adotaram.

Os idosos do Lar Frei Lucas necessitam muito de ajuda. Contamos com a colaboração efetiva de todos os nossos amigos, qualquer importância ofertada será bem-vinda, pois assim poderemos ajudar não só o Lar Frei Lucas, e sim muitos outros asilos e orfanatos. Tem muita gente sofrendo e passando necessidade nestas instituições desamparadas. É aí que UBAV têm dado o exemplo à dezenas de futuros participantes. Nossos membros são anjos-amigos que reunem-se previamente e vão para onde existe a dor, a angústia do abandono e muitas vezes a fome. Levam seu abraço amigo, suas ofertas, alimentos, o otimismo, a esperança e muito carinho. Um exemplo pleno de solidariedade verdadeira. Não alardeamos e nem contamos lorotas... Não vendemos promessas e nem o Reino de Deus, simplesmente fazemos a nossa parte, ajudamos e somos solidários. Este é o Espírito de UBAV e com certeza o Espírito de Deus: Fazer o Bem sem olhar à quem.

Esta nova ação foi um exemplo de humildade e amor. As futuras participantes LILA e Rita desdobraram-se ofertando seu carinho. Lila cortou as unhas e massageou pés e mãos de todos os internos.

A querida amiga Rita, cortou os cabelos de todos os idosos. Moema e VOVÓ BA serviram um delicioso lanche, um bolo bem gostoso. Lila e Rita são amigas da Paróquia São João Evangelista.

Outra amiga querida Maria Emília ofertou um fardo de fraldões e o CEAS fez doação de roupas para os idosos. As pessoas realmente solidárias vão grupando-se com o simples desejo de ofertar um pouquinho de tempo ou ajuda que quando somada às das outras pessoas fará uma grande diferença. Isto é exemplo para muitos que não têm coragem de ofertar. Jesus dizia: "Ninguém é tão pobre que não possa ofertar e nem tão rico que não possa receber".
Foi lindo ver este grupo, tão reduzido, realizando tanto. Todos estão de parabéns!


O Projeto UBAV-BRASIL está orgulhoso de todas vocês e declara ao nosso amigo Frei Florisvaldo, que aparece nas fotos, que nós não os abandonaremos. Vez por outra nossos membros farão uma visita de apoio levando o nosso amor-solidário e muito carinho para todos os seus assistidos.

É mararavilhoso o Povo Baiano. Um povo acolhedor, amigo, feliz, musical, amante do Bem e da alegria, sendo, acima de tudo, um povo imensamente solidário.

Vejam mais algumas fotos desta ação solidária de UBAV-BA. PARABÉNS UBAVIANOS!







TIM-TIM!



"UBAV um grupo de internautas solidários unidos por um Mundo Melhor."

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Ações de ADOTE UMA ÁRVORE... Canoinhas/SC



O movimento de UBAV-BRASIL chamado "ADOTE UMA ÁRVORE" apresenta mais fotos de ações realizadas no país. Desta vez foi a Regional de UBAV-SC/CANOINHAS. A cidade de Canoinhas situada ao norte de Santa Catarina tem a seguinte história:

Canoinhas foi fundada em 1888 como Santa Cruz de Canoinhas. Tornou-se distrito em 1902 e, separada de Curitibanos em 1911, foi o centro da Guerra do Contestado entre 1912 e 1916. Por volta de 1930, um ramal ferroviário, implantado para uni-la ao distrito de Marcílio Dias, integrou a cidade à estrada de ferro São Paulo-Rio Grande do Sul e ao porto de São Francisco do Sul, provocando uma grande revolução na economia local. A variedade étnica vem desde o início da história do município, que atraiu imigrantes alemães, polacos, italianos e ucranianos por causa da erva-mate, no início do século passado. De acordo com o historiador Fernando Tokarski (2002), um dos assuntos mais polêmicos diz respeito ao topônimo ‘Santa Cruz de Canoinhas’, tido como a primeira denominação do lugar. Na verdade, o primeiro nome do lugar era mesmo apenas ‘Canoinhas’, apropriado do rio que lhe empresta essa designação. O termo ‘Santa Cruz de Canoinhas’ só apareceu após 1895 quando, segundo a tradição, o fundador Francisco de Paula Pereira, na presença do padre jesuíta João Maria Cybeo, ergueu uma cruz no ponto mais alto e mais próximo ao povoado, originando, então, a capela do lugar.



