domingo, 11 de dezembro de 2016

PALAVRAS ILUMINADAS - (DOMINGO-11/12) - A Mensagem positiva de Frei Jaime Bettega


Bom Dia!
O domingo é feito de paz, serenidade, leveza e encontros... Obrigado, SENHOR, por nos presentear com esse domingo de tantas oportunidades. Amém!


“A vida pode dar muitas voltas, mas é Deus quem faz o laço.”


São tantos caminhos que aguardam por inúmeras escolhas. Viver é estar em movimento, descobrindo a direção certa. Algumas opções são inusitadas, jamais pensadas. Em questão de segundos, muitas vezes, a vida alça voo, alcança outros patamares, segue novos rumos. Apesar de todos os planos já arquitetados, sempre resta espaço para algo que pode surpreender. Ainda bem que a vida é capaz de muitas outras voltas.

A acomodação não provoca deslocamentos e muitos menos sentimentos. É claro que há uma necessidade que não pode ser descuidada: o desejo profundo de paz. Independe de tempo e lugar, a quietude sacia a alma, acalma os ânimos, ordena os pensamentos. Depois de muitas trajetórias e diferentes itinerários, a certeza é uma só: a mão de Deus acompanhou cada passo e inúmeros suspiros. Mas Deus é quem faz o laço.

O melhor traçado, o caminho ideal sempre tem um ponto de partida: o coração de Deus. Quem busca fazer a vontade d’Ele, dificilmente se engana. Feliz de quem entrelaça os seus objetivos com o ideal que Deus continuamente propõe. Nada é em vão quando há espiritualidade no coração. Acontece que poucos ‘consultam’ a vontade de Deus, na hora de tomar as decisões. Em alguns momentos, a contradição até pode se apresentar. No entanto, com paciência, persistência e muita oração as evidências tornam-se perceptíveis.

A cada dia que passa, a impressão é que a velocidade do mundo aumenta. Mesmo assim, é imprescindível provar o amor de Deus e permitir que seus laços continuem inspirando o melhor para cada instante, independente do caminho.

Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!




Foto da web meramente ilustrativa 
Texto: Reprodução da página do Facebook de Frei Jaime Bettega. 
Visite-a diariamente, há sempre uma palavra iluminada pra você.





Frei Jaime Bettega é o pároco da Paróquia Imaculada Conceição, em Caxias do Sul, linda cidade da serra gaúcha. Vale a pena vocês conhecerem esta joia do belo Estado do Rio Grande do Sul. Aproveitem para visitar a Paróquia Imaculada Conceição e receberem as bênçãos de Deus através de Frei Jaime Bettega.

Sua palavra vai ao ar diariamente no seu Facebook e está presente na grade de nossa programação, sempre as terças, quintas e domingos. É um prazer retransmitir as palavras de Frei Jaime Bettega. Bom Dia!

sábado, 10 de dezembro de 2016

O BRASILEIRO ESTÁ VIVENDO MUITO? - - O comentário de Neo Cirne

  Os últimos acontecimentos têm mostrado o quanto a população mundial tem andado vulnerável com a massificação de informações verdadeiras e falsas jogadas na cara do pobre mortal. Está muito duro viver sossegado, pois sempre nos chegam notícias ruins como se fosse para nos torturar. Uma delas é a de que o 'brasileiro está vivendo muito', chega a ser ridícula essa afirmação.


  "Se correr o bicho pega... Se ficar o bicho come"

Evidente que, com um cenário desses, a população certamente irá pra rua muitas vezes ainda para reivindicar mais coerência e justiça às autoridades máximas do país. Porém, depois da lista da Odebrecht, mostrando quase 300 pessoas envolvidas com propinas e atos corruptos, passei a ter certeza absoluta de que nada será feito em benefício do país e sim transferir para o povo o ônus dessa 'bandalheira infeliz'.


O brasileiro, que no momento anda desesperançoso, mal remunerado, desempregado, desassistido, inseguro e, por isso, anda vagando por aí ou recluso em sua casa. É ele quem paga ña maior carga tributária do mundo e está desmotivado para sair até pra namorar a vida.


  Se tivéssemos uma Justiça para todos poderíamos até possuir um tênue fio de esperança, mas, depois da decisão dessa semana, favorecendo a permanência de um réu na presidência da mais alta casa legislativa brasileira, para defender os interesses do governo contra o povo, senti, no desânimo de meus amigos o desgosto de viverem um momento tão crítico.