Em Canoinhas temos duas das participantes mais ativas do projeto, ZEZÉ RL SC, (Cassinha) e BENE SC. ZEZÉ é representante do projeto em sua cidade e grande motivadora. É pedagoga e trabalha na Câmara Municipal de sua cidade. É tia de dois jovens participantes Nick e Drica e grande amiga de BENE SC.

ZEZÉ SC E ALUNOS PLANTANDO SUAS ÁRVORES

Zezé motivou seus alunos e no dia da árvore 21 de setembro, colocou sua camisetinha, reuniu-os, pegaram mudas de árvores e sairam em campo para realizarem seus gestos de solidariedade com a "mãe natureza".

Vejam mais fotos e o comentário de nossa Representante Local. Assim construimos a história e tempos melhores: COM AÇÃO!


Comentários de nossa amiga Zezé RL SC

Neo
Foi uma experiência deliciosa colocar a mão na terra e semear novas árvores. Um lindo simbolismo para a continuidade da vida. Tinha uma aluna, a Elisandra, que me perguntou qual era a sensação de plantar. Ela plantou e viu como é importante esta atitude, até se emocionou. Temos, eu e a BENE, que também é professora, muito orgulho dos nossos alunos. Foram duas turmas, a 3ª IV e a 2ª II, plantamos: ipê, canela preta, árvores nativas, primavera, cedro e araucárias.

Foi uma experiência tão boa, que os alunos pediram para repetir, eles querem plantar árvores frutíferas e ornamentais. Achei muito bom! A BENE SC esteve ao meu lado e gostou muito da atividade. Ela está adorando participar deste brinde de luz. Parabéns pela iniciativa e pelo exemplo que dá a todos nós. "A palavra convence, mas o exemplo arrasta sempre." Você, meu amigo andarilho, é um exemplo do Bem. Obrigado por permitir que façamos parte desta obra. Aproveito para parabenizar as seguintes representações: PARAÍBA - BAHIA - DISTRITO FEDERAL - RIO DE JANEIRO - PIAUÍ - MINAS GERAIS -Estes Estados Brasileiros fizeram a diferença neste ano de 2011.

Agradecida, mais uma vez pelo espaço e por publicar nosso movimento. Um grande abraço e o agradecimento a todos os meus alunos.
As mudas, na maioria, forma trazidas pelos alunos. UBAV-SC/Canoinhas colaborou com um ipê e o substrato para a realização do movimento.
É isso, a união faz a força e a natureza agradece! Se as pessoas soubessem como é bom ser solidários o mundo seria bem melhor.

ZEZÉ SC

Comentário de Neo Cirne:

Zezé, aquele ditado que diz que "A UNIÃO FAZ A FORÇA" tem toda razão, o projeto só será forte quando nós formos mais amigos e unidos. Precisamos aumentar esta corrente de solidariedade. A ação de vocês foi muito legal. Obrigado pela sua participação e pela participação do seu lindo grupo de alunos, em especial a Elisandra que teve o prazer de semear uma plantinha, que simbolicamente significa, semear o Futuro. Em breve visitaremos sua cidade.

TIM-TIM!

Neo Cirne


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Quem conta um Conto? O fazendeiro e o cavalo

Olá amigos, entre as muitas e muitas histórias que já ouvi por aí esta revela uma grande capacidade motivacional para que consigamos "mudar o jogo da Vida" quando achamos que estamos perdendo. Este conto é bem interessante e circula na internet há mais de 10 anos. Achei bom relembrá-lo nesta seção "Quem conta um conto?"... hoje quem conta sou eu, mas você poderá mandar a sua história também, tá? (Neo)