  Quanto a previdência, alguma medida precisa ser tomada realmente. Mas, 'quando a dose do remédio é capaz de matar o doente, devemos repensar na fórmula mágica' e assim, garantir um fôlego aos pacientes.

  Eu queria saber qual foi a instituição isenta que foi capaz de dizer que O BRASILEIRO ESTÁ VIVENDO MUITO, dentre os países do mundo o nosso possui todas as condições contrárias a essa afirmação: poucas vagas de trabalho; pouca segurança; poluição, uma saúde de baixíssima qualidade; a grande Floresta Amazônica (pulmão do mundo) sendo devastada com queimadas; um número alarmante de óbitos por diversas doenças tropicais e uma falta de saneamento imensa. Isto sem contar as péssimas estradas onde morrem milhares de pessoas por ano. 


  Eu queria saber também, por que os órgãos noticiosos bateram tanto nessa tecla de dizer que vivemos muito? Parece que a notícia foi plantada previamente. Deve ter sido bem assim: "VOCÊS DIZEM QUE O BRASILEIRO VIVE MUITO QUE DEPOIS NÓS MEXEMOS NA PREVIDÊNCIA".

  Porque forçar o idoso a trabalhar se ele já contribuiu a vida toda para esse momento de descanso? Sim, digo idoso, porque a Lei do Idoso diz que a terceira idade começa aos 60 anos. Então, eu só queria entender por que a aposentadoria só pode ser concedida ao cidadão aos 65 anos de idade? Que regra é essa? Convenhamos, é um contrassenso estabelecer essa idade, pois somos um país cheio de necessidades básicas, sem saúde e de longevidade duvidosa.

 Chegar aos 65 anos com boa condição física é um luxo? Não, gente! Isso é normal! Pode ser que cheguemos aos 70 com boa saúde, mas estabelecer que o cidadão só poderá se aposentar aos 65 anos é uma covardia. Vi uma postagem do Facebook do PROZAC VIRTUAL que socializo com vocês. - - Não podemos perder a seriedade com um assunto deste, mas o brasileiro é assim, bem-humorado até nas horas difíceis.


  Aqui em UBAV-Brasil, evitamos entrar em assuntos políticos dessa grandeza. Com bom senso, acredito que possamos melhorar a Reforma da Previdência. O que não é possível é ver um parlamentar poder se aposentar depois de cumprir dois mandatos (8 anos) e, ao mesmo tempo observar numa delação da ODEBRECHT, 300 políticos envolvidos em falcatruas e bandalheiras.

 Vi publicado na internet a relação desses maus brasileiros e me impressionei, são muitos. Gente que eu jurava que era 'santo'. Nela você encontrará vereadores, prefeitos, governadores, senadores, ministros, ex-políticos, deputados e futuros candidatos à Presidência da República. Vejam a relação dos políticos, respectivos partidos e reduto eleitoral de cada um no endereço abaixo:
https://drive.google.com/file/d/0B6ULzL4QIeZyVGQwazF3Z1VOVE0/view


Normalmente, aos sábados, agradecemos a Deus pelas coisa boas e ruins, mas, Meu Deus, nesses últimos 20 dias não temos muita coisa para agradecer não. Viver assim, vendo nossos amigos sofrendo é muito difícil encontrar motivos para escrever. Creio em Ti, Senhor e sei que é o Criador e Grande Mestre do Universo, protegei Senhor o amado povo brasileiro. E que os políticos possam repensar suas atitudes e encontrar caminhos que nos levem a ter mais esperança nas instituições do governo.


Tim-Tim!


Neo Cirne
Colunista de UBAV-Brasil

(Esta matéria permanecerá no ar pouco tempo já que a política muda toda hora)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

“SEXTA CRÔNICA” - - “Quero comprar uma árvore” - - De Walmir Ayala

“SEXTA CRÔNICA”
- “Quero comprar uma árvore” -


- Walmir Ayala -


(Flamboyant amarelo)
Na estrada florescem os flamboyants e eu quero comprar uma árvore. Se hoje me faltassem todos os outros desejos, me sobraria este, de comprar uma árvore. Com direito a pássaros e brisa da tarde, mas, sobretudo uma árvore em flor, para prazer visual. Os desejos nos conservam vivos, disse alguém, e passei a prestar atenção nisso. Enquanto desejava alguma coisa, eu me reforçava, eu ia adiante, eu nem pensava na morte. Ultimamente, ter uma árvore é o meu maior desejo. Como as árvores não são vendidas isoladamente, eu imagino um terreno pequeno, uma casa modesta e uma árvore. Bastaria para mim uma árvore de rua, dessas que pertencem à comunidade. Mas que eu pudesse ver e acompanhar durante as estações, com cores e sombras as mais variadas.