O fazendeiro e o cavalo
Um fazendeiro, que lutava com muitas dificuldades, possuía alguns cavalos para ajudar nos trabalhos em sua pequena fazenda. Um fazendeiro, que lutava com muitas dificuldades, possuía alguns cavalos para ajudar nos trabalhos em sua pequena fazenda.
Um dia, seu capataz veio trazer a notícia de que um dos cavalos havia caído num velho poço abandonado.
O poço era muito profundo e seria extremamente difícil tirar o cavalo de lá. O fazendeiro foi rapidamente até o local do acidente, avaliou a situação, certificando-se que o animal não se havia machucado.
Mas, pela dificuldade e alto custo para retirá-lo do fundo do poço, achou que não valia a pena investir na operação de resgate.
Tomou, então, a difícil decisão: determinou ao capataz que sacrificasse o animal jogando terra no poço até enterrá-lo, ali mesmo.
E assim foi feito: os empregados, comandados pelo capataz, começaram a lançar terra para dentro do buraco de forma a cobrir o cavalo.
Mas, à medida que a terra caía em seu dorso, o animal a sacudia e ela ia se acumulando no fundo, possibilitando ao cavalo ir subindo.
Logo os homens perceberam que o cavalo não se deixava enterrar, mas, ao contrário, estava subindo à medida que a terra enchia o poço, até que, finalmente, conseguir sair.
Sabendo do caso, o fazendeiro ficou muito satisfeito e o cavalo viveu ainda muitos anos servindo, fielmente, a seu dono na fazenda.
Se você estiver “lá embaixo”, sentindo-se pouco valorizado, quando algumas pessoas, certas de seu “desaparecimento”, jogarem sobre você a “terra da incompreensão, da falta de oportunidade e de apoio”, lembre-se desta história.
Não aceite a terra que jogaram sobre você, sacuda-a e suba sobre ela. Quanto mais jogarem, mais você irá subindo… subindo… subindo … Sem se deixar abater você vencerá.
(autoria desconhecida)


TIM-TIM!

domingo, 2 de outubro de 2011

"TAL PAI...TAL FILHO" por Sueli Santos - O desenvolvimento infantil - Parte II


II parte (O desenvolvimento da criança)


O BRINCAR INFANTIL
Durante o primeiro ano de vida, a criança brinca basicamente com seu próprio corpo a partir da necessidade de reconhecê-lo e diferenciá-lo das outras pessoas. Assim, surgem jogos repetitivos com as mãos e pés, bem como atividades ritualísticas de balanceios de corpo e cabeça.
Ao final do segundo ano, entretanto, ela passa a fazer aquilo que chamamos de jogos de imitação onde experimenta atividades que irá desenvolver mais tarde, "copiando" atos do cotidiano. Assim, é muito frequente que, ao chegarmos em casa, encontremos o filho deitado, de olhos fechados e que, ao ser questionado, responda que "está fingindo que está dormindo".
Com o advento da função simbólica, a partir da qual a criança é capaz de representar através de um símbolo, um fato, um objeto ou uma pessoa, ela passa a ter aquilo que chamamos de jogo simbólico onde além de reproduzir, também "corrige" atitudes e atividades do cotidiano. Dessa maneira, quando uma menina de 3-4 anos de idade, diz à sua boneca para ir dormir senão apanha e, após uma pausa, continua dizendo que "como ela foi boazinha, poderá assistir mais um pouco de TV", ela não somente está reproduzindo as atitudes da mãe na primeira parte do diálogo, como está alterando essa conduta de forma que lhe seja tolerável.
Como as noções de real e imaginário ainda não estão definidas, o brincar serve para que ela adapte sua vontade às exigências sociais.

Nesse momento, o processo de socialização ainda se encontra em fase de estruturação, e as crianças brincam uma ao lado da outra, com pequena interação e com os jogos ocorrendo de forma paralela e sem regras.



Por volta da idade escolar, entre 6 e 7 anos de idade, o panorama se delineia de maneira diferente, com os jogos se estruturando de modo concreto, definindo-se regras que são um treinamento para o convívio social e, também são de caráter construtivo.