(Amendoeira)
Há muitos anos morei numa rua com amendoeiras, uma delas batia na sacada do meu apartamento, espiando minha vida. De manhã ela trazia uma festa de pássaros e eu acordava em paz, despertado por aqueles ruídos que eram o pulsar da natureza. Durante anos acompanhei a existência daquela árvore, e me maravilhava com as cores de suas folhas. As folhas faziam de flor naquela árvore sem flores, porque iam do verde ao vermelho, eram de repente douradas, ou de um amarelo tênue. Era sempre uma surpresa, e eu gostava de ver a rua coberta do ouro daquelas folhas, em certas fases do ano. Estou certo de que a minha vida ficou melhor com aquela companhia, e acho que vem daí a origem deste desejo de ter uma árvore em flor, como aqueles flamboyants da estrada.

Mas, enquanto eu não posso ter uma árvore inteiramente minha, aprendo a curtir as árvores que passam por mim, ou pelas quais eu passo. E até parece que são minhas todas essas árvores. Com a força do meu coração, sinto que são minhas, porque outra coisa que aprendi é a enriquecer o sentido de propriedade. Tudo o que vejo e amo é meu, sem necessidade da posse, do desgaste que vem na base dos amores vorazes. Assim, me distraio olhando nas vitrines todo aquele apaixonante supérfluo, e me delicio em contemplar e assimilar o instante de sua presença, como uma oferta real. Fico feliz, passo adiante, e muitas vezes digo de mim para mim: “Tal coisa acaba de ser minha e eu nem preciso carregar”. É assim, acumular matéria das coisas é um estorvo na viagem. O bom é andar com um mínimo e participar de tudo, sem mágoa, sem sensação de pobreza, porque pobre é quem tem a alma pequena.

Hoje eu queria comprar uma árvore, mas como disse um velho indígena norte-americano, há mais de um século, coisas como uma árvore não podem ser compradas, como não se pode comprar o ar, as nuvens e as estrelas. Mas se pode amar tais verdades inalcançáveis, e nesse amor reside o mais perene conceito de propriedade, aquela que ninguém nos tira porque tem as raízes plantadas no coração.


 
Flamboyant vermelho



Autor: Walmir Ayala (1933 - 1991) - O autor considerava-se poeta, mas sua carreira não se limitou à poesia e dedicou-se a outros gêneros culturais. Foi também jornalista, romancista, escreveu contos, crônicas, peças de teatro para adultos e crianças, público este que dedicou mais de noventa obras. 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

PALAVRAS ILUMINADAS - (QUINTA-08/12) - A Mensagem Positiva de Frei Jaime Bettega


Bom Dia!
Com alegria, acolhendo a amanhecer que chega trazendo claridade e esperança.... Dia especial: 8 de dezembro: dia de N. Sra. Imaculada Conceição! Que as bênçãos sejam abundantes! Que a PAZ seja uma constante!


“Todo mundo já passou por algo que modificou tanto, que não possível voltar a ser a mesma pessoa de antes.”


As experiências de vida vão transformando o coração, provocando crescimento e amadurecimento. A existência supõe resistência e capacidade de lidar com as diversas situações do cotidiano. Viver é um aprendizado sem fim. Há momentos de leveza, de tranquilidade e de serenidade. Mas há acontecimentos que impactam de tal forma, ao ponto de causar profundas modificações. A simples passagem dos dias já deixa suas marcas. Alguns fatos são mais incisivos e até determinantes. Quem já não passou por momentos exigentes, ao ponto de sentir-se outra pessoa? A essência não se modifica, mas o modo de enxergar o mundo e de relacionar-se consigo mesmo e com os outros pode se ampliar ou se retrair.

Situações marcantes são capazes de dar outro rumo à história pessoal e até familiar. Há momentos inesquecíveis, onde a alegria toma conta e a felicidade cria raízes. Outros, no entanto, já são bem exigentes: verdadeiros vendavais existenciais, que tentam levar para longe o ânimo e a esperança. Todos têm histórias para contar. O acontecimento em si pode até ser descrito e detalhado. As mudanças ocorridas são particulares, nem sempre descritíveis. Ninguém é o mesmo de ontem.