Assim, neste momento as brincadeiras já mostram uma adequação bem grande, com as regras sendo claras e obedecidas. É fácil se observar isso quando vemos um grupo de garotos de 8 anos jogar futebol, divididos em dois times e respeitando as regras conhecidas do jogo. Da mesma maneira, brinquedos como o Lego ou outros jogos de montar são bastante interessantes uma vez que permitem à criança o desenvolvimento de sua criatividade e de sua imaginação.
Os brinquedos representam um elemento importante do universo infantil, servindo para que a criança interaja, através dele, com seu universo criando-o simultaneamente.
Brinquedos muito sofisticados, bonitos ou caros não são, obrigatoriamente, os melhores para isso, e muitas vezes a criança prefere utilizar material não estruturado, como sucata, com o qual imagina jogos e objetos que lhe servirão para essa construção. Assim, mesmo sabendo que apesar de toda a publicidade, a criança só utilizará por mais tempo (depois de passada a curiosidade da descoberta) brinquedos que realmente tenham a ver com seu desenvolvimento, não podemos esquecer que o brincar é algo muito sério que possibilitará o desenvolvimento e à adequação da criança com seu ambiente social e familiar.


BRINCANDO COM SEU FILHO
Nos ensinaram que "brincar" se constitui em perda de tempo uma vez que corresponde a uma atividade não produtiva ledo engano, o brincar é uma das poucas formas que as crianças possuem para se relacionar e para manifestar seus desejos, fantasias, medos e expectativas.
Ao brincar com nossos filhos de maneira livre e criativa, possibilitamos ter uma relação de afeto onde ambos Pais e filhos) aprendem a se conhecerem no mais íntimo de seu ser independentemente das normas previamente estabelecidas e dos rituais que permeiam as relações familiares. Indo além o brincar possibilita à criança a chance de um crescimento saudável que lhe permita tornar-se um adulto mais criativo e consciente de suas possibilidades.

ALFABETIZAÇÃO PRECOCE
É bastante frequente observarmos crianças com 5-6 anos de idade, encaminhadas pela escola ao médico com queixa de "problemas de aprendizado" que, quando verificados, mostram-se como a dificuldade da criança em aprender a ler e escrever.
Isso nos traz a necessidade de uma reflexão profunda pois se, por um lado, uma sociedade pragmática e competitiva como a nossa demanda uma série de pré-requisitos que façam dessa criança alguém mais adaptado, por outro lado também nos leva a pensar nas reais possibilidades dessa criança.
Durante essa fase de 2 a 6 anos de idade, a criança encontra-se em período pré-operatório de desenvolvimento, no qual começa a realizar operações mentais, sem ainda condições, usualmente, de desenvolver um aprendizado acadêmico tradicional uma vez que não possui maturidade cognitiva para tal da mesma maneira que condições de inteligência que lhe permitam compreender os mecanismos necessários para a alfabetização.
Como pedagoga-sistêmica e terapeuta de família, penso que o processo de alfabetização, deve ser verificado a partir dos interesses e das possibilidades da criança, não devendo ser considerada como condição básica de seu desenvolvimento.

A QUESTÃO DA INTIMIDADE ENTRE PAIS E FILHOS
Ao redor dos 3-4 anos de idade a criança, por seu desenvolvimento cognitivo, inicia a explorar seu próprio corpo visando estabelecer sua própria identidade sexual e, consequentemente, seu próprio papel sexual, com significado eminentemente social.
Paralelamente a essa auto-exploração, estabelece-se uma exploração em relação ao corpo do outro, quer seja de idade semelhante à sua, quer seja adulto. Dessa maneira, quando a criança nessa idade procura um familiar pedindo para tomar banho junto, em verdade procura inicialmente motivos para conhecer seu corpo e o do outro.
A intimidade entre pais e filhos nessa idade deve ser conduzida considerando os valores familiares, e o bom-senso, o desenvolvimento da criança e a adequação social, sem, é claro, ignorar-se que esse relacionamento deve sempre ser pautado pelo respeito mútuo e pela defesa da criança que, em hipótese alguma, deve ser levada à práticas ou atitudes que podem prejudicá-la.


TIM-TIM! Boa semana!



Sueli Pereira dos Santos
CRT 25.188
Terapeuta Sistêmica (Familia, individual e casal) – Psicopedagoga clínica – Letras - Psicomotricidade e Desenvolvimento Humano – Distúrbios/Transtornos de Aprendizagem – Aprendizagem e Psicopedagogia - Bioenergia - Dinâmicas de Grupo - Educação e Psicologia Social/clinica – Leitura corporal
Belo Horizonte – www.terapeutasistemicablogspot.com

Curiosidades Tim-Tim... Mandala ou Cabala? por Neo Cirne

Você sabe a diferença entre Mandala e Cabala?
Olá amigos, dentro do espaço destinado a tirar pequenas dúvidas, vamos mostrar a diferença entre palavras parecidas. Selecionamos duas que normalmente trazem confusão na hora de serem definidas pela população ocidental, pois a Cabala é de origem hebraica e a Mandala é de origem sânscrita, uma das línguas mais antigas da humanidade. Vamos falar um pouquinho de cada uma delas. Inicialmente falaremos da Mandala.
Mandala (मण्डल) é a palavra sânscrita que significa círculo, uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o cosmo. De fato, toda mandala é a exposição plástica e visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço sagrado e atualização de um tempo divino.
Nas sociedades primitivas, o ciclo cósmico, que tinha a imagem de uma trajetória circular (circunferência), era identificado como o ano. O simbolismo da santidade e eternidade do templo aparece claramente na estrutura mandálica dos santuários de todas as épocas e civilizações. Uma vez que o plano arquitetônico do templo é obra dos deuses e se encontra no centro muito próximo deles, esse lugar sagrado está livre de toda corrupção terrestre. Daí a associação dos templos às montanhas cósmicas e a função que elas exercem de ligação entre a Terra e o Céu. Como exemplo, temos a enorme construção do templo de Borobudur, em Java, na Indonésia. Outros exemplos que podemos citar são as basílicas e catedrais cristãs da Igreja primitiva, concebidas como imitação da de Jerusalém Celeste, representando uma imagem ordenada do cosmos, do mundo.
A mandala como simbolismo do centro do mundo dá forma não apenas as cidades, aos templos e aos palácios reais, mas também a mais modesta habitação humana. A morada das populações primitivas é comumente edificada a partir de um poste central e coloca seus habitantes em contato com os três níveis da existência: inferior, médio e superior. A habitação para ele não é apenas um abrigo, mas a criação do mundo que ele, imitando os gestos divinos, deve manter e renovar. Assim, a mandala representa para o homem o seu abrigo interior onde se permite um reencontro com Deus. Um exemplo bem típico brasileiro de mandala, a partir da arquitetura, é a planta superior da Catedral de Brasília.



O QUE É CABALA?
Já a palavra Cabala é de origem hebraica. Cabala (também Kabbalah, Qabbala, cabbala, cabbalah, kabala, kabalah, kabbala) é uma sabedoria que investiga a natureza divina. Kabbalah (קבלה QBLH) é uma palavra de origem hebraica que significa recepção. A Kabbalah — corpo de sabedoria espiritual mais antigo — contém as chaves, que permaneceram ocultas durante um longo tempo, para os segredos do universo, bem como as chaves para os mistérios do coração e da alma humana. Os ensinamentos cabalísticos explicam as complexidades do universo material e imaterial, bem como a natureza física e metafísica de toda a humanidade. A Kabbalah mostra em detalhes como navegar por este vasto campo, a fim de eliminar toda forma de caos, dor e sofrimento. Vejam na gravura uma representação antiga do que os cabalístas chamavam Árvore ou Portal da Vida.


Durante milhares de anos, os grandes sábios cabalistas têm nos ensinado que cada ser humano nasce com o potencial para ser grande. A Kabbalah é o meio para ativar este potencial.
A Kabbalah sempre teve a intenção de ser usada, e não somente estudada. Seu propósito é trazer clareza, compreensão e liberdade para nossas vidas.
(Pesquisa no site Wikipédia e Revista ISTO É)



Comentário Final de UBAV-BRASIL:
Esperamos ter respondido a curiosidade de algumas pessoas e esclarecer que a mandala é a relação geométrica entre o homem e o cosmos e a Cabala é a filosofia que nos permite encontrar as chaves para os mistérios do coração, da alma humana e do universo.
Artístas e personalidades famosas foram citadas pela Revista ISTO É, ago 2011, nº2177, como adeptos da filosofia cabalística, são eles: Ronaldo “O Fenômeno”, Angélica, Luciano Huck, Glória Maria, Fernanda Souza e Jesus Luz.
É isto aí amigos, se o assunto é duvidoso o Tim-Tim explica.


Bom início de semana!


TIM-TIM!

Um Brinde À Vida Copyright © 2011 | Tema Desenhado por: compartidisimo | Distribuído por: Blogger