O ideal poderia ser assim imaginado: o físico se transforma, o emocional se encontra com o equilíbrio e o espiritual proporciona elevação. Algumas pessoas, porém, só mudam quando experimentam limitações que colocam a vida num risco eminente. O aprendizado advindo do amor deveria ser o mais comum. Alguns, porém, só aprendem na dor.

Viver é estar aberto às mudanças, numa assimilação que inspira e garante crescimento. Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!



Foto da web meramente ilustrativa 
Texto: Reprodução da página do Facebook de Frei Jaime Bettega. 
Visite-a diariamente, há sempre uma palavra iluminada pra você.





Frei Jaime Bettega é o pároco da Paróquia Imaculada Conceição, em Caxias do Sul, linda cidade da serra gaúcha. Vale a pena vocês conhecerem esta joia do belo Estado do Rio Grande do Sul. Aproveitem para visitar a Paróquia Imaculada Conceição e receberem as bênçãos de Deus através de Frei Jaime Bettega.

Sua palavra vai ao ar diariamente no seu Facebook e está presente na grade de nossa programação, sempre as terças, quintas e domingos. É um prazer retransmitir as palavras de Frei Jaime Bettega. Bom Dia!


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

DO OUTRO LADO DA VIDA - - Uma reflexão positiva sobre Vida e Morte - - Por Neo Cirne

A vida é um emaranhado de sentimentos igual as ondas de um mar revolto. Nessas ondas levamos nossos corpos frágeis e nossas idéias confusas sobre a finitude da etapa terrena na qual vivemos. Muitos pensadores, religiosos, pessoas ilustradas e bacharéis de todas as ciências tentaram explicar matemática e filosoficamente a vida. Foram muitos os conceitos, regras e padrões apresentados ao cidadão comum para explicar a origem do universo.

Dos nossos questionamentos inexplicáveis surgiram teorias científicas. Surgiram as religiões, todas criadas pelos homens e a maioria com o intuito de dominar, explorar e acalmar as pessoas inquietas. A finalidade das religiões, inicialmente, era dar uma formatação única a espiritualidade humana, criar uma forma de alcançar todas as pessoas e poder subjugá-las. No passado, quem detinha poder sobre a religião era o 'dono do poder'.

Se analisarmos o princípio de tudo, por mais devotos que sejamos a uma ou outra religião, sempre observaremos um certo descaso com a religião dos diferentes. Todos se acham donos da verdade, enganam-se. Eles não respondem a todas as nossas perguntas principais: "De onde viemos?", "Por que existimos se somos finitos?" e "Para onde iremos?".


Seguindo essa linha de pensamento prefiro acreditar que, mesmo sem uma resposta objetiva e comprovada, a resposta da primeira pergunta - "De onde viemos? - Respondo que, em condições normais, somos fruto do Amor de nossos pais e da bondade de Deus que nos permitiu a vida.

Para a segunda pergunta: "Por que existimos se somos finitos?" - Respondo que existimos para aprimorar nossos valores morais e espirituais, e que, para isto, devemos Amar as Pessoas e a Vida, procurando evoluir nossos conceitos fraternais, avançar no desapego, na amorosidade, na verdade, no respeito aos diferentes, na honestidade, na semeadura de bons exemplos para que eles fertilizem  propiciem a continuidade da vida das futuras gerações.


E finalmente, a pergunta que tanto receamos: "Para onde iremos?" - Como somos feitos comprovadamente de corpo e alma, sendo o corpo transitório e a alma eterna, acreditamos que a Vida Continue numa outra dimensão. Não precisamos temer a morte, pois todos os seres vivos morrem também.

Muitas crenças reconhecem na transitoriedade da vida uma oportunidade única de evoluir. Saúdam seus mortos com cânticos de alegria e festejam a 'partida' dos entes queridos. Quando partimos, simplesmente somos desligados de nosso corpo e nossa essência mais pura, a alma ficará por aqui, lembrada vez por outra pelos nossos exemplos. Encantará durante um tempo aqueles que nos conheceram melhor e seguiram na estrada da vida... Depois, seremos esquecidos como a luz de uma estrelinha que se desfez... Plim!


Nós de UBAV-BRASIL acreditamos que o outro lado da vida seja aqui mesmo, nossos espíritos bons tornam-se obreiros de uma causa terrena construtiva. Quando oramos e lembramos Deus, Criador do Céu e da Terra, olhamos naturalmente para o Céu, como se lá nas alturas buscássemos Sua imagem. O céu nos lembra somente a Sua Obra Infinita. Deus não é uma imagem, é uma força justa e magnifica que nos propiciou meios para que após bilhões de anos evoluíssemos e, a partir da condição primária de um ser unicelular, chegássemos a condição de seres classificados como Homo Sapiens, mas que ainda usam muito pouco de suas sabedorias para entenderem algumas verdades universais.



Para nadar, navegar ou surfar nas ondas da vida é necessário estar atento e fortalecido espiritualmente. Entender que Deus existe e a Ele devemos respeito. Isto é o mínimo a fazer.

Quanto mais nos aperfeiçoarmos na arte da navegação vital, mais conseguiremos ultrapassar as ondas mais bravias que tentam constantemente nos sucumbir.



Ao fim da vida terrena, com o corpo cansado de tanto nadar em águas revoltas, partiremos. Iremos embora com a consciência tranquila de que fizemos o nosso melhor possível. Nossos corpos não nadarão mais, mas as nossas almas (ou espíritos) levitarão sob as águas assim como fez Jesus Cristo. Mas isto tudo ocorrerá por aqui mesmo, só que do outro lado da vida, longe da incerteza do mar que tanto nos atormentou.



Tim-Tim!


Neo Cirne
Colunista de UBAV-Brasil













terça-feira, 6 de dezembro de 2016

PALAVRAS ILUMINADAS - (TERÇA-06/12) - A Mensagem Positiva de Frei Jaime Bettega


Bom Dia!
Pensando longe, acordando e recordando alguns sentimentos... Abraçando uma nova jornada, imprimindo dinamismo e vibração. O dia promete!


“Nunca permita que alguém corte suas asas, estreite seus horizontes e tire as estrelas de seu céu.”


A realização depende da determinação. Encantar-se com a vida é o primeiro passo para alcançar os objetivos, que os dias permitiram e inspiraram a formulação. A redação da própria existência é um exercício ininterrupto. Convém recordar: ninguém está destinado ao isolamento. A convivência permite um somatório de ganhos. Porém, as perdas não deixam de agrupar alguns registros marcantes. No cotidiano é importante confirmar determinadas posturas. Há quem se deixa influenciar facilmente. Os outros podem ajudar, acrescentar ou até roubar alguns sonhos.

A vida é um ato de responsabilidade indelegável. Os limites são necessários. As invasões podem ser estagnadas. Viver sob constante interferência é abrir mão da felicidade. Por isso, se tem asas é possível voar. Sugestões podem ser acatadas. Mas nada justifica que os outros cortem suas asas, tornem os horizontes estreitos e façam desaparecer algumas estrelas do seu céu.

Quantas histórias de renúncias que afetaram a saúde emocional e física. Há espaço para todos. Mesmo que não houvesse, ainda assim resta algo sagrado: a interioridade humana. Voar para dentro de si mesmo é uma experiência extraordinária. O excesso de investimento na aparência pode esvaziar a essência. Se os outros tentarem ofuscar o horizonte, que não seja dada a permissão. Afinal, a vida é feita de sonhos que vão formatando aquele bem-estar que provoca a alegria de viver.

Aceitar orientações e até críticas faz um bem enorme. A síntese, porém, tem um único responsável: você. Que as asas inspirem o melhor voo em direção às estrelas que estão no seu horizonte.

Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!



Foto da web meramente ilustrativa 
Texto: Reprodução da página do Facebook de Frei Jaime Bettega. 
Visite-a diariamente, há sempre uma palavra iluminada pra você.





Frei Jaime Bettega é o pároco da Paróquia Imaculada Conceição, em Caxias do Sul, linda cidade da serra gaúcha. Vale a pena vocês conhecerem esta joia do belo Estado do Rio Grande do Sul. Aproveitem para visitar a Paróquia Imaculada Conceição e receberem as bênçãos de Deus através de Frei Jaime Bettega.

Sua palavra vai ao ar diariamente no seu Facebook e está presente na grade de nossa programação, sempre as terças, quintas e domingos. É um prazer retransmitir as palavras de Frei Jaime Bettega. Bom Dia